Nos anos 30, bem no coração de um vale entre as montanhas da Cordilheira dos Andes e a nascente do rio Atuel, na Argentina, funcionava o imponente Hotel Termas el Sosneado. A arquitetura da construção inovadora para a época e a linda paisagem ao redor, juntamente com um complexo de águas termais, tinha tudo para ser um sucesso no país.

Isso realmente aconteceu e assim seguiu trazendo fama para a região até meados de 1953, quando o hotel foi desativado. A principal razão para fechar o empreendimento, segundo informações históricas no local, aponta que o fluxo de visitantes reduzia durante o inverno, a principal época do ano para o turismo termal. Essa redução acontecia porque as estradas para chegar ao hotel eram ruins e ficavam ainda mais complicadas cobertas de neve.

Há também quem diga que a construção foi atingida por uma avalanche, mas na verdade ninguém tem informação oficial sobre o motivo que levou ao fechamento do hotel. Com o local abandonado, o Hotel Termas el Sosneado se tornou uma ruína, mas conserva até hoje as fontes de águas termais que muita gente pode aproveitar gratuitamente.

Localizado a 336 km de Mendoza e 198 km de San Rafael, quase na divisa com o Chile, esse é o tipo de viagem perfeita para os aventureiros de plantão, já que chegar a esse lugar histórico para curtir o visual e tomar um banho não é nada fácil.

Partiu, Argentina? Encontre sua passagem aérea para Mendoza aqui!

Como chegar a Termas el Sosneado

O caminho para chegar às Termas El Sosneado não é dos mais simples. Um trechinho é feito pela Ruta 40, mas o restante segue-se em estradas bem complicadas, esburacadas, com cascalhos e muitas pedras soltas pela pista — em alguns momentos, pode ser necessário até atravessar riachos.

Dirigir requer muita atenção, um veículo com tração 4×4 e cautela, já que raramente se vê uma pessoa ou outros carros durante o trajeto. Caso algum imprevisto aconteça, saiba que a região não tem sinal de celular nem casas pela vizinhança para pedir ajuda e você pode se ver em um verdadeiro perrengue.

Sabendo dessas dificuldades, muita gente fecha passeios com agências em San Rafael ou excursões com saídas de Mendoza para conhecer as Termas El Sosneado. E quem faz isso não se arrepende!

O esforço que vale a pena

Durante todo o passeio, a vista para as montanhas é incrível. Existem formações montanhosas, vales, riachos que escorrem do alto das montanhas, lagoas, pontes antigas entre outras atrações naturais para apreciar. O rio Atuel fica ao lado da estrada durante toda a jornada e também rende pausas de tirar o fôlego.

Seguindo nesse cenário dos sonhos, alguns quilômetros à frente o visitante se depara com os restos do antigo hotel abandonado e suas piscinas termais que surgem como se fossem fantasmas. Um velho guerreiro que fica no meio do nada!

A construção de três andares do Hotel Termas El Sosneado era inovadora para a época, toda feita com concreto e pedras. As montanhas ao fundo com o topo sempre coberto de gelo não escondem de ninguém que se hospedar ali era algo para poucos. Uma pena que o local foi abandonado, saqueado e deixado às moscas.

Se ficar em um hotel como esse não é mais possível, entrar em uma das piscinas ainda está garantido. As águas termais brotam de uma fonte natural localizada a poucos metros do hotel e um sistema de canalização d’água garante que essas grandes banheiras ao ar livre fiquem sempre abastecidas.

Com coloração leitosa graças a sua composição sulfurosa, as águas termais emitem um odor desagradável de enxofre que impregna na pele. Mas é justamente por conta disso que muitos recorrem a esse tipo de banho, já que as águas têm ações curativas e fazem uma limpeza profunda dos poros.

Foto: reprodução / TripAdvisor

Outra informação que ajuda a deixar a região com ainda mais toque de mistério é que a 10 km de distância do Hotel Terma El Sosneado foi exatamente o local onde aquele avião do time de rugby uruguaio caiu.

Essa história do acidente do avião é bem famosa e rendeu até o filme Vivos, baseado em fatos reais, já que 16 pessoas sobreviveram à queda e até precisaram comer os restos mortais de amigos congelados para não morrer. Os passageiros Canesa e Parrados caminharam por 10 dias nos Andes até conseguirem resgate e se tivessem feito isso para a direção oposta, teriam encontrado o Hotel Termas el Sosneado — e sabe-se lá como a história teria terminado.

O fato é que com mistério, com extrema dificuldade de ser alcançado, mas com um visual que compensa todo esse desafio, quem tem a oportunidade de pisar nessa região volta totalmente apaixonada. Você curtir fazer um tour como esse?

Confira aqui hospedagens em San Rafael

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *