Listada como patrimônio da humanidade pela Unesco, Catmandu é a capital e a maior cidade do intrigante Reino do Nepal. Rico em histórias e tradições, hoje o misterioso destino cresceu muito e, nos últimos anos, tornou-se uma espécie de praça do mundo. O  paraíso de montanhistas e praticantes de trekking. 

Os templos...

Leia Mais
  • População 1.003 milhões

  • Hora local 13:24

  • 100 Rupia nepalesa R$ 3,16

  • Temperatura local 24º Ver previsão

Calcule quanto irá custar sua viagem para Catmandu

Atrações turísticas em Catmandu

Veja todos

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Catmandu

Hospedagem em Catmandu

menor valor maior valor
Albergue R$ 27,76 R$ 148,06
Pousada R$ 30,32 R$ 185,08
Apartamento R$ 37,01 R$ 5.551,13
Hotel R$ 43,04 R$ 624,83

Alimentação em Catmandu

Média de preços por dia com base em centenas de experiências

  • Café da manhã


    R$ 3,04 Rp 96.00 a R$ 4,67 Rp 147.60
  • Almoço


    R$ 3,79 Rp 120.00 a R$ 7,59 Rp 240.00
  • Jantar


    R$ 4,55 Rp 144.00 a R$ 8,31 Rp 262.80

Guia Catmandu

Listada como patrimônio da humanidade pela Unesco, Catmandu é a capital e a maior cidade do intrigante Reino do Nepal. Rico em histórias e tradições, hoje o misterioso destino cresceu muito e, nos últimos anos, tornou-se uma espécie de praça do mundo. O  paraíso de montanhistas e praticantes de trekking. 

Os templos hindus e as estupas budistas (monumento construído sobre os restos mortais de uma pessoa importante dentro da religião) dividem espaço com lojas de equipamentos de esportes de aventura. Na alta temporada na cidade, é fácil esbarrar com alpinistas oriundos de todas as partes do mundo em seus restaurantes, bares e cyber-cafés.

Apesar de ser a base logística perfeita para o Himalaia e outros esplêndidos passeios pelo vale Kathmandu, a cidade também oferece algumas belas atrações.

A Praça Durbar é o ponto central da vida cívica e religiosa da cidade, repleta de palácios, estupas e templos. Dentre os muitos edifícios históricos, construídos entre os séculos 12 e 18, estão os templos Taleju e Jaganath e o conjunto arquitetônico de Nasal Chowk.

Além disso, é possível ver por lá a estátua do rei Pratap Malla e o grande sino e o grande tambor, utilizado para anunciar decretos reais. Outro local que atrai a atenção dos turistas é o antigo palácio real Narayanhiti, hoje um museu.

A estupa budista Swayambhu é um dos cartões postais de Catmandu. Um pouco afastado da cidade, junto ao rio sagrado Pashupatinath, fica o templo de mesmo nome, dedicado ao deus Shiva e considerado um dos mais sagrados por seus seguidores.

Para aproveitar a atmosfera do local, podes ser fazer alguns dos passeios pela região do vale da cidade por meio de riquixás.

A cidade também é servida por um aeroporto internacional, o Tribhuvan. Há diversos voos desde a Índia e algumas metrópoles asiáticas. A estrutura turística também não deixa a desejar. O mundo gastronômico, de serviços e hospedagem em Kathmandu está localizado especialmente no distrito conhecido como Tamel, ao norte da Praça Durbar.

Na cidade há hotéis e albergues, para todos os bolsos: opções de hospedagens das mais baratas para alpinistas aos luxuosos como o Hyatt Regency, o Hotel Shanker e o Crowne Plaza Kathmandu-Soaltee.

Vale lembrar que a região está sujeita às monções, por isso de junho a setembro é a época de chuvas pesadas e baixa temporada. De outubro a dezembro é uma boa estação para fazer rafting e caminhadas entre os vales e no alto dos planaltos.

