Bariloche é uma cidade na patagônia argentina, bem próxima à fronteira com o Chile, na região dos Lagos Andinos. A paisagem da região é formada pelo encontro de montanhas com picos nevados, típicos da Cordilheira dos Andes, com um mosaico de Lagos de diferentes cores.

Em...

Leia Mais
  • População 113.45 mil

  • Hora local 03:44

  • 100 Peso argentino R$ 0,59

  • Temperatura local 4.86º Ver previsão

Calcule quanto irá custar sua viagem para Bariloche

Atrações turísticas em Bariloche

Veja todos

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Bariloche

Hospedagem em Bariloche

menor valor maior valor
Pousada R$ 134,71 R$ 623,46
Apartamento R$ 175,03 R$ 3.025,29
Albergue R$ 203,13 R$ 804,57
Hotel R$ 350,07 R$ 3.744,33

Alimentação em Bariloche

Média de preços por dia com base em centenas de experiências

  • Café da manhã


    R$ 14,86 ARS 2500.00 a R$ 41,01 ARS 6900.00
  • Almoço


    R$ 20,21 ARS 3400.00 a R$ 59,44 ARS 10000.00
  • Jantar


    R$ 29,72 ARS 5000.00 a R$ 84,40 ARS 14200.00

Guia Bariloche

Bariloche é uma cidade na patagônia argentina, bem próxima à fronteira com o Chile, na região dos Lagos Andinos. A paisagem da região é formada pelo encontro de montanhas com picos nevados, típicos da Cordilheira dos Andes, com um mosaico de Lagos de diferentes cores.

Em Bariloche está a maior estação de esqui da América Latina, o Cerro Catedral, e é conhecida por nós brasileiros como destino de inverno, para a prática de esportes de neve. Mas nem só de frio vivem as belezas deste lugar. Nas demais estações é possível aproveitar os dias longos e o encontro das montanhas com os lagos para praticar todo tipo de esportes, como a escalada, caminhadas, caiaquismo, rafting, entre outras possibilidades.

Ali também é onde se encontram várias das fábricas de chocolate do país. Na rua principal da cidade há mais do que uma chocolateria por quarteirão. São infinitas opções, de chocolates brancos, ao leite, amargo, com frutas, em bolos e sorvetes.

A cidade é o ponto de partida para quem quer visitar outras localidades da região, como as cidades de Villa Langostura, San Martín de los Andes, ou El Bolsón.

Entre os visitantes mais frequentes estão os estudantes argentinos concluindo o ensino médio que fazem a viagem em comemoração, e sempre guardam com carinho esta lembrança; brasileiros em busca de conhecer a neve pela primeira vez; chilenos que apenas cruzam a fronteira para relaxar do lado de lá da Cordilheira.

Democrática, Bariloche oferece encantos para os mochileiros que buscam acampar e fazer caminhadas pelas montanhas; até opções para quem quer luxo, um quarto com vista e varanda de frente para o Lago Nahuel Huapi tomando um chocolate quente, enquanto espera a noite para jantar em um refúgio de montanha à luz de velas.

A história dos indígenas Mapuches se mistura com a forte tradição argentina e as belezas naturais da região para formar um dos destinos mais completos e estruturados da América do Sul

Encontre aqui sua hospedagem em Bariloche com descontos exclusivos!

Para muitos brasileiros, não tem como pensar em um destino para ver neve, sem pensar na possibilidade de ir para Bariloche, e realmente, a quantidade de brasileiros é enorme durante a alta estação que corresponde ao período do inverno. Muitos brasileiros que vão para Bariloche estão vendo a neve pela primeira vez, já outros são habitués do local, mas independentemente de ser a primeira vez ou não em Bariloche, o fato é que a quantidade de brasileiros é tanta que Bariloche é chamada de Brasiloche durante os meses de inverno.

E se engana quem pensa que Bariloche só pode ser visitada durante o inverno, pois o verão também proporciona paisagens lindas e diversas atividades ao ar livre para contemplar o visual da cidade que possui temperaturas bem agradáveis nesse período. E durante o verão os argentinos são os que mais visitam a cidade. Em um resumo geral seria assim: nos meses de inverno, Bariloche “pertence” aos brasileiros, já no verão, ela volta a ser dos argentinos, nada mal.

