Genebra é a segunda maior cidade da Suíça. Banhada pelo lago Léman e às margens do rio Ródano, o destino, além de turístico, tem uma importância enorme no cenário mundial por ser a sede de organizações de grande relevância. A famosa neutralidade suíça, conquistada em 1815, transformou Genebra...

Leia Mais
  • População 188.634 mil

  • Hora local 03:25

  • 1 Franco suíço R$ 3,45

  • Temperatura local 15.71º Ver previsão

Calcule quanto irá custar sua viagem para Genebra

Atrações turísticas em Genebra

Veja todos

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Genebra

Hospedagem em Genebra

menor valor maior valor
Albergue R$ 359,77 R$ 419,42
Hotel R$ 394,84 R$ 3.366,88
Apartamento R$ 394,84 R$ 770,32

Alimentação em Genebra

Média de preços por dia com base em centenas de experiências

  • Café da manhã


    R$ 41,00 CHF 11.88 a R$ 63,99 CHF 18.54
  • Almoço


    R$ 60,47 CHF 17.52 a R$ 103,54 CHF 30.00
  • Jantar


    R$ 76,21 CHF 22.08 a R$ 123,84 CHF 35.88

Guia Genebra

Genebra é a segunda maior cidade da Suíça. Banhada pelo lago Léman e às margens do rio Ródano, o destino, além de turístico, tem uma importância enorme no cenário mundial por ser a sede de organizações de grande relevância. A famosa neutralidade suíça, conquistada em 1815, transformou Genebra em um grande centro administrativo do humanitarismo.

A cidade abriga mais de 200 organizações internacionais, como as sedes da ONU (Organização das Nações Unidas), da Cruz Vermelha e da OMC (Organização Mundial do Comércio). E também concentra uns inúmeros bancos mundialmente reconhecidos por garantirem sigilo absoluto.

Mas a maior contribuição de Genebra para o mundo reside em seu caráter multicultural. Conhecida como a cidade mais internacional da Suíça, o destino reúne pessoas de muitas nacionalidades. Cerca 43% dos seus 185 mil habitantes são estrangeiros, que convivem em perfeita harmonia a despeito da variedade de idiomas, preferências gastronômicas e manifestações artísticas. Por isso mesmo, a receptividade com o turista costuma ser boa.

O idioma local é o francês, porém a língua inglesa está bastante difundida em toda a cidade.

A Capital da Paz conquista o turista desde o primeiro instante por reunir de tudo um pouco em um só lugar: belezas naturais, arte e cultura, gastronomia de qualidade, história, atrações diversas e oportunidades de compras, com destaque para a renomada indústria relojoeira local.

O clima multicultural da cidade traz uma riqueza imensa aos teatros, óperas, mais de 1.300 cafés e restaurantes de gastronomia requintada, além de aparecer na história retratada em dezenas de museus. Além do mais, não poderíamos deixar de mencionar que a cidade fica próxima de outros destinos turísticos, entre eles Lausanne e Montreux, na Suíça, e Chamonix, na França.

Genebra é uma cidade com opções para os mais variados públicos. O famoso Jet d'Eau, um chafariz que jorra água em uma altura de até 140 metros, é, possivelmente, o ponto turístico mais famoso e fotografado de Genebra. O Jardim Inglês, um parque que fica de frente para o lago Léman e onde está o Relógio Florido é outro ponto marcante.

Para quem quer se sentir um pouco parte da história, a sede da ONU é parada obrigatória assim como a a praça que fica em frente ao local. Por lá, é possível ver o icônico monumento da Cadeira Quebrada. Trata-se de uma cadeira enorme com três pernas íntegras e uma quebrada. Foi criada pelo artista suíço Daniel Besset, em 1997, como protesto contra as minas terrestres utilizadas nas guerras.

Dois museus imperdíveis de Genebra são, ainda, o Museu da Cruz Vermelha, uma verdadeira aula de história da ação humanitária, e também o sítio arqueológico da catedral de São Pedro, cujo templo foi erguido em 1160. Interessados pela história da tradicional indústria relojoeira local podem incluir o Museu Patek Phillipe em seu roteiro.

