A terra da paella valenciana, além de ser privilegiada por uma gastronomia de dar água na boca, também é beneficiada por sua excelente localização na costa do mar mediterrâneo, com um clima quase que perfeito durante o ano todo, com aproximadamente 300 dias de sol por ano, ou seja, para quem prefere calor Valência é a cidade certa,...

Leia Mais
  • População 786.424 mil

  • Hora local 11:20

  • 1 Euro R$ 4,20

  • Temperatura local 27.81º Ver previsão

Calcule quanto irá custar sua viagem para Valência

Atrações turísticas em Valência

Veja todos

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Valência

Hospedagem em Valência

menor valor maior valor
Apartamento R$ 143,34 R$ 1.846,52
Pousada R$ 147,55 R$ 548,05
Albergue R$ 239,50 R$ 360,03
Hotel R$ 261,80 R$ 709,52

Alimentação em Valência

Média de preços por dia com base em centenas de experiências

  • Café da manhã


    R$ 27,23 € 6.48 a R$ 47,40 € 11.28
  • Almoço


    R$ 45,39 € 10.80 a R$ 78,67 € 18.72
  • Jantar


    R$ 52,74 € 12.55 a R$ 85,73 € 20.40

Guia Valência

A terra da paella valenciana, além de ser privilegiada por uma gastronomia de dar água na boca, também é beneficiada por sua excelente localização na costa do mar mediterrâneo, com um clima quase que perfeito durante o ano todo, com aproximadamente 300 dias de sol por ano, ou seja, para quem prefere calor Valência é a cidade certa, podendo ser visitada praticamente durante o ano todo.

Valência é a terceira maior cidade da Espanha, fica a mais ou menos 3 horas de trem da famosa Barcelona e a aproximadamente 2 horas de trem da capital Madri e é uma das cidades mais conhecidas e visitadas de toda Espanha.

E para aproveitar o que a cidade tem de melhor, segue algumas sugestões de passeios: aproveitar um dia da viagem para curtir uma praia como os valencianos; fazer uma aula de culinária para aprender (tentar aprender) a cozinhar a deliciosa paella valenciana; conhecer o Mercado Central de Valência; caminhar pelo centro antigo, chamado de Velha Valência; conhecer a Lonja de La Seda, declarada Patrimônio Histórico da Humanidade pela Unesco, um monumento símbolo da importância de Valência no século XVI e visitar as obras do super arquiteto Santiago Calatrava, uma delas chamada de Ciutat de les Arts i de les Ciènces, que foi um mega projeto arquitetônico para renovar um bairro considerado decadente. O Centro de Artes e Ciência é um complexo que abriga lugares como por exemplo um oceanógrafo, considerado um dos maiores da Europa. E para quem quiser mesmo se sentir como um valenciano, tire um bom cochilo após o almoço, mais conhecido como siesta!

Em relação à gastronomia, o Mercado Central é uma boa e econômica opção para provar as tapas, mas Valência estará sempre ligada à paella, afinal foi lá que o prato conhecido mundialmente nasceu, uma mistura de arroz, açafrão, azeite, frango, tomate entre outros ingredientes. E para provar a verdadeira paella valenciana, o The New York Times indica os restaurantes La Pepica e L’Estimat.

Muita gente conhece Valência em uma breve parada antes de ir para as ilhas baleares ou então combinada com outra cidade da Espanha. Não importa qual o roteiro da viagem, Valência será sempre uma excelente combinação de roteiro, revelando-se uma grata surpresa pois a cidade que é a cara da Espanha!  

Como chegar

Infelizmente não há voos diretos das principais cidades brasileiras para Valência. Nesse caso, o turista deverá fazer uma conexão na própria Espanha – de preferência Madri ou Barcelona – ou então em alguma outra capital europeia. O Aeroporto Internacional de Valência – Manises (VLC) está situado a apenas 8km do centro e recebe voos principalmente de outras áreas do país. Para sair do hub aéreo, o turista pode optar por ônibus ou metrô, com viagens que apresentam duração média de 20 minutos.

Já para aqueles que estão na Espanha, outra boa pedida é utilizar trens. A cidade é conectada com basicamente todos os cantos do país por meio da Estación de Valencia – Joaquín Sorolla, situada próxima ao centro da cidade. Para quem quer evitar todo o trâmite que envolve ir e voltar de aeroportos, essa é a opção mais indicada (mesmo que os preços dos bilhetes nem sempre sejam baratos). Há, inclusive, um trem de alta velocidade que transita entre Madri e Valência (o AVE – Alta Velocidad Española – operado pela RENFE) que demora apenas 1h40 entre os dois municípios. Já o trem mais rápido de Barcelona até o local demora 3h20, pois não há carros de alta velocidade operando nesse trecho.

Para quem está com o budget mais limitado há também a possibilidade de chegar ao município através de ônibus. Tanto de Madri quanto de Barcelona são cerca de 4h de estrada, sendo que a viagem pode ser feita com as companhias Avanza e Alsa. A chegada acontece pela Estación de Autobuses de Valencia, localizada ao norte da cidade.

Já para quem vai de carro, Valência está separada por 357km de Madri e 351km de Barcelona, sendo que ambos os percursos demoram cerca de 3h30. Se essa for a sua opção, lembre-se de alugar uma hospedagem com estacionamento para não ter eventuais dores de cabeça.

Vida noturna

Para quem gosta de badalar após o fim do horário comercial, a cidade espanhola garante boas opções de entretenimento noturno. Via de regra, tudo começa tarde em Valência. Os restaurantes geralmente não servem seus jantares antes das 22h, enquanto as danceterias atingem o seu auge somente às 2h da manhã.

Um dos lugares mais boêmios da cidade é o Barrio del Carmen, que fica no centro do município. Por lá, o turista poderá se deliciar com tapas, além de experimentar um autêntico vinho espanhol. É nessa região ainda que ficam muitos restaurantes, bares e pubs, sendo uma boa pedida para aqueles que pretendem provar a paella valenciana. A Praça Negret é uma área muito procurada da região e, portanto, uma das mais interessantes também!

Agora se você está em busca de preços mais baratos, ao redor da Universidade de Valência também ficam muitos estabelecimentos que surgem como boas alternativas ao viajante. Dê atenção especial para a Avenida de Aragon, a Plaza del Cedro e a Avenida Blasco Ibáñez, que costumam juntar bastante gente ao longo de suas extensões e abrigam estabelecimentos bem badalados.

Em Ruzafa, bairro localizado ao sul da cidade, o que predomina é o clima descolado e a alternância entre bibliotecas e bares. O distrito tem caído cada vez mais nas graças do público, por mesclar o vanguardismo dos tempos modernos com o tradicionalismo local. Por lá espere encontrar muitas tapas e estabelecimentos especializados em jazz e rock.

Outras regiões que devem ser cogitadas são o Conde de Altea, bairro de classe média que acomoda alguns dos clubes mais chiques da cidade, e a Praia Malvarossa, que contém a maior concentração de casas noturnas de alto padrão de Valência.

Seja qual for a região escolhida, a cidade espanhola consegue garantir a diversão do turista como poucas outras conseguem fazê-lo!