Dizem que Belo Horizonte é uma boa mistura de grande capital e jeitinho do interior. E mesmo que, à primeira vista, BH possa não estar na lista de prioridades de viagem, a capital mineira é o lugar perfeito para quem busca roteiros rápidos e de baixo custo. A cidade oferece muitas atrações culturais gratuitas e, além disso, locomover-se...

Leia Mais
  • População 1.433 milhões

  • Hora local 13:36

  • 1 Real R$ 1,00

  • Temperatura local 25.51º Ver previsão

Calcule quanto irá custar sua viagem para Belo Horizonte

Atrações turísticas em Belo Horizonte

Veja todos

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Belo Horizonte

Hospedagem em Belo Horizonte

menor valor maior valor
Hotel R$ 59,00 R$ 268,83
Albergue R$ 69,80 R$ 145,08
Pousada R$ 85,00 R$ 169,00
Apartamento R$ 100,00 R$ 200,00

Alimentação em Belo Horizonte

Média de preços por dia com base em centenas de experiências

  • Café da manhã


    R$ 10,80 R$ 10.80 a R$ 17,52 R$ 17.52
  • Almoço


    R$ 18,00 R$ 18.00 a R$ 23,34 R$ 23.34
  • Jantar


    R$ 20,40 R$ 20.40 a R$ 26,64 R$ 26.64

Guia Belo Horizonte

Dizem que Belo Horizonte é uma boa mistura de grande capital e jeitinho do interior. E mesmo que, à primeira vista, BH possa não estar na lista de prioridades de viagem, a capital mineira é o lugar perfeito para quem busca roteiros rápidos e de baixo custo. A cidade oferece muitas atrações culturais gratuitas e, além disso, locomover-se pela cidade é muito fácil. 

Emoldurada por serras e montanhas, BH é uma das cidades planejadas do país e foi a escolhida pelo arquiteto Oscar Niemeyer para sua estreia profissional na década de 40. Hoje o surpreendente Conjunto Arquitetônico da Pampulha é Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco. É por essa região que estão o Museu de Arte da Pampulha, a Casa do Baile, e a admirável igreja de São Francisco de Assis, ornamentada com 14 painéis de azulejo de Cândido Portinari.

No Centro, os destaques arquitetônicos ficam por conta do Palácio da Liberdade, em estilo art déco, e do Palácio das Artes, cujos palcos são constantemente ocupados por renomados grupos artísticos com origem na cidade.

Além disso, após avistar as paisagens dos parques e mirantes espalhados pela cidade, o turista vai entender que o nome Belo Horizonte não é à toa. Cercada pela Serra do Curral, repleta de ruas com altos e baixos e espaços verdes, Belo Horizonte proporciona lindos cenários para os turistas.

A cidade ainda oferece um delicioso circuito gastronômico, concentrado especialmente em bairros como Lourdes e Savassi.  No entanto, há cantinhos deliciosamente especiais a serem percorridos pela cidade toda. O importante é experimentar os tradicionais pratos locais.

Tem para todos os gostos: dos restaurantes italianos e franceses com pratos refinados até os botecos que servem boas cachaças acompanhadas de petiscos com jeitinho bem mineirinho. Não tem jeito mais local de degustar os encantos de BH do que em uma boa mesa de mar. A cidade é marcada pela presença de muitos botecos. Clássicos locais e muito amados pelos mineiros, são a garantia de costelinhas, torresmos e muita cerveja gelada.

Essa culinária boêmia deu origem ao concurso Comida di Buteco, que começou na cidade e se espalhou pelo Brasil.

Se você é fã de futebol e curte uma boa partida de futebol, certamente, independente de quais times estejam em campo, assista a um jogo no Mineirão. Para quem gosta de compras, a dica é ir às feiras, aos shoppings e às lojas de rua. O Mercado Central é ótimo para quem procura produtos regionais e comidinhas típicas, como queijos e doces. Já a Feira Hippie atrai quem curte barraquinhas na rua e aquela profusão de informação e pessoas.

