Vamos falar a verdade: notícias ruins não param de chegar. É o aumento dos casos de coronavírus, a desvalorização do real, crise política, milhares de incertezas… O mundo realmente não está nos seus melhores dias.

Para lançar uma pontinha de esperança nesse momento bem bad vibes, lá fomos nós fazer uma pesquisa intensa e cavar boas notícias nos últimos dias. Contrariando as previsões, encontramos muita coisa boa acontecendo no mundo, mesmo em tempos de pandemia e isolamento social.

Sabe aquela flor que insiste em brotar no meio do asfalto? É mais ou menos sobre isso que estamos falando. 🙂

1. Cachorrinhos voando

Filhotes em treinamento para serem cães de assistência estão sendo levados para um passeio de avião por pilotos voluntários da Canine Companions for Independence, nos Estados Unidos.

A organização sem fins lucrativos treina gratuitamente cães de assistência para auxiliar pessoas com deficiência. Localizada na Califórnia, a ONG fornece o treinamento inicial e então realoca os filhotes em lares de passagem em todo o país, onde eles são ensinados algumas habilidades.

Quando os animais estão com um ano e meio, eles são levados a um centro oficial de treinamento para aprender comandos mais avançados. O processo leva tempo e normalmente o transporte depende de companhias aéreas, mas a escassez de voos comerciais fez com que a ajuda de pilotos voluntários fosse fundamental para os animais.

De acordo com o Insider, a Canine Companions for Independence conta com cerca de 400 pessoas na lista de espera por um cão de assistência e o trabalho dos voluntários é essencial para que esse tempo de espera não aumente durante a pandemia.

Três filhotes de cachorro com capa esperando para voar
Foto: Canine Companions for Independence

2. Auxílio-viagem no Japão

Como fazer com que as pessoas voltem a viajar na era pós-coronavírus? Ainda não há uma resposta para isso, a não ser que devemos esperar até que seja seguro colocar os pés na estrada novamente.

No Japão, o governo planeja incentivar o turismo doméstico, pagando parcialmente pelas viagens dos seus cidadãos. Nada mal, não é mesmo?

Segundo o The Japan Times, os japoneses poderão usufruir de um subsídio para os gastos em viagens dentro do país assim que o coronavírus estiver sob controle. A medida visa incentivar o setor e aquecer a economia nacional.

6 dicas para você viajar na cultura do Japão sem sair de casa

3. O ressurgimento dos cinemas drive-in

Não é aquele motel estranho em que você chama o crush para uma viagem sensual dentro do carro. Os cinemas drive-in surgiram nos anos 30 nos Estados Unidos, se espalharam pelo mundo e quase desapareceram (em Brasília ainda há um sobrevivente, o Cine Drive-in Brasília).

Com a pandemia, eles estão voltando com tudo graças ao combo cinema + isolamento social. Claro que só faz sentido ver o filme com as pessoas que estão isoladas junto com você – mais do que isso, já pode contabilizar como quebra de quarentena, ok?

O Chicken or Pasta fez um apanhado sobre os cines ao ar livre que abriram nos últimos meses pelo Brasil.

4. Na Sicília turista paga meia

Não é apenas o Japão que promete pagar parte da viagem, mas também a Sicília. A região da Itália planeja cobrir 50% dos gastos em voos e até um terço das despesas com hospedagem, além de oferecer ingressos gratuitos para museus e sítios arqueológicos.

A iniciativa busca promover o turismo na região e, com isso, movimentar a economia pós-pandemia. Entretanto, ainda não há detalhes de como será a dinâmica dos benefícios.

Leia também

Praia da Sicília
Foto: Flo P

5. Um concerto para plantas

Uma enorme “planteia” com mais de 2.000 verdinhas assistiu a um concerto na reabertura do Liceu de Barcelona. A ópera “Concierto para el Bioceno” foi a primeira realizada no local após o fim do confinamento na Espanha.

Olha o vídeo dessa belezura sem igual:

6. Tem casas por 1 euro na Itália

Eu sinto dizer que não vai dar para visitar a Itália tão cedo, apesar das ótimas notícias que chegam de lá. Nossas primeiras viagens, quando tudo voltar ao “normal”, serão por território nacional mesmo.

Ainda assim, dá um quentinho no coração ver que a Itália voltou a oferecer casas por 1 euro para venda. A novidade surgiu na cidade de Cinquefrondi, que não reportou nenhum caso de coronavírus mesmo nos piores momentos da pandemia.

A oferta vale para casas localizadas na parte histórica da cidade, mas tem um porém: o imóvel deverá ser renovado em no máximo três anos. Um seguro no valor de 250 euros será cobrado anualmente até que a construção esteja completa.

Quem não conseguir reformar o imóvel em tempo arca com uma multa no valor de 20 mil euros. O prazo, no entanto, não costuma ser um problema. Segundo a CNN, reformas em imóveis similares em outras cidades que fazem parte do projeto costumam ser finalizadas em um ou dois anos.

Para conhecer os imóveis à venda, basta entrar em contato através do e-mail protocollo@pec.comune.cinquefrondi.rc.it.

Do mundo à mesa: como fazer o aperitivo italiano em casa

7. Visto para nômades digitais na Estônia

Enquanto as fronteiras do mundo se fecham por questões de segurança, a Estônia decidiu seguir na contramão e está lançando um visto para nômades digitais que queiram viver no país.

Segundo o Lonely Planet, foram anunciados 1.800 vistos anuais para estadias de longa duração. O foco é atrair estrangeiros que queiram gastar seu dinheiro na Estônia, mas sem inflar o mercado de trabalho nacional. Graças a isso, o principal critério para aceitação deve ser a capacidade de demonstrar rendimentos estáveis.

Rummu, na Estônia. Foto: Ivars Krutainis

8. Bônus-restaurante na Bélgica

A Bélgica criou uma medida incomum para recuperar o país da crise causada pelo coronavírus, como informa o Lonely Planet.

Além de aumentar sua licença paternidade, o governo apostou em um bônus de 300 euros para gastos nos setores mais afetados pelo confinamento, como restaurantes, museus e teatros.

Em apenas três horas é possível fazer uma road trip completa na Bélgica

Leuven, na Bélgica. Foto: Tobias Cornille

9. Distanciamento social divertido na Alemanha

Com a reabertura do comércio e das fronteiras na Europa, os estabelecimentos buscam formas criativas de manter o distanciamento social.

O Café Rothe, em Schwerin, Alemanha, decidiu criar uma regra para que seus clientes mantenham a distância necessária entre si: usando chapéus de macarrão de piscina (aquela boia em formato cilíndrico). No final, todo mundo sai ganhado: além de os clientes estarem mais protegidos, o visual meio ridículo acaba tornando o momento do cafezinho mais divertido.

Foto: Café & Konditorei Rothe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *