Considerada a cidade mais sagrada do mundo para os muçulmanos, Meca também já virou sinônimo de lugar sagrado para os não muçulmanos.

Localizada na Arábia Saudita, a cidade sempre foi um ponto de parada de caravanas muitos antes do nascimento do profeta Maomé, mas os muçulmanos a converteram em sua capital. Foi em Meca que...

Leia Mais
  • População 1.294 milhões

  • Hora local 18:29

  • 1 Riyal R$ 0,88

  • Temperatura local 37.81º Ver previsão

Calcule quanto irá custar sua viagem para Meca

Atrações turísticas em Meca

Veja todos

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Meca

Hospedagem em Meca

menor valor maior valor
Hotel R$ 121,01 R$ 784,78
Apartamento R$ 240,94 R$ 314,27

Alimentação em Meca

Média de preços por dia com base em centenas de experiências

  • Café da manhã


    R$ 12,62 SAR$ 14.40 a R$ 20,50 SAR$ 23.40
  • Almoço


    R$ 16,82 SAR$ 19.20 a R$ 42,06 SAR$ 48.00
  • Jantar


    R$ 21,03 SAR$ 24.00 a R$ 45,42 SAR$ 51.84

Guia Meca

Considerada a cidade mais sagrada do mundo para os muçulmanos, Meca também já virou sinônimo de lugar sagrado para os não muçulmanos.

Localizada na Arábia Saudita, a cidade sempre foi um ponto de parada de caravanas muitos antes do nascimento do profeta Maomé, mas os muçulmanos a converteram em sua capital. Foi em Meca que nasceu e está sepultado Maomé, fundador da religião islâmica. De acordo com a religião, todo fiel tem o dever de conhecer a cidade, nem que seja uma única vez na vida. Em Meca está a pedra negra de Abraão, conhecida como Kaaba, é beijada pelos muçulmanos em peregrinação.

Meca vai receber o maior hotel do mundo, o Abraj Kudai que está sendo construído e promete ultrapassar o MGM Hotel Las Vegas em número de quartos com 10 mil leitos distribuídos em 12 andares em uma área de 1,4 milhão de metros quadrados, com inauguração prevista para o ano de 2017. 

Contudo, há restrições para entrada de não muçulmanos no país. A Arábia Saudita não emite visto de turismo, somente libera visto para quem vai a trabalho ou para quem tem família morando no país, o que é uma pena pois o país tem lugares muito interessantes para conhecer, principalmente para quem gosta de história e culturas diferentes.

A melhor época para visitar a cidade (para os muçulmanos ou quem vai a trabalho) é entre os meses de novembro até fevereiro, a partir de abril até outubro as temperaturas médias diárias passam com facilidade de 40 graus, dificultando um pouco a viagem.

Para quem conseguir entrar no país, visitar Madain Saleh é quase uma obrigação. Conhecida como Petra da Arábia, o lugar foi construído pela mesma civilização que construiu Petra. Em 2008 entrou para a lista de Patrimônio da Humanidade da Unesco, no local há mais de 130 tumbas esculpidas nas rochas. Aproveitar para conhecer o deserto é outro item que não pode faltar, de preferência no horário do nascer ou do pôr do sol, afinal são paisagens únicas independente de qualquer religião. E para quem quiser sair um pouco do assunto religião, a cidade vizinha Jeddah é conhecida por ter o maior número de artistas do país e os moradores mais simpáticos de toda a Arábia.  

Como chegar

A forma mais fácil de se chegar à cidade sagrada é por meio de avião. A porta de entrada, no entanto, acontece pela cidade vizinha. Situada a 66km de Meca, Jeddah é o ponto de chegada para aqueles que pretendem visitar a urbe islâmica. Nesse caso, o desembarque deverá acontecer pelo Aeroporto Internacional King Abdulaziz (JED). Durante o Hajj, a época da peregrinação muçulmana, uma parte do aeroporto (chamada de Terminal de Hajj) funciona para receber voos fretados e serviços programados.

É possível ainda ir de ônibus até lá. A SAPTCO opera em todo o país, fazendo também itinerários para a cidade sagrada. Apesar disso, o mais comum é que a cidade receba peregrinos por meio de ônibus fretados que partem de Jeddah. Por lá são dois os terminais rodoviários que recebem os viajantes: o principal está fora da cidade e é aberto a todas às pessoas. Já o Terminal do centro da cidade, no Haram al Sharif, é usado principalmente por ônibus que partem de Jeddah, sendo restrito a muçulmanos.

Outra forma de entrar na cidade é por meio de carro. Uma rodovia com diversas mãos conecta Jeddah ao município sagrado. A estrada geralmente apresenta tráfego livre, com exceção do período do Hajj, quando muitos peregrinos partem juntos rumo à cidade. Vale lembrar que antes de chegar à Meca há um posto policial que mantém os não muçulmanos fora da estrada.

Já para se locomover dentro da cidade sagrada é possível utilizar linhas regulares de ônibus, táxis e vans. No ano de 2010 foram inaugurados 18km do Al Mashaaer Al Mugaddassah Metro, com um total de 5 linhas para ajudar no transporte de peregrinos.

Seja qual for o meio de transporte utilizado, leve sempre em consideração que as condições e preços durante a época da peregrinação estão alterados. Para não ter contratempos é indicado fazer tudo com muita antecedência e planejamento, assim o turista não corre perigo de ter baques inesperados.

Vida noturna

Imersa na atmosfera religiosa do islamismo, Meca não é propriamente uma cidade para quem busca uma vida noturna agitada. Além do mais, servir bebida alcoólica na Arábia Saudita é ilegal segundo as leis do país. Isso porque segundo o Alcorão, o livro sagrado da religião islâmica, todas as substâncias intoxicantes são proibidas. Dessa forma, bares, pubs e casas noturnas não são encontrados pelas ruas da cidade sagrada.

Portanto, a noite em Meca se restringe a jantares em restaurantes de alta linha das mais variadas gastronomias ou, então, nos passeios feitos nos grandes shoppings e complexos de compras presentes na cidade. Os hotéis, com suas grandes instalações e infraestrutura, também despontam como uma opção interessante. Muitos deles possuem lounges e restaurantes próprios, permitindo que o viajante desfrute do que há de melhor em Mecca dentro da sua própria acomodação.

Alguns dos hotéis mais equipados da região são o Le Meridien, famoso no mundo inteiro por sua sofisticação, e o Al Marwa Rayhaan, sendo esse último equipado com nada menos do que três restaurantes. Já o Dar Al Manasek conta com restaurante, café e instalações para banquetes e serviço de quarto 24 horas. O Dar Firas Al Taqva Hotel, o Hilton Makkah Towers, o Dar Al Tawhid Intercontinental Hotel, o Manazel Al Ain Mercure e o Moevenpick Hotel & Residence Hajas Tower também surgem como boas opções para quem está visitando a cidade e procura por estadia.

Há ainda muitos restaurantes independentes baseados em Meca, a maioria deles com especialidade em pratos asiáticos e continentais. Alguns dos mais procurados por lá são o Anita Aimone, o Big Shoes Barbecue, o The Bakes Table, o Ambrosinis, o Heraa, o Al-Baik, o Hardeees e o Charley’s Grilled Subs. Em todos os casos, as bebidas alcoólicas não são servidas por lá, então tenha isso em vista.