A dica na cidade é adquirir o Geneva Pass que dá livre acesso a vários pontos turísticos e permite o uso ilimitado de transporte público. Ao contrário da maioria dos passes de outras cidades europeias, com o Geneva Pass o turista não precisa visitar uma grande quantidade de atrações para fazer o investimento valer a pena.

Como chegar

Partindo do Brasil não há opções de voos diretos para Genebra, isto é, sempre haverá uma conexão em uma cidade europeia. As mais comuns são em Madri, Lisboa, Paris, Frankfurt e Londres, mas tudo vai depender da companhia aérea que você escolher, já que há muitas opções. Ao chegar na cidade, você irá desembarcar no Aeroporto Internacional de Genebra (GVA), que está a cerca de 15 minutos do centro.

Do aeroporto, os ônibus de número 5, 10, 23 e 28 levam os passageiros ao centro da cidade. Dentro do aeroporto há máquinas que disponibilizam um bilhete gratuito para os transportes públicos válido por 60 minutos. Se preferir um transporte mais cômodo, basta se dirigir à fila de táxis que se encontram logo na saída do aeroporto.

Uma alternativa para realizar uma rota direta do Brasil para a Suíça é através dos voos que partem do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, para Zurique. Depois, a partir de Zurique, é possível ir para Genebra de trem, uma viagem que vale bastante a pena pelo visual! Você irá descer na estação de Gare Cornavi, onde há trens que partem e chegam de diversas partes da Europa, como Paris, Viena e Milão.

Além do trem, se você já estiver pelo Velho Continente, pode aproveitar para viajar para Genebra com as companhias aéreas de baixo custo, como Ryanair e Easy Jet, ou também de ônibus com a Eurolines. Como muitas vezes Genebra é apenas um dos destinos em uma viagem ao redor da Europa, essa talvez seja a forma mais econômica, pois você pode comprar uma passagem de avião barata desde o Brasil para outro lugar na Europa, como Lisboa e Madri, e depois seguir para Genebra de trem, ônibus ou voo comercial.

Vida noturna

Genebra tem a reputação de ser uma cidade séria e refinada, mas mesmo em um lugar sofisticado é possível encontrar diversão. Depois do expediente, banqueiros, executivos, estagiários de organizações internacionais, estudantes e cientistas se reúnem para relaxar e tomar uma cerveja nos diversos bares e pubs, ou até mesmo cair na noite nos clubes noturnos da cidade.

Muitas baladas de Genebra atendem um público bem específico, então vale pesquisar para achar um lugar que seja do seu perfil. Porém, uma coisa é certa: esteja preparado para desembolsar um bom dinheiro, pois os preços nas casas noturnas são bastante exorbitantes.

Na cidade há várias áreas onde você encontra uma vida noturna vibrante todos os dias da semana. O lugar mais popular para sair à noite é na Rue de l'Ecole-de-Médecine, próximo ao Plainpalais. Esta é uma rua cheia de bares e pubs que não são tão caros.

Um lugar bem diferente para aproveitar a noite é na Place de l'Ile, uma ilha no meio do rio Rhône. Ali você pode apenas relaxar e tomar uns drinques em um bar despojado, como o La Barje des Volontaires, à beira do rio, ou ainda cair na noite no badalado Brasserie des Halles de l'ile.

Já a região de Les Pâquis, a poucos passos da estação de trem, é conhecida por sua população multiétnica e seus diversificados bares e restaurantes. É também um lugar que vive de contrastes, onde luxuosos edifícios à beira do lago e hotéis 5 estrelas se misturam com os mais tradicionais edifícios multiculturais e o Red Light District.

Nas ruas Vartier e Place du Marche, no bairro de Carouge, estão algumas casas noturnas e alguns rooftops famosos, como Chat Noir, Bar La Forge, La Plage, Le Borsalino e Le Marchand de Sable. Todos ficam próximos uns dos outros e geralmente lotam por serem pontos de encontro dos jovens de Genebra.

Os melhores dias para curtir a noite na segunda maior cidade da Suíça são quinta-feira, sexta-feira e sábado. Normalmente, os bares ficam abertos até às 2h da manhã e as casas noturnas até às 5h da manhã.