Já de janeiro a março, inverno na região, as temperaturas caem muito na cidade. Com fortes nevascas e péssimas condições de estrada, não são meses recomendados para os turistas. De abril a junho, apesar do calor superando os 40 graus, é a melhor época para a prática de hiking e para chegar até aos pés de montanhas como Everest, Kangchenjunga, Makalu e Annapurna -  todas com mais de 8 mil metros de altura.

Como chegar

Catmandu é a capital e maior cidade do Nepal, país asiático rodeado pelas maiores montanhas do mundo, as montanhas do Himalaia. Para chegar até lá, é necessário estar disposto para enfrentar horas entre voos e conexões e pagar um valor um pouco elevado da passagem. Não há voos diretos do Brasil, para chegar em Catmandu é necessário fazer no mínimo uma conexão que pode ser com a Emirates ou a Qatar, parando em Dubai ou Doha, respectivamente, ou então, dependendo da tarifa da passagem, outras cias aéreas fazem o trajeto com duas conexões, como a Ethiopian Airlines, Air France, KLM, British Airways, Swiss e Lufthansa. O tempo de viagem do Brasil até o Nepal vai depender de vários fatores, como a origem do embarque aqui no Brasil, cia aérea e tarifa, mas pode variar entre 22 horas até mais de 40 horas de viagem, então é bom pensar bem antes de comprar a passagem, pois a tarifa mais barata pode ser também a mais longa. Para quem já está na Ásia, a viagem fica muito mais fácil, barata e curta. De Nova Délhi, na Índia, a viagem dura apenas uma hora e meia e pode ser feita com a Jet Airways e a Air India. A Thai Airways também voa desde Bangkok e a Qatar voa desde Doha.

Para ir do aeroporto até o centro de Catmandu, a melhor forma é contratar um serviço de transfer através de seu hotel ou agência de viagens, ou então, você pode pegar um táxi ao chegar que é provável o meio mais econômico, mas nesse caso é um pouco confuso, pois muita gente irá te abordar oferecendo transporte, para quem deseja pegar um táxi, tente contratar dentro do aeroporto, antes de sair.

Há quem chegue em Catmandu de ônibus, vindo da Índia, mas o trajeto peca no conforto dos ônibus, qualidade das estradas, distância, afinal são mais de 500 quilômetros de estrada, além dos motoristas que fazem o trajeto sempre com muita emoção, sem perguntar se você realmente quer a viagem com emoção.

Vida noturna

Catmandu, no Nepal, não é bem o lugar mais indicado para quem deseja curtir a noite e ir para baladas, muito pelo contrário, Catmandu é um destino para quem deseja aproveitar as atividades diurnas.

Embora Catmandu seja a capital do país e uma cidade que recebe turistas do mundo todo, Catmandu funciona mais como a porta de entrada para quem deseja conhecer o restante do país, aventureiros que desejam escalar as montanhas do Himalaia, ou ao menos tentar escalar, e jovens dispostos a trabalhar em ONGs. E com toda essa gente chegando e saindo todos os dias, é natural que surjam alguns bares e restaurantes para que os viajantes possam aproveitar ao menos um pouquinho da noite na cidade.

O bairro Thamel é um bairro bem turístico, onde a maior parte dos turistas se hospeda. Há uma boa oferta de bares e restaurantes, desde os mais tradicionais aos mais internacionais e sofisticados. E para quem quer algum agito noturno, mesmo que não seja dos mais animados, é ali também o lugar, mesmo que os estabelecimentos fechem cedo, pois meia-noite tudo já está fechado e a polícia é bem rigorosa, caso algum estabelecimento não respeite os horários, eles fecham o local e prendem os donos. 

O festival Diwali, conhecido como Festival das Luzes, é uma festa celebrada por indianos de todas as partes do mundo e serve para comemorar a vitória das forças do bem contra o mal e do conhecimento sobre a ignorância. As casas ficam enfeitadas e iluminadas, os religiosos vestem roupas típicas, ascendem lâmpadas e soltam muitos fogos de artifício. Normalmente acontece em outubro ou novembro e a cidade fica toda iluminada durante a noite. Se você tiver a sorte de estar em Catmandu na época do festival, aproveite para caminhar pela cidade durante a noite e conhecer mais sobre essa tradição.