A gastronomia também é um dos pontos fortes da cidade. Além dos famosos e tradicionais chocolates como falamos acima, a gastronomia de Bariloche é uma mistura de culinária argentina e culinária de alguns países europeus como a Alemanha, herança da colonização local. E não será difícil encontrar um bom lugar para comer após um longo dia de passeios e atividades. No centro da cidade é onde está a maior parte dos restaurantes, sendo a concentração maior próximo da Calle Mitre e ao longo da Avenida Bustillo. Você vai encontrar desde restaurantes de fondue, churrascarias, casas de empanadas, chocolateiras, bares e também os restaurantes mais focados na culinária típica da Patagônia, servindo trutas assadas e carne de cordeiro. E por último, não se esqueçam de provar os vinhos, alfajores e os doces de leite.

Com acomodações para todos os perfis de viajantes, você vai encontrar desde hotéis de luxo com vista para o lago até acomodações simples no centro da cidade. E como não poderia deixar de ser, na alta temporada os preços sobem de acordo com a procura dos visitantes.

Para compra de passeios, dedique o primeiro dia da viagem para ir até as agências que ficam no centro da cidade. É sempre bom pesquisar antes na internet, mas chegando lá tente ir até uma agência para obter maiores e melhores informações. Os valores dos passeios não costumam mudar muito de uma agência para outra. Já, para quem vai praticar algum esporte na neve, recomendamos ou adquirir aqui no Brasil os trajes adequados para o frio e a prática do esporte, ou então adquirir em Bariloche, em alguma loja especializada, só não vale deixar de usar os trajes adequados para economizar e passar frio.

Mas afinal, quanto custa uma viagem para Bariloche?

Bariloche é um destino encantador na Argentina que oferece uma ampla gama de experiências para os viajantes, mas quanto custa uma viagem para lá? A resposta é: depende de diversos fatores. O custo da viagem para Bariloche pode variar significativamente com base na quantidade de dias que você pretende passar na região, no perfil do viajante e nas escolhas de hospedagem e alimentação.
 
Para começar, a escolha entre um hotel com conforto nas montanhas ou um hostel mais econômico pode fazer uma grande diferença no orçamento da viagem. Os hotéis oferecem comodidades como piscinas aquecidas, spas e vistas panorâmicas deslumbrantes, mas os hostels podem ser uma opção mais acessível para quem busca economizar.
 
Além disso, a alimentação também é um ponto importante a considerar. Os viajantes podem optar por fazer suas próprias refeições na hospedagem, aproveitando a cozinha disponível para preparar refeições econômicas. Outra alternativa é buscar restaurantes mais acessíveis na região, onde é possível saborear pratos típicos argentinos por preços mais amigáveis. Por outro lado, os restaurantes mais chiques e renomados oferecem uma experiência gastronômica sofisticada, com pratos elaborados e uma seleção de vinhos incrível.
 
É importante mencionar também que o custo da viagem pode variar de acordo com a época do ano. Durante a alta temporada, que geralmente ocorre no inverno devido à temporada de esqui, os preços tendem a ser mais elevados devido à demanda turística. Por outro lado, na baixa temporada, é possível encontrar tarifas mais acessíveis em hospedagens e passeios.
 
Portanto, ao planejar uma viagem para Bariloche, é essencial considerar todos esses aspectos e fazer escolhas que estejam alinhadas com o seu orçamento e preferências. Com um bom planejamento e pesquisa, é possível desfrutar de uma viagem incrível para esse destino deslumbrante sem comprometer suas finanças.
 
Aqui no Quanto Custa Viajar trouxemos alguns valores para você ter uma noção de quanto custa viajar para Bariloche de acordo com alguns passeios e refeições, porém não é um valor exato e precisamos lembrar que a Argentina anda passando por um momento econômico delicado de alta inflação que pode chegar até 15% ao mês. Valores de hospedagem, passagem aérea e tours são atualizados conforme nossos parceiros com bastante frequência, porém alimentação e transporte podem variar bastante por conta da inflação. Viajar para Bariloche não é uma viagem cara, principalmente se compararmos com destinos nos EUA e Europa, é sim um destino mais caro na Argentina por conta do apelo turístico, mas se você se planejar bem, pode desfrutar de férias incríveis por lá!
 