Como chegar

O único aeroporto que recebe voos de todas as regiões do Brasil é o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte - Confins (CNF), na cidade de Confins, a 40 km de BH. Por causa da distância, o viajante pode levar até 1 hora para chegar ao centro da cidade. Embora exista o Aeroporto da Pampulha, este não recebe grandes aeronaves, sendo voltado ao mercado regional. De lá partem voos curtos, como para as cidades de Diamantina e São João del Rei.

Para deixar o aeroporto de Confins, é possível pegar um táxi, um ônibus ou até alugar um carro. Dentro do aeroporto há guichês de táxis oficiais, cujos preços são tabelados, ou seja, você saberá o valor antes de chegar ao destino. Já para fazer o trajeto de ônibus, a empresa Conexão Aeroporto realiza a rota para pontos fixos do centro de BH e é a forma econômica de ir para a cidade. Algumas locadoras de carros também se encontram no aeroporto, como a Movida, Lokamig, Localiza e Unidas.

Outra forma de chegar em Belo Horizonte é de carro ou de ônibus. Para quem vai de carro, as principais estradas de acesso são a BR-040 (Rio de Janeiro e Brasília), a BR-381 (São Paulo) e a BR-262 (Espírito Santo).

Já o ônibus é uma boa alternativa para quem chega de capitais próximas, como São Paulo e Rio de Janeiro. As empresas que realizam a viagem desde o Rio são a Util e Viação Cometa, enquanto de São Paulo a viagem é feita pela Viação Cometa. A duração da viagem saindo das duas cidade é de 7 a 8 horas. A rodoviária de Belo Horizonte tem fácil acesso, pois está no centro da cidade, então basta pegar um táxi para ir até o seu hotel ou hostel. 

Vida noturna

Belo Horizonte ostenta o apelido de “capital nacional dos bares” e não é por menos! A vida noturna é bastante viva devido à quantidade e diversidade de bares. O lema “Se não tem mar, vamos para o bar” é levado a sério entre os moradores, então não tem como se entendiar na capital mineira. Do chopp descontraído numa mesa na calçada à música eletrônica nas boates mais badaladas, BH garante diversão para todas as noites da sua estadia.

Democrática, a cidade tem opção para todos os bolsos, estilos e idades. Se você prefere uma noite mais calma, no bairro do Sion você pode fazer um verdadeiro tour gastronômico pelos bares e restaurantes da região, provando desde cachaças e petiscos mineiríssimos até mesmo uma refeição refinada.

Mas se está em busca de agito basta ir para o tradicional Savassi e caminhar pelas ruas até achar o lugar perfeito. Ali se concentram restaurantes, bares com música ao vivo, cafés e casa noturnas para curtir pop, rock e até samba carioca. No clássico e super eclético Obra Bar Dançante, às quartas e quintas acontecem shows, enquanto às sextas e sábados a casa recebe DJs de estilos variados, como rock, black music, indie, funk, surf rock, punk rock, 80's, samba e outros.

Para quem gosta de requinte, o bairro de Lourdes é o ponto de encontro da galera sofisticada, principalmente no bar Tizé, com ambiente inspirado nas antigas mercearias. Já o bairro de Santa Tereza é o lugar certo para os boêmios despojados. É nessa região que fica o Bar do Museu Clube da Esquina, parada obrigatória para os amantes da MPB. Se quiser economizar, o surradinho, porém amado, Zona Last, no Horto, promete diversão sem gastar muito.

A noite underground acontece no bairro da Floresta, na rua Sapucaí, onde estão diversos bares alternativos e restaurantes. Uma boa opção é o Benfeitoria, um coletivo de arte e cultura que funciona como um bar e casa de shows durante a noite. Na mesma rua está o Mirante da Arte Urbana, com vista para a cidade e onde as pessoas costumam tomar uma cervejinha ao ar livre.