A cidade de Lençóis surgiu em meados do século XIX com a descoberta de muitas jazidas de diamantes na região do município de Mucugê, na Bahia. Localizada a 394 metros de altitude, a cidade é a prova que nem só de praia é formada a paisagem da Bahia. A cidade é a principal porta de entrada para a Chapada da Diamantina. Por isso,...

Leia Mais
  • População 11.445 mil

  • Hora local 04:40

  • 1 Real R$ 1,00

  • Temperatura local Ver previsão

Calcule quanto irá custar sua viagem para Lençóis

Atrações turísticas em Lençóis

Veja todos

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Lençóis

Hospedagem em Lençóis

menor valor maior valor
Pousada R$ 80,00 R$ 685,00
Albergue R$ 90,00 R$ 156,00
Apartamento R$ 160,00 R$ 160,00

Alimentação em Lençóis

Média de preços por dia com base em centenas de experiências

  • Café da manhã


    R$ 14,40 R$ 14.40 a R$ 28,20 R$ 28.20
  • Almoço


    R$ 22,80 R$ 22.80 a R$ 37,68 R$ 37.68
  • Jantar


    R$ 30,72 R$ 30.72 a R$ 44,88 R$ 44.88

Guia Lençóis

A cidade de Lençóis surgiu em meados do século XIX com a descoberta de muitas jazidas de diamantes na região do município de Mucugê, na Bahia. Localizada a 394 metros de altitude, a cidade é a prova que nem só de praia é formada a paisagem da Bahia. A cidade é a principal porta de entrada para a Chapada da Diamantina. Por isso, os amantes da natureza têm Lençóis como um destino de viagem obrigatório dentro do Brasil.

De 1980 até 1994, acidade recebia poucos turistas. Nesse período, os turistas que visitavam Lençóis eram geralmente jovens mochileiros. O turismo se expandiu na cidade e conta com uma ótima infraestrutura para absorver a demanda crescente do turismo. Com ampla rede hoteleira, com mais de dois mil leitos, restaurantes de alto nível e voos regulares o município vem ganhando ares cosmopolitas, com residentes e visitantes dos quatro cantos do mundo.

Bem no coração da Bahia, a cidade descortina um dos mais belos cenários do país, salpicado de cachoeiras, grutas, cânions e vales. Cobiçado pelos amantes do trekking, o Parque Nacional da Chapada Diamantina tem atrações que extrapolam seus limites e se espalham por cidadezinhas que tiveram seu apogeu no final do século XIX, quando a região era famosa somente pelas jazidas de diamantes. 

Para quem tem como objetivo explorar a Chapada, é bom saber que as atrações dentro do parque ficam distantes umas das outras. Por isso, vale a pena pernoitar em outras cidades e povoados, como Mucugê, Andaraí e Vale do Capão, que também oferecem charmosas pousadinhas, com mesa farta e típica e muita hospitalidade.

As casas dos nativos também se tornam abrigos - são nelas que os aventureiros descansam das caminhadas que duram dias, com direito a comida caseira, luz de lampião e muita prosa.

Antes de se tornar uma das portas de entrada do Parque Nacional da Chapada Diamantina em 1985, Lençóis ostentou o título de "capital" do Diamante. Tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, preserva as ruas de paralelepípedo e o casario antigo, hoje ocupado por coloridos bares, restaurantes e pousadas, além de agências que organizam caminhadas e atividades no parque.

O lugar ainda oferece uma agenda cultural diversificada, com opções que variam de festas tradicionais, como o São João, a shows de MPB, com destaque para o Festival de Lençóis.

Como chegar

Teoricamente a forma mais rápida de se chegar ao município baiano é por meio de avião. O Aeroporto de Lençóis – Horácio de Mattos (LEC) está localizado na cidade de Tanquinho, a uma distância de 20km do centro da cidade. Apesar de contar com o hub aéreo para ajudar no transporte de turistas, vale dizer que o local só recebe voos de Salvador. Outro revés é que o trecho é feito exclusivamente pela Azul, que não possui voos diários para o local (e os trechos também não costumam ser muito baratos). Portanto, o turista que desejar utilizar esse meio de transporte precisará necessariamente fazer uma conexão na capital do estado, o que não ajuda muito a economizar tempo. Uma vez que está no LEC, a melhor forma de se chegar ao seu destino final é contratando um serviço de transfer.

Agora se você já está em Salvador e quer ir para Lençóis de outra forma, é possível fazer o percurso de ônibus. Com 7 horas de duração, a viagem pode ser realizada pela Real Expresso/Rápido Federal que deixará o turista na Rodoviário de Lençóis. Como está bem centralizado, o terminal de ônibus garante fácil acesso aos principais hotéis da cidade (podendo, inclusive, a etapa final ser percorrida a pé dependendo da sua hospedagem).

Outra forma aconselhável é alugar um carro e dispor de meio de transporte próprio para conhecer as atrações da região. Como os locais ficam distantes uns dos outros, essa é a forma de garantir mais flexibilidade à sua viagem. Nesse caso, o turista é aconselhado a alugar o carro em Salvador (que possui valores mais baratos, porém está a 5h30 de distância). O percurso, porém, fica menos cansativo do que ônibus, que dura cerca de 1h30 a mais. Vale lembrar que não é necessário carro 4x4 para andar na região, mas é bom escolher ao menos um veículo alto.

Vida noturna

Quem pretende conhecer a Chapada Diamantina dispõe de algumas opções de cidades para pernoitar e cumprir o seu objetivo. Com características distintas, cada uma delas oferece experiências diferenciadas aos turistas. Dentre todas, Lençóis é a mais animada. Concentrando o maior número de restaurantes, bares e cafeterias da região, o município surge como uma boa pedida para aqueles que querem ao menos sair para tomar uma cerveja. Vale dizer que você provavelmente estará exausto após um dia inteiro de trilhas e caminhadas, mas isso não deve ser impeditivo para ter uma noite – light que seja – em algum dos estabelecimentos da cidade.

Com boates, barzinhos rústicos e cachaçarias, a Rua das Pedras desponta como uma das mais agitadas da área. Por lá é possível encontrar opções para todos os gostos e bolsos. A Rua da Baderna, a Praça Horácio de Mattos e o Mercado Cultural também aparecem como boas alternativas quando o assunto é sair à noite. Um dos lugares mais procurados de Lençóis é o Fazendinha e Tal, que conta com nada mais nada menos do que 50 tipos de cachaças produzidas em alambique próprio.

Garantindo ainda mais charme à cidade, boa parte dos bares e restaurantes de Lençóis estão instalados em casarões do século 19 que abrem suas portas no final da tarde. O chão de pedra do centro corrobora para a impressão de o viajante estar no estado de Minas Gerais. Isso poderia até ser verdade, se não fosse pelo gingado tipicamente baiano dos moradores que fazem de Lençóis um município bem nordestino.

Já para aqueles que só querem comer bem, a cidade também disponibiliza opções interessantes. No centro, assim como nos hotéis mais luxuosos, a gastronomia não deixa nada a desejar para áreas mais cosmopolitas do estado. O ponto em comum em quase todos os lugares é o gostinho de comida caseira, que traz uma sensação de conforto para até mesmo os turistas mais exigentes.