1Com montanhas que chegam a 2.039 metros de altura, o Parque Estadual do Forno Grande é uma das preciosidades do Espírito Santo. Parte do município de Castelo, a reserva florestal de acesso gratuito tem como principal atrativo o Pico do Forno Grande, um enorme maciço que faz os olhos dos aventureiros brilharem. Seja escalando ou caminhando, você vai ter motivos de sobra para conhecê-lo.

A região é conhecida pelos traços deixados pela colonização italiana. Foi este povo que atribuiu o nome lúdico ao pico, pois sua forma faz alusão a um grande forno de assar pães. A partir dele foi criada a área de preservação de 730 hectares em 1960, que tem ainda uma larga proliferação de bromélias e orquídeas sobre seu relevo montanhoso.

A fauna também é de suma importância, pois ali estão 130 espécies de aves e alguns animais em extinção como a onça-parda, a onça sussuarana, a jaguatirica, o gavião-pega-macaco, o gato-mourisco e o macaco mono-carvoeiro. O rico ecossistema se espalha até lugares incomuns, resultando na maior floresta de altitude do mundo, localizada no topo do Pico Forno Grande, atualmente fechado para visitação.

Com boa infraestrutura, o parque se mantém aberto todos os dias e facilita o acesso de turistas por meio de um centro de visitação e trilhas autoguiadas, que costumam levar, em média, 3 horas num percurso de ida e volta. Os passeios guiados devem ser agendados com pelo menos 24h de antecedência.

Entre as trilhas que cortam a Mata Atlântica é possível avistar mirantes, poços, piscinas naturais e cachoeiras. A mais fácil delas tem apenas 290 metros de comprimento, enquanto a mais longa tem 2.150 metros, chegando a vistas panorâmicas que vão até os municípios vizinhos e o famoso monumento natural Pedra Azul.

Para relaxar, siga até o conjunto de piscinas naturais Poços Amarelos. Outra parada obrigatória é a Gruta da Santinha, onde está a imagem de Nossa Senhora da Aparecida, acessada em 1 hora de caminhada. Vale lembrar que as trilhas ficam abertas apenas das 08h às 14h30, por questões de segurança e controle de acesso.

Em parceria com o Governo do Estado, a Universidade Federal de Espírito Santo estuda criar no local um polo astronômico para observação celeste, abrangendo tanto pesquisadores quanto visitantes. Nos arredores, em Castelo, Aracê e Vargem Alta, há opções de pousadas, camping e restaurantes. Conta ainda com um alojamento reservado a pesquisadores.

Como chegar: o acesso é feito por meio de uma estrada de terra em bom estado. A partir de Castelo são 32 km, passando pela Fazenda da Prata, ou 42 km se for pelo Limoeiro. Para quem vem de outro parque, o Pedra Azul, pode calcular 28 km ao atravessar Alto Caxixe.

Quem vai de Vitória, a capital capixaba, vai percorrer 146 km pela BR-262.

Não tem carro para essa viagem? Alugue online!

Fotos via WikiParques e Vitor Jubini para o Ministério do Turismo

Parque da Pedra Azul, no Espírito Santo, reúne piscinas naturais, montanhas e trilhas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *