• Café da manhã

    $5.76 $10.80 $14.64
    R$ 23,69 R$ 44,42 R$ 60,21
    Baixo custo Econômico Conforto
  • Almoço

    $9.00 $14.40 $19.20
    R$ 37,01 R$ 59,22 R$ 78,96
    Baixo custo Econômico Conforto
  • Jantar

    $10.68 $17.16 $23.76
    R$ 43,92 R$ 70,57 R$ 97,72
    Baixo custo Econômico Conforto

Guia Alimentação em Quito

Com uma infusão de ingredientes provenientes do choque entre as influências europeia e indígena, a capital equatoriana tem também na culinária um dos seus principais diferenciais. Portanto, ao visitar a cidade, não deixe de experimentar os pratos típicos da região, pois fazer isso é parte fundamental do seu passeio. Para não gastar muito, o turista pode ir aos arredores da Casa de la Cultura Ecuatoriana, assim como até a Calle Amazonas. Por lá os preços são bastante simpáticos, permitindo que o viajante prove a maioria das iguarias locais pagando valores mais acessíveis do que os praticados nas demais partes de Quito.

Para começar a sua imersão gastronômica, os patacones são aquele tipo de comida que você com certeza não terá a chance de não experimentar. Eles nada mais são do que pedaços de bananas fritos em azeite bem quente, que acompanham pratos mais elaborados ou ainda podem funcionar como snacks. Já os Llapingachos também são iguarias que são consumidas entre as refeições. Feitas com batatas, essas tortilhas também funcionam como snacks ou acompanhamento de refeições. As Empanadas de Vento também podem ser consumidas como entradas. A iguaria consiste em ser uma massa em formato de pastel recheada com queijo. É chamada “de Vento” porque durante o seu preparo, deve-se derramar o óleo rapidamente na panela para que a massa possa inflar.

Já as Guatitas compõem um dos pratos mais tradicionais da culinária local. Com origem espanhola, a comida consiste no cozimento de pedaços de barriga de vaca. O prato é acompanhado por batatas e tripas, além de ser misturado com amendoim e especiarias para aumentar o seu sabor. Pode ser consumido em restaurantes, mas também é uma opção vendida por ambulantes e barraquinhas de rua, especialmente no Centro Histórico de Quito. Ainda para quem tem estômago forte, outra opção são as Tripas Mishqui. O prato consiste no cozimento do intestino grosso e delgado da vaca sobre a grelha. É temperado com cebola roxa, alho, pimenta, sal e orégano, e pode ser servido com molho de amendoim e batatas cozidas.

O Hornado também é uma das estrelas dos restaurantes equatorianos. O prato é tão tradicional por lá que, inclusive, o país realiza um campeonato para decidir o melhor preparo da iguaria. Marinado por três dias, o Hornado nada mais é do que a carne de porco cozida em forno à lenha. A Fritada também é bastante tradicional. Nesse caso, a carne de porco é frita e acompanhada por tortilhas de batatas ou batatas inteiras.

O Seco de chivo também é bastante encontrado por lá. O prato é feito à base de cordeiro e foi uma das iguarias mais populares durante a época colonial. Já o Seco de pollo é uma versão mais suave para quem não tem estômago tão forte, substituindo a carne principal por frango. Seja qual for o Seco escolhido, o turista que optar por esse prato estará escolhendo um alimento que passou por gerações até chegar às mesas dos restaurantes da atualidade.

Já quando o assunto são sobremesas, uma das mais apreciadas em Quito são os figos com queijo, que mesclam bem o néctar doce da fruta com o sabor salgado do derivado lácteo. Apesar de simples, é uma opção deliciosa que é bastante comum nas mesas equatorianas.

Para beber, a sugestão é a Colada Morada. Caracterizada pela sua cor roxa, a bebida mistura uma série de ingredientes, como farinha morada, morango, abacaxi, folha de laranja, erva-cidreira e canela. O seu consumo é praticamente obrigatório em novembro, quando os equatorianos celebram a memória dos mortos (a bebida, inclusive, representa o sangue dos falecidos).  Já o Canelazo é uma bebida alcoólica que também é bastante apreciada por lá. Servida quente, é uma forma interessante para combater o frio das montanhas.