Tem se falado muito sobre o retorno do turismo na Europa após o longo lockdown imposto pela maioria dos países do continente. Depois de cerca de dois meses sem sair de casa, os europeus podem aos poucos voltar a fazer planos – entre eles, aproveitar o verão no Hemisfério Norte para pequenas escapadas ao litoral.

Diversos países anunciaram o relaxamento das medidas de confinamento e o retorno gradual das viagens internas no continente, com a reabertura das fronteiras.

Estão ocorrendo negociações para a criação de “corredores turísticos” que permitiriam a circulação entre nações com perfil de risco similar em relação ao Coronavírus. Em reunião realizada no dia 13 de maio em Bruxelas, o bloco buscou encontrar soluções para o retorno do setor, responsável por cerca de 10% do PIB dos países membros.

“Com o subsequente levantamento das restrições às atividades relacionadas com as viagens, espera-se que os cidadãos retomem gradualmente as viagens nacionais e intra-UE“, destaca o documento que relata as orientações determinadas durante a reunião, sem esquecer de mencionar o risco no aumento de infecções.

Entre os planos da União Europeia, está a criação de um site específico focado no turismo pós-Coronavírus, cujo endereço ainda não foi divulgado. O portal conterá um mapa interativo e combinará dados dos países membros e do setor, incluindo informações sobre protocolos nacionais ou setoriais.

Veja abaixo em que pé anda o retorno do turismo na Europa nos países mais visitados por brasileiros.

Alemanha

A Alemanha estabeleceu um controle nas fronteiras em vigor até 14 de junho, pelo menos. Nesse período, será permitido apenas o ingresso de viajantes com “razões válidas”, que deverão estar sujeitos a uma quarentena de duas semanas ao chegar.

Estão isentos dessa imposição pessoas que viajem desde países da União Europeia, bem como da Islândia, Liechtenstein, Noruega, Suíça e do Reino Unido, se os casos registrados no país de origem na semana anterior à viagem não excederem 50 a cada 100.000 habitantes. As regras podem variar de estado para estado.

Parece confuso? É assim mesmo.

De acordo com o portal português Sapo, cerca de 150 mil estrangeiros tiveram sua entrada na Alemanha negada durante o período de confinamento.

Apesar disso, as medidas de isolamento vêm sendo relaxadas desde o início de maio. Alguns museus e atrações turísticas já estão sendo reabertos, assim como restaurantes.

Entretanto, festivais, shows e festas populares permanecem proibidos até 31 de agosto. A Oktoberfest, um dos principais eventos turísticos da região, foi cancelada este ano.

Mais informações aqui.

Veja quanto custa viajar para Alemanha

Praça na Alemanha vista de cima com poucas pessoas circulando
Foto: Adrian Infernus

Espanha

A Espanha lançou um plano de desescalada do confinamento em 4 fases. O avanço de fases é gradual e depende das condições sanitárias de cada província. Na conta, entram as possibilidades de rebrote do vírus e a capacidade dos hospitais na região. Por isso, algumas localidades avançam mais rápido do que outras.

Enquanto algumas ilhas espanholas se encontram já na fase 2 do desconfinamento, que permite viagens a uma segunda residência, grandes cidades como Madrid e Barcelona foram as últimas a entrar na fase 1, em que é permitida a abertura das áreas externas de bares e restaurantes, com ocupação máxima de 50%.

Hotéis e alojamentos turísticos já podem reabrir as portas em todo o país, mas sem o uso de áreas comuns. Bares e restaurantes estão livres para receber clientes nas áreas ao ar livre e algumas regiões do país, mais avançadas no processo de desescalada, permitem a abertura dos espaços internos, com limite de 30% da ocupação.

O turismo interno e regional só deve começar a ganhar força a partir de meados de junho, quando algumas regiões permitirão maior mobilidade e a abertura de praias, com medidas de distanciamento social.

Durante o estado de alarme, que deve continuar em vigor até o final de junho, não é permitida a entrada de turistas estrangeiros. Pessoas que ingressem no país por outros motivos, como cidadãos e residentes que estejam retornando à Espanha, serão submetidas a uma quarentena de 14 dias.

De acordo com um tweet do órgão oficial de turismo do país, a temporada turística deve iniciar no dia 1º de julho.

Confira nosso guia completo de viagem pela Espanha

França

De acordo com o Estadão, os viajantes provenientes de fora da Europa não poderão ingressar na França antes de 15 de junho. Por enquanto, viagens que percorram mais de 100km no país também precisam de autorização.