O que fazer em Bariloche

Bariloche é um destino incrível pertinho do Brasil que oferece uma excelente estrutura para quem quer praticar esportes de neve e também para quem quer ver seus lagos descongelados ao longo do ano e fazer atividades aquáticas – assim dá para se divertir por lá independente da época!


Claro que é no inverno que Bariloche ganha destaque e vira destino de viajantes do mundo todo, afinal sua estação de esqui Cerro Catedral oferece esqui, snowboard e uma experiência completa de esportes de inverno.


Mas Bariloche ainda é mais que sua estação de esqui!


Confira tudo o que fazer em Bariloche e prepare seu roteiro de viagem!


Onde ficar em Bariloche

Em Bariloche o viajante não vai passar perrengue para encontrar uma boa hospedagem que se encaixe no seu bolso e nos seus planos, já que a cidade oferece várias opções. 


Por lá, são três as principais regiões para se hospedar: Centro, Avenida Ezequiel Bustillo e Base do Cerro Catedral. Cada uma tem suas características próprias e oferecem um perfil de hotel diferenciado (e também com preços diferentes).


Independente da região, uma dica importante é evitar escolher um hotel onde ficam os grupos de viajantes de formatura, pois a bagunça e o barulho costumam predominar e pode ser difícil descansar depois de um dia esquiando.


Os melhores hotéis e as explicações sobre as regiões de hospedagem você encontra aqui.


Alimentação em Bariloche

Por ser um destino extremamente turístico, Bariloche conta com uma enorme variedade de restaurantes com cozinhas diferenciadas e internacionais. Claro que por ali o que reina são os pratos argentinos e os vinhos locais, mas dá para encontrar estabelecimentos tanto para quem quer sentar e comer pratos elaborados com calma quanto para quem quer pratos rápidos.


Tenha em mente que comer dentro e perto da estação de esqui de Cerro Catedral pode ser um pouco mais caro, então vale tomar um belo café da manhã em seu hotel para não chegar esfomeado por lá!


Saiba qual o valor médio da alimentação em Bariloche e os principais restaurantes da cidade com nosso guia completo.


Passeios em Bariloche

A cidade de Bariloche por si só já vai ocupar bastante o viajante, mas caso você queira conhecer além do centro e da estação de esqui, existem vários passeios na região para explorar, especialmente se estiver com tempo livre.


Um passeio para Villa La Angostura (ótima região para esquiar), Cerro Tronador ou um passeio de barco para Ilha Victoria e Bosque de Arrayanes são ótimas pedidas perto da cidade.


Fique por dentro de outros passeios em Bariloche e aproveite para conhecer a belíssima região!


Quando ir a Bariloche

Claro que se o viajante quer esquiar e praticar outros esportes de neve e viaja com intenção de explorar a estação de Cerro Catedral, sua viagem a Bariloche deve acontecer no inverno da Argentina, que coincide com os mesmos meses que o Brasil.


Mas para garantir que você vai encontrar neve na viagem, não basta viajar no inverno. Tem um período específico que é o auge da estação e aumenta suas chances de ver neve de pertinho.


Confira aqui qual o período mais certeiro para ver neve em Bariloche.


Documentação

Um aspecto que barateia a viagem a Bariloche e ganha o coração dos viajantes é que não é necessário o passaporte para realizar a viagem! Apenas com o RG emitido há menos de dez anos você já consegue entrar no país! Show né? Só isso te faz economizar R$ 257 por pessoa (valores de 202). Só vantagens, né?


Idioma

Assim como Buenos Aires e o resto da Argentina, em Bariloche o idioma oficial é o espanhol, mas não fique muito preocupado pois devido à popularidade do destino você consegue se virar com “portunhol”, inglês e até com português mesmo.


Mas para evitar problemas, saiba quais os principais falsos cognatos do português e espanhol para não ter perrengue na sua viagem!


Moeda

A Argentina tem caído cada vez mais no gosto dos brasileiros porque sua moeda, o peso argentino, segue em uma onda de desvalorização e o Real acaba valendo bastante por lá.


Atualmente o peso argentino equivale a R$ 0,0060, então os brasileiros estão fazendo a festa no país vizinho. Lá também aceitam o dólar e até o real, dependendo do ponto turístico, mas o ideal é trocar o Real por pesos argentinos.


Para saber mais sobre o peso argentino, como levar dinheiro para o país, qual moeda levar e onde trocar, fizemos um guia sobre o tema.


O que levar na mala

Se você pretende ir para Bariloche no inverno para esquiar e você nunca fez uma viagem desse tipo antes, saiba que sua mala tem que ser totalmente diferente de um friozinho básico ou até mesmo do inverno europeu.


Quem viaja no inverno deve se preparar de verdade para um frio que não existe no Brasil, que chega a -10ºC e neva constantemente. 


Aposte em roupas térmicas, sobretudos, gorros, luvas, segunda pele (tanto para blusas quanto para calças), meias especiais para o frio e sapatos impermeáveis.


Quem for praticar snowboard e esqui ainda deverá alugar na estação ou nas lojas da cidade itens para permitir a prática das atividades.


Serviços para a sua viagem 

Já estava querendo conhecer Bariloche e quer garantir que sua viagem aconteça com os melhores preços? 


Comece a programar sua viagem acompanhando os valores das passagens aéreas com o buscador do Turismocity.

 
 

Como chegar

Bariloche fica no sul da Argentina, na região da Patagônia, província de Río Negro, próximo à fronteira com o Chile. É possível chegar por terra, ar e água.

Há voos regulares e bastante variedade de horários para Bariloche, sempre fazendo conexão em Buenos Aires. Em alguns invernos, a companhia aérea Aerolíneas Argentinas abre algumas frequencias semanais de São Paulo direto à cidade.

Do Chile, é possível cruzar a cordilheira dos Andes em ônibus, ou em um roteiro que cruza os lagos Andinos. Há ônibus partindo de Puerto Montt, Puerto Varas e Osorno diretamente para Bariloche. Desce-se do ônibus duas vezes, para fazer a imigração de saída do Chile, e alguns quilômetros a frente, para fazer a imigração de entrada na Argentina.

Cruzando os lagos andinosa partir do Chile, o chamado Cruce Andino, é mais um passeio do que um meio de transporte. Parte de Puerto Varas, e navega por 3 lagos da região, fazendo os percursos entre um lago e outro em ônibus. Todo o trajeto é organizado por agências de viagem, e você compra apenas um bilhete. O trecho era usado pelos indígenas da região para fazer comércio, e mais tarde foi usado pelos colonizadores. Hoje é um dos passeios mais tradicionais da região. Igualmente ao trajeto de ônibus, são feitas duas paradas para a imigração, a saída do Chile e a entrada na Argentina.

Vida noturna

Poucas pessoas sabem, mas Bariloche tem várias cervejarias artesanais a preços bem acessíveis. Na região entre as ruas Neumeyer e Juramento há diversos bares que vendem canecas, ou Pints como eles chamam, de diferentes sabores.

O bar com o cardápio mais variado de cervejas é o Manush. Ele fica na esquina da Neumeyer com a Morales. É um bar bem concorrido, e seus dois andares ficam sempre lotados. Ainda assim o atendimento é bem satisfatório. Eles possuem mais de 20 tipos de cerveja, expostas em um cardápio em forma de jornal com a ordem em que as cervejas devem ser consumidas. Os tira-gostos também estão à altura. De 18h às 20h eles fazem um "happy hour" e todas as cervejas saem pela metade do preço.

Na Rua San Martín está o Wilkenny, um Pub estilo irlandês e restaurante. Tem uma pequena seleção de cervejas e alguns tira-gostos. Fica cheio e animado depois da meia-noite, como quase todas as baladas na Argentina. Algumas noites há música ao vivo, em outras um DJ toca músicas no estilo rock.

As poucas boates de Bariloche, quase sempre fazem festas dedicadas aos grupos de egresados. Os estudantes em conclusão do ensino médio que viajam em grupo para Bariloche.

O ICE Bariloche é um bar com dois ambientes, sendo um deles feito totalmente de gelo desde as paredes, os móveis e até os copos onde são servidas as bebidas. Vale a pena conhecer por ser um lugar bem diferente, mais pela curiosidade do que por ser realmente um lugar confortável. Eles oferecem uma manta para que os visitantes se cubram e se mantenham aquecidos.