Você já sabe, mas não custa repetir. É hora de ficar em casa.

Acontece que nós também sabemos que o seu apetite por viagem não vai sossegar durante a quarentena. Então como faz?

Vamos pra cozinha testar algumas receitas de pratos vegetarianos internacionais. Assim a gente faz algo de produtivo nestes dias de isolamento, amplia a nossa cultura gastronômica e não contribui para o maltrato de nenhum bichinho.

Pratos vegetarianos internacionais

Separamos aqui 13 receitas especiais vindas de diversos cantos do mundo. Todas elas são veganas ou vegetarianas e prometem uma incursão a um novo universo de sabores.

Badrijani – Geórgia

Prato típico da Geórgia que vai fazer as suas papilas gustativas agradecerem por existir. Essa receita à base de berinjelas recheadas com creme de nozes é muito comum no país.

Tem receita no Comedores de Paisagem.

Badrijani, prato vegetariano internacional da Geórgia
Badrijani. Foto CC BY-SA 2.0 salvagekat

Babaganoush e Húmus- Gastronomia árabe

Duas delícias clássicas da gastronomia árabe, essas pastinhas são perfeitas para uma entrada ou como acompanhamento para o prato principal, seja ele qual for.

Os dois levam tahine e limão, mas a base do babaganoush (ou babaganuche, na versão abrasileirada) é berinjela, enquanto o húmus é feito com grão-de-bico.

Este vídeo do Presunto Vegetariano traz uma dica de como fazer não apenas uma, mas AS DUAS pastinhas. Viva com isso!

Dica extra: experimente comer com pão pita e você vai se arrepender de não ter provado antes.

Vasinha de babaganoush
Vai um pouquinho de babaganoush aí? Foto via

Dahl de lentilhas – Índia

Quem ama uma lentilha vai se apaixonar pela maneira como os indianos preparam o seu dahl. Com especiarias que são a marca do país, o preparado promete levar o seu paladar para longe.

Vale experimentar a receita publicada pela Juliana, no blog Vegana Prática, que fez um dahl superprático usando lentilhas vermelhas.

Falafel – Oriente Médio

Como lembra a reportagem publicada no Paladar, do Estadão, o falafel não tem apenas uma origem. A sua criação é reivindicada por libaneses, egípcios, sírios, israelenses e diversas outras nações do Oriente Médio.

O bolinho de grão-de-bico é sucesso por onde passa, mas a receita mais comum no Brasil é a que vem de Israel. Nos outros países, é comum misturar favas verdes na massa – e no Egito ela é feita apenas com estas últimas.

No Panelinha, a Rita Lobo divulga uma receita prática de falafel de grão-de-bico para testar em casa.

Ratatouille – França

Prato francês por excelência, o ratatouille é fácil de fazer e saudável. Trata-se de uma mistura de vegetais que pode se transformar em um perfeito acompanhamento ou mesmo no prato principal.

No Presunto Vegetariano, tem dica explicando todos os passos para fazer um ratatouille ao forno – são poucos, eu garanto. Com um pouco mais de disposição, é possível se aventurar na receita original, em que os legumes são preparados em uma panela, como um ensopado. Nesse caso, aproveita a receita divulgada pelo Na Cozinha da Helô.

Guacamole – México

Guacamole já virou quase um sinônimo da gastronomia mexicana ao redor do mundo. No Tempero de Família, Rodrigo Hilbert compartilhou as suas dicas para adicionar o toque mexicano às refeições.

O guacamole pode ser usado para acompanhar nachos, torradinhas ou o que a sua imaginação mandar. Já experimentou?

Dicas para quem está planejando ir para o México

Shakshuka – Israel

O shakshuka é de origem israelense e pode ser consumido por ovo-lacto-vegetarianos. Basicamente, trata-se de um molho vermelho que leva ovos após cozido.

Parece estranho, mas garanto que o amor mora nesse prato. Tem receita de shakshuka no blog da Aline Rocha, o Sem Pressa de Voltar – já entrevistamos ela sobre turismo gastronômico aqui.

  Shakshuka
Shakshuka. Foto CC BY-SA 3.0 Calliopejen1

Risoto – Itália

Depois da massa, o risoto é sem dúvida um dos pratos mais versáteis e conhecidos da Itália.

Os meus preferidos são de limão-siciliano, que serve como acompanhamento (veja receita do Paladar Estadão) ou de cogumelos, que é um prato principal perfeito (aqui tem um passo a passo feito pela Rita Lobo).

Cuscuz de vegetais – Marrocos

A gastronomia do Marrocos é do tipo ame ou odeie e o cuscuz é sem dúvida um dos pratos mais marcantes no país. Seja nos restaurantes mais simples ou nos mais sofisticados, você provavelmente encontrará alguma versão de cuscuz para experimentar.

Como não dá para viajar agora, o Uol tem uma receita detalhada de cuscuz marroquino para testar em casa.

Gaspacho – Espanha

O verão está acabando no Brasil, mas ainda dá tempo de provar essa sopa perfeita para os dias quentes. Sopa no calor? É isso mesmo! Na Espanha, o gaspacho é servido frio, geralmente como entrada.

A receita é tão simples que tudo pode ser feito em minutos, mas o ideal é deixar o preparado na geladeira por pelo menos seis horas antes de consumir. Receita neste link.

Empanada de humita – Argentina

Todo o mundo conhece as empanadas argentinas, mas pouca gente experimenta um dos sabores mais tradicionais do país: humita. Nesse caso, o recheio é feito de milho, um dos ingredientes mais tradicionais da América Latina.

O Globo disponibilizou a receita das empanadas neste link. Bora brincar de Master Chef em casa?

Chakalaka – África do Sul

O sabor de África do Sul é encontrado no chakalaka, um prato à base de feijões, que costuma ser preparado com uma dose extra de pimenta. Normalmente, acompanha o churrasco ou outras carnes, mas ele também fica uma delícia como refeição principal.

Tem receita da Rosa, do Be Nice Eat a Cake, preparada com grão-de-bico no lugar do feijão.

Lamen – Japão

Existem muitas versões do lamen (ou ramen). Algumas levam carne, é verdade, mas também há uma boa variedade de receitas vegetarianas para provar essa delícia com gosto de Japão.

No Presunto Vegetariano tem dicas para fazer um lamen com cogumelos que é dos sonhos.

Bônus: pratos vegetarianos internacionais

Você é do tipo que ama viajar pelos sabores dos outros países? Uma boa dica para descobrir novos pratos vegetarianos internacionais é usar o Taste Atlas.

O site lista comidas típicas de todo o mundo em um mapa interativo e você pode criar as suas próprias versões sem carne. Falamos sobre esse recurso aqui.

Bon appétit !

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *