Com quase 9 milhões de habitantes, a mais importante cidade mexicana é sinônimo de muita vida e diversidade. Ao mesmo tempo que traz em seu DNA a engenhosidade dos astecas, as touradas dos espanhóis e o típico caos das grandes cidades, a capital nacional ainda ilustra uma controvérsia interessante: Apesar de deter o título de oitava cidade mais...

Leia Mais
  • População 8.851 milhões

  • Hora local 02:30

  • 10 Peso mexicano R$ 1,76

  • Temperatura local 15.8º Ver previsão

Calcule quanto irá custar sua viagem para Cidade do México

Atrações turísticas em Cidade do México

Veja todos

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Cidade do México

Hospedagem em Cidade do México

menor valor maior valor
Apartamento R$ 41,54 R$ 1.289,52
Hotel R$ 50,01 R$ 906,38
Pousada R$ 50,86 R$ 488,30
Albergue R$ 56,97 R$ 223,80

Alimentação em Cidade do México

Média de preços por dia com base em centenas de experiências

  • Café da manhã


    R$ 9,48 MXN 54.00 a R$ 42,13 MXN 240.00
  • Almoço


    R$ 12,64 MXN 72.00 a R$ 48,49 MXN 276.24
  • Jantar


    R$ 17,90 MXN 102.00 a R$ 67,51 MXN 384.60

Guia Cidade do México

Com quase 9 milhões de habitantes, a mais importante cidade mexicana é sinônimo de muita vida e diversidade. Ao mesmo tempo que traz em seu DNA a engenhosidade dos astecas, as touradas dos espanhóis e o típico caos das grandes cidades, a capital nacional ainda ilustra uma controvérsia interessante: Apesar de deter o título de oitava cidade mais rica do mundo, a maioria dos seus habitantes vive na pobreza. Inacreditável, não é mesmo?

Para se ter uma dimensão do que a Cidade do México representa para o país, basta dizer que a sua região metropolitana, com cerca de 20 milhões de pessoas, abriga 1/5 de toda a população e é considerada a terceira maior conglomeração urbana do mundo, perdendo apenas para os arredores de Tóquio e de Seul. Com tanta gente junta produzindo, não é de se espantar que a área seja responsável por 34% de todo o PIB nacional, dado que fala por si só sobre a sua importância.

A Cidade do México também pode ser considerada a mais antiga do Hemisfério Ocidental. Surgiu em 1300, com o nome de Tenochtitlán, como a capital do Império Asteca. Foi completamente destruída com a conquista espanhola para ressurgir em moldes mais similares aos que conhecemos hoje. Declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, o seu centro histórico reserva um charme próprio. É lá que está a Catedral Metropolitana, uma das maiores igrejas da América Latina, e o Palácio Nacional, que conta com belíssimas obras de Diego Rivera, famoso pintor mexicano que manteve um tumultuado relacionamento com Frida Kahlo.

Para quem procura por uma visão mais tradicional do lugar, a boa pedida é frequentar as lutas livres, ouvir a música dos mariachis em Xochimilco ou ainda acompanhar uma tourada aos domingos. Como não poderia deixar de ser, a cidade também é um verdadeiro paraíso para os amantes da arqueologia, que podem visitar as Pirâmides de Teotihuacán e o sítio arqueológico de Tenochtitlán. A cidade compreende ainda alternativas para os mais cosmopolitas, com diversas opções de bares e restaurantes, além da Rua Presidente Masaryk, com lojas de grifes ao estilo da Rodeo Drive de Bervely Hills, na Califórnia.

Para finalizar com chave de ouro, a boa notícia é que é possível percorrer grande parte da Cidade do México a pé, já que o município é plano. Já para driblar as maiores distâncias, o turista conta com uma eficiente e ampla rede de transportes públicos.

Como chegar

De São Paulo à Cidade do México há uma boa oferta de voos diretos operados pela Aeroméxico e pela Latam. A cidade é a única brasileira que conta com voos com destino à capital mexicana - de outros municípios, basta uma escala nos aeroportos paulistas.

Quem não vive em São Paulo também pode optar por companhias que realizam paradas em outros países durante o percurso. Uma boa opção costuma ser viajar com a Copa. A empresa tem seu hub na Cidade do Panamá e oferece a possibilidade de realizar um stopover grátis durante a viagem - ou seja, você compra a passagem até a Cidade do México, mas tem direito a passar uma noite no Panamá, desde que informe isso no momento da compra. Viajando pela Avianca, a conexão pode ser feita em Bogotá ou Lima, enquanto pela American Airlines os voos param em Miami antes de seguir para o México, tornando a viagem mais extensa.

Independente da companhia escolhida, a chegada irá ocorrer pelo Aeroporto Internacional da Cidade do México - Benito Juárez, localizado a cerca de 10 quilômetros do centro. Além de se conectar facilmente ao Brasil, o aeroporto também oferece voos para mais de 100 destinos ao redor do mundo, sendo considerado o mais movimentado da América Latina. Seus terminais estão interligados por um trem interno.

Do aeroporto à acomodação, a maneira mais fácil de chegar é usando o metrô. A estação “Terminal Aérea” fica localizada no Terminal 1. O metrô chega a diversas partes da cidade, de forma que provavelmente sua hospedagem estará próxima a alguma estação. O serviço de Metrobus (uma espécie de metrô de superfície) conecta o aeroporto ao centro em apenas 30 minutos e pode ser uma alternativa mais fácil de chegar à região.

Mais confortável, mas com preços que condizem com o conforto, é a opção de utilizar táxis. Como há muitos problemas envolvendo taxistas e turistas na cidade, a dica é reservar um veículo diretamente nos guichês do aeroporto ou optar por chamar um Uber - o aplicativo funciona normalmente no país.

Vida noturna

Depois de cair a noite, os quase nove milhões de habitantes da Cidade do México não param. Shows, bares, restaurantes e até mesmo espetáculos de luta livre agitam a vida noturna da cidade.

Os bairros de Condessa e Roma Norte são os preferidos daqueles que procuram um bar animado para beber alguma coisa e socializar. Com uma pegada hipster, as duas regiões também oferecem ótimas baladas que não têm hora para acabar.

Na hora de comer, os restaurantes na área são muitos e oferecem opções variadas para os visitantes. Não gosta de comida mexicana? Não tem problema, há tanta coisa para provar por lá que você ficará satisfeito só de olhar.

Perto dali, a Zona Rosa é também bastante agitada e seus muitos bares são os preferidos do público LGBT, embora atraiam todos os tipos de visitantes. Para uma noite mais sofisticada, a dica é rumar para Polanco, onde os restaurantes e casas noturnas contam com um público refinado que gosta de ver e ser visto. É comum encontrar celebridades passeando pela noite do bairro, com destaque para as incríveis baladas do 1 OAK.

Para programas mais típicos, considere uma visita à Praça Garibaldi. O local é uma concentração de mariachis e, portanto, o passeio é daqueles que merecem ser incluídos em qualquer roteiro. Como fica no centro da cidade, a Praça não é dos locais mais policiados e pode causar uma sensação de insegurança em alguns viajantes. É possível contratar os mariachis pagando um valor específico por determinado número de músicas (tudo é acertado no local) ou entrar em uma das casas que ficam ao redor da praça, sempre com shows dos músicos típicos mexicanos.

Outro programa interessante é reservar uma noite para assistir a um show de luta livre mexicana. Ao invés de violência, os espetáculos são encenados (e são pura diversão). As lutas ocorrem praticamente todos os dias da semana e os locais mais famosos para assisti-las são a Arena Coliseo e a Arena México