Em Paris, está permitido sentar às margens do Rio Sena, mas os parques permanecem fechados. Algumas praias ao longo do território foram reabertas para prática de esportes.

O balneário La Grande-Motte, próximo de Montpellier, está testando um novo modelo de veraneio. Turistas podem desfrutar de até três horas na areia, mas o banho de sol precisa ser reservado com antecedência pela internet.

As áreas dedicadas aos amantes do verão são separadas por cordas e acomodam grupos de no máximo seis pessoas para evitar contágios.

O país tem incentivado os franceses a reservarem suas férias para os meses de agosto e setembro, com o objetivo de estimular o turismo interno. O primeiro-ministro Edouard Philippe anunciou ainda um programa de apoio ao setor no valor de 18 bilhões de euros.

Descubra quanto custa viajar para a França com nosso guia completo

Itália

Desde o dia 18 de maio são permitidos movimentos dentro das regiões italianas. Hotéis e outras acomodações podem abrir, desde que respeitem a distância mínima de 1 metro nas zonas comuns.

Os museus e espaços culturais ganharam permissão para reabertura na mesma data, com reservas de ingressos e respeitando o distanciamento. Bares e restaurantes estão liberados e devem seguir orientações próprias de cada região. As praias da Itália também ganharam sinal verde.

É obrigatório o uso de máscaras em locais fechados e no transporte. Menores de seis anos e pessoas que tenham condições de saúde não compatíveis com o uso do acessório estão isentas da obrigatoriedade.

A partir do dia 3 de junho passa a ser permitido viajar entre diferentes regiões do país. Na mesma data, os aeroportos italianos voltam a receber turistas da União Europeia, do Espaço Schengen, do Reino Unido, de Andorra e de Mônaco.

Viajantes provenientes destas regiões não terão que passar por nenhuma quarentena ao chegar ao país. Entretanto, os cruzeiros continuam suspensos.

Entre as medidas para alavancar o turismo, o governo promete um bônus no valor de até 500 euros para famílias com rendimentos inferiores a 40 mil euros ao ano viajarem pelo território.

Veja aqui as instruções oficiais divulgadas pela Itália.

Confira nosso guia completo com 14 cidades italianas

Portugal

Portugal foi pioneiro em divulgar um selo para a retomada do turismo seguro: o “Clean & Safe“, lançado em abril, sobre o qual falamos aqui. O documento detalha medidas de precaução que devem ser tomadas por estabelecimentos turísticos durante a pandemia.

Há voos para outros países do Espaço Schengen (exceto Itália e Espanha) e para o Reino Unido, Estados Unidos, Canadá, Brasil e outros destinos de língua portuguesa.

Em Portugal continental, viajantes devem passar por sistemas de medição de temperatura no aeroporto. Nos Açores, é obrigatória a realização de um exame de coronavírus nas 72 horas precedentes à viagem, enquanto o Arquipélago da Madeira exige quarentena de duas semanas para não residentes.

Bares e restaurantes operam com 50% da capacidade e museus e outros pontos de interesse estão abertos aos visitantes, que devem usar máscaras e respeitar o distanciamento social.

Como lembra o Público, os hotéis e alojamentos locais não precisaram fechar suas portas durante o estado de alarme, em vigor até 31 de maio. Mesmo assim, muitos optaram por não trabalhar no período devido à baixa demanda.

As praias portuguesas já estão abertas, mas a temporada oficial terá início apenas no dia 6 de junho, com regras específicas para evitar o contágio por coronavírus. Documentos divulgados pelo Turismo de Portugal indicam a necessidade de distanciamento de 3 metros entre guarda-sóis e um limite máximo de 5 pessoas por barraca ou toldo.

Foi criado um aplicativo específico para disponibilizar informações de acesso em tempo real aos banhistas, o app InfoPraia.

Mais informações aqui e aqui.

Tudo que você precisa saber para viajar a Portugal

Foto: Julia Solonina

Reino Unido

Viagens e deslocamentos não essenciais não são permitidos atualmente dentro do Reino Unido (Escócia, Inglaterra, Irlanda do Norte e País de Gales) ou para o exterior.

Pessoas que precisem ingressar no país deverão se submeter a uma quarentena de 14 dias. Informações oficiais podem ser encontradas neste link.

Confira também todos os nossos guias de países da Europa ou veja o que já escrevemos sobre o continente aqui no blog.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *