Gênova, a capital da Ligúria, na Itália, é a quinta maior cidade do país e está localizada próxima de Milão e da fronteira da Itália com a França, a aproximados 175 km de distância. Tem uma zona portuária que é uma das mais importantes do país e muita história para contar através das...

Leia Mais
  • População 639.56 mil

  • Hora local 13:34

  • 1 Euro R$ 4,45

  • Temperatura local 10.14º Ver previsão

Calcule quanto irá custar sua viagem para Gênova

Atrações turísticas em Gênova

Veja todos

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Gênova

Hospedagem em Gênova

menor valor maior valor
Apartamento R$ 175,97 R$ 16.101,09
Pousada R$ 215,04 R$ 566,13
Albergue R$ 236,98 R$ 416,91
Hotel R$ 238,79 R$ 659,88

Alimentação em Gênova

Média de preços por dia com base em centenas de experiências

  • Café da manhã


    R$ 37,42 € 8.40 a R$ 72,70 € 16.32
  • Almoço


    R$ 87,67 € 19.68 a R$ 144,34 € 32.40
  • Jantar


    R$ 103,17 € 23.16 a R$ 161,98 € 36.36

Guia Gênova

Gênova, a capital da Ligúria, na Itália, é a quinta maior cidade do país e está localizada próxima de Milão e da fronteira da Itália com a França, a aproximados 175 km de distância. Tem uma zona portuária que é uma das mais importantes do país e muita história para contar através das construções milenares, das vielas do centro da cidade, das catedrais e até da gastronomia, afinal Gênova é a terra do pesto e da foccacia.

Gênova já ganhou o título de Capital Cultural da Europa no ano de 2004, após ter passado por uma grande renovação, colocando-a entre as cidades mais modernas da Itália. É também cidade natal de ninguém menos que Cristóvão Colombo, embora alguns historiadores contestem tal fato.

No centro histórico, inicie um passeio caminhando para conhecer a cidade e a Piazza de Ferrari é um bom local para começar, com uma fonte de bronze ao centro, nela estão algumas importantes construções históricas e dependendo da sorte, o turista poderá ver na praça alguma apresentação artística ou evento musical. A Piazza Banchi já foi um mercado de grãos, mas hoje é uma praça com muitas bancas de flores e lojas de discos. Outra importante praça é a Piazza Matteotti onde fica o importante Palazzo Ducale, local muito utilizado para exposições artísticas. Caso vá do porto em direção ao centro, prepare-se para uma boa subida e becos estreitos, muitas vezes sem sinalização, mas é um caminho cheio de história, igrejas e algumas lojas para um consumo caso seja difícil resistir às vitrines. Falando em porto, este é outro local que vale a pena conhecer, nele há uma réplica das caravelas de Colombo e é uma região muito agradável seja para uma refeição ou uma caminhada observando os barcos, o farol e o movimento portuário. O porto assim como a cidade, também passou por uma renovação finalizada no ano de 1995 e hoje há vários restaurantes, inclusive o famoso complexo Eataly fica bem ali. Em Gênova há um enorme aquário concorrido entre os turistas e locais, fica na região do porto também.

Gênova não está na rota do turismo convencional, o que pode ser um achado e um atrativo a mais para conhecê-la já que a cidade não é moldada para atrair turistas e consegue assim preservar suas raízes.

Como chegar

Localizada na Riviera Italiana, Gênova está bem próxima da borda que separa a Itália da França. Para quem parte de regiões mais distantes, a chegada mais fácil acontece pelo Aeroporto Internacional de Gênova – Cristóvão Colombo (GOA), que fica a apenas 9km do centro da cidade. Infelizmente não há voos diretos partindo do Brasil, sendo necessário fazer ao menos uma conexão na Itália. Agora para quem já está na Europa, as condições são facilitadas, existindo voos de Roma, Milão, Londres, Munique, Paris, Madri, Moscou e Istambul, por exemplo. O Aeroporto de Milão – Malpensa (MXP), que conecta diretamente com o Brasil, também é uma opção a ser cogitada. Isso porque apenas 145km separam as duas cidades, sendo possível ir de avião até Milão e, depois, alugar um carro ou pegar um ônibus para Gênova.

Mas se você já está no Velho Continente, os trens são preferíveis (pois suas estações ficam mais bem localizadas do que os hubs aéreos). Existem muitos trechos a partir das maiores cidades italianas – caso de Milão, Roma, Veneza, Nápoles e da Região da Toscana – assim como da França e Espanha. Para dar vazão à demanda, dois grandes terminais de trens foram instalados na cidade, o Brignole e o Principe, ambos conectados por transfers. Enquanto o primeiro opera rotas locais e faz conexão com ônibus, o segundo recebe trens que partem de longas distâncias.

Agora para quem quer economizar, especialmente se já estiver na Itália ou na França, a boa pedida é ir para Gênova de ônibus. Há uma grande disponibilidade de conexões com a cidade, especialmente de outras localidades italianas e da Riviera Francesa. Para rotas internacionais, opte pela Eurolines, companhia que opera trechos da Europa toda até a região de Milão, sendo necessário pegar depois um ônibus regional para Gênova.

Apesar de ser uma forma mais alternativa, é possível chegar ao município também por meio de barcos. Por ter um dos portos mais importantes da nação, a cidade acaba disponibilizando um grande número de ferry boats. Algumas das rotas que operam diretamente até Gênova partem de Barcelona (Espanha), Bastia (França), Valletta (Malta), Tangier (Marrocos) e Tunis (Tunisia), além de lugares da própria Itália, como Olbia, Porto Torres e Palermo. O complexo portuário ainda recebe cruzeiros internacionais que navegam pelas águas do Mediterrâneo.

Mas se você está fazendo uma road trip pelo país, não hesite em chegar à Gênova com seu carro. A cidade grande mais próxima do local é Milão, localizada a 145km de distância. O percurso a partir da Riviera Francesa também não é longo. De Nice são aproximadamente 195km, o que também viabiliza a escolha desse meio de transporte.

Vida noturna

Não apenas de mar e paisagens estonteantes vive a urbe italiana. Aliás, aqui foi um dos lugares que testemunhou a popularização do L’Aperitivo, um ritual iniciado na década de 1920 nas cidades do norte do país (como Gênova, Turin e Milão). O conceito é simples: após um dia de trabalho cansativo, você combina com um grupo de amigos para beber e comer algo antes de ir para casa. Geralmente se opta por um drink amargo, como Campari, Aperol ou Aperol Spritz, para acompanhar petiscos rápidos e saborosos. A ideia é a mesma do famoso Happy Hour, porém com um glamour bem italiano, sendo os encontros feitos em piazze (praças) e vicoli (pequenos becos e ruelas).

Para quem quer entrar na onda do L’Aperitivo, Gênova garante algumas localidades onde a vida noturna é bem efervescente. O Centro Histórico é com certeza o coração pulsante de quem procura por agitação, não apenas para um drink rápido, como também para jantares e noitadas madrugada adentro. Piazza Lavagna e Piazza Delle Erbe são dois pontos de referência, com diversos restaurantes e bares disponíveis. Ainda no centro, o viajante poderá contar com a Piazza di Ferrari e o Palazzo Ducale, regiões onde tratorias e bares se apinham lado a lado. É nessa área ainda que fica grande parte dos pubs e danceterias, que atraem a atenção dos jovens que querem badalar e paquerar até o sol raiar.

Nos meses mais quentes do ano, uma boa pedida é também curtir pela Corso Italia, a avenida que margeia a costa da cidade. Por lá existem estabelecimentos que unem duas das principais qualidades procuradas pelos turistas: belas paisagens e boa culinária. Ainda durante o verão, o distrito de Porto Antico ganha DJs e festas itinerantes que garantem uma atmosfera única para moradores e viajantes. Essa região, inclusive, tem despontado nos últimos anos como um novo centro de diversão noturna da urbe.