Faz tempo que o México deixou de ser um destino exótico e começou a entrar nos roteiros de todo tipo de viajante. Que culpa eles têm se o país oferece paisagens que vão de praias a montanhas e, de quebra, ainda permite uma espichada até uma de suas muitas zonas arqueológicas para conhecer mais da cultura mesoamericana?

Tudo isso é bom, mas melhor ainda é saber que viajar para o México é quebrar estereótipos a cada esquina e descobrir um país imenso, repleto de atrativos culturais e naturais. A alegria de viver dos mexicanos é outro ponto fundamental para fazer com que qualquer desavisado caia de amores por estas terras.

Por não estar ainda na rota turística, sempre há algumas coisas a levar em consideração antes de montar o roteiro para o México. Para não pensar duas vezes antes de comprar suas passagens, listamos aqui algumas das principais dúvidas dos viajantes.

O que fazer no México

Para começar, é bom levar aquele choque de realidade: o México é imenso.

Ele fica logo abaixo dos Estados Unidos no mapa, do ladinho de Belize e da Guatemala. Embora muita gente ache que o país já é parte da América Central, isso é um engano danado: o México fica na América do Norte.

Olha só ele no mapa!

Agora que a gente já lembrou que o México é gigante, é claro que não vai ter como conhecer tudo. Mas sempre é possível planejar os destinos da sua viagem de acordo com o que pretende ver:

  • Cidade do Méxicoa “São Paulo” mexicana, perfeita para conhecer museus como o de Frida Kahlo, ou mesmo visitar a zona arqueológica de Teotihuacán.
  • Cancúnpraias, resorts e muito agito no litoral mexicano. De lá também saem tours para conhecer as pirâmides de Chichén Itzá, em Yucatán.
  • Playa del Carmen: uma espécie de Cancún lado B, onde é possível curtir as praias por conta própria ou fazendo festa em um dos muitos clubes que se estendem pela areia.
  • Guadalajara: se você pensou em mariachis, é provável que Guadalajara seja o lugar perfeito para suas férias.
  • Oaxaca: uma cidadezinha mexicana digna de filme, com um centro histórico repleto de casinhas coloridas e muito artesanato local sendo vendido pelas ruas. Também é conhecida por sua excelente gastronomia.
  • São Cristóbal de Las Casas: cidadezinha que foi tomada pelo movimento zapatista em 1994 e até hoje reúne pessoas de todo o mundo interessadas em conhecer mais de sua história.
  • São Miguel de Allende: considerada a cidade mais bonita do México em 2016, ela é uma parada quase obrigatória para quem não perde a oportunidade de curtir um vilarejo charmoso.
San Miguel de Allende. Foto: Jezael Melgoza/Unsplash

Encontre em nosso site sua passagem aérea para o México!

O México é perigoso para turistas?

A resposta aqui é sim e não.

É claro que o México não é um oásis de tranquilidade – na verdade, nenhum lugar no mundo é. Mesmo assim, você não vai viver em um filme policial com cadáveres estendidos pelas ruas. A Cidade do México oferece mais ou menos a mesma segurança do que qualquer grande cidade brasileira.

Sempre é bom ter cautela e evitar ruas muito afastadas ou desconhecidas. Nas cidades menores, o centro histórico e as áreas turísticas costumam ser lugares bastante seguros. Na capital, os bairros de Condesa, Roma e Polanco são zonas nobres e oferecem boa segurança aos viajantes, enquanto o Zócalo é mais famoso por crimes leves, como batedores de carteira (iguais aos que você encontra em qualquer cidade europeia).

Confira aqui mais dicas de onde se hospedar na Cidade do México

Jardim botânico Zapotitlan Salinas. Foto: Andrés Sanz/Unsplash

Apesar disso, o México se situa em uma zona altamente sísmica e, portanto, existe o risco de que ocorram terremotos no país. No litoral e, especialmente em Cancún, há ainda perigo de furacões. Os dois fenômenos naturais, embora ocorram no país, não são frequentes e não deveriam intimidar os viajantes, visto que a chance de ser afetado é muito pequena.

A comida mexicana

Se você é acostumado à comida baiana, não vai se assustar em nada com a comida mexicana. De parecido não há muito, apenas o gosto pelo picante.

Felizmente, a fama de usar muita pimenta foi tão longe que os próprios mexicanos se encarregam de cuidar do paladar do visitante. Em restaurantes e bares, é normal que o atendente explique quais pratos e molhos são picantes e quais não são. Assim, ninguém é pego de surpresa.

Foto: Joseph Grazone/Unsplash

Se quiser provar a gastronomia local, arrisque ir além das tortillas e quesadillas. Aposte um tlayudas em Oaxaca, experimente o mole poblano em Puebla e coma chapulines (gafanhotos). Peça um delicioso pozole, tamales, esquites. Prove comer nopales, um cacto comestível que se prepara de diferentes maneiras ao longo do país. Pela manhã, chilaquiles são um prato forte, mas com sabor de México.

Tudo pode ser acompanhado com águas de sabores: tamarindo, horchata (feita com arroz) e de jamaica (com hibisco) são as mais comuns. Elas ajudam a refrescar nos dias quentes e secos do país.

Quando ir pro México?

Como falamos lá em cima, o México é um país bastante diverso e o seu clima também varia ao longo do território. Apesar disso, é comum encontrar dias quentes e noites mais frescas durante os meses de inverno e temperaturas mais altas no verão.

Nas zonas costeiras, costuma fazer calor o ano inteiro, com chuvas fortes em algumas épocas do ano. No litoral, é importante ficar atento à temporada de furacões – em Cancún, ela vai de agosto a novembro, meses que também caracterizam a época mais chuvosa da cidade. Na Cidade do México, o clima costuma ser agradável o ano inteiro e a temporada de chuvas se concentra entre os meses de julho e agosto.

Chichén Itzá. Foto: Filip Gielda/Unsplash

Antes de seguir viagem, pesquise direitinho a temperatura de cada região. Mesmo sendo um país de clima predominantemente quente, há inclusive montanhas nevadas no México. 

Preciso de visto para visitar o México?

Desde 2013, brasileiros não precisam mais emitir um visto para visitar o México a turismo ou a negócios, por até 180 dias (cerca de 6 meses).

Entretanto, os seguintes documentos podem ser solicitados na entrada ao país:

  • passagem de saída
  • passaporte com pelo menos seis meses de validade
  • comprovante de hospedagem
  • comprovante de fundos para se manter durante a viagem
  • documentos que comprovem o motivo da viagem

O México não solicita nenhum tipo de vacina aos brasileiros. Para mais informações sobre a entrada no país, consulte o site do Consulado-Geral do Brasil no México.

Valladolid. Foto: Filip Gielda/Unsplash

Como levar dinheiro para o México

A moeda em uso no país é o peso mexicano. A título de comparação, um real vale cerca de cinco pesos mexicanos, de acordo com o câmbio de hoje (dez/2018). Não é recomendado trocar a moeda antes de sair do Brasil, visto que as casas de câmbio brasileiras operam com taxas desfavoráveis para essa transação.

O mais indicado é viajar com dólares ou reais e trocá-los na chegada. E, se for ficar apenas na região do Caribe mexicano, saiba que muitos locais aceitam dólares. As casas de câmbio do aeroporto da Cidade do México costumam oferecer boas cotações para troca de moeda, mas o mesmo não ocorre no aeroporto de Cancún.

Passagem para Cancún? Confira aqui!

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *