Para os cariocas, Petrópolis é a versão de Búzios no inverno. Embora a cidade seja visitada durante o ano inteiro, inclusive nos meses mais quentes por quem procura fugir do calor (assim como fazia Dom Pedro II), é no inverno o auge da alta temporada, onde todos querem estar. E falando em Dom Pedro II, foi ele o fundador da cidade que até no nome faz...

Leia Mais
  • População 305.917 mil

  • Hora local 07:34

  • 1 Real R$ 1,00

  • Temperatura local 25.49º Ver previsão

Calcule quanto irá custar sua viagem para Petrópolis

Atrações turísticas em Petrópolis

Veja todos

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Petrópolis

Hospedagem em Petrópolis

menor valor maior valor
Pousada R$ 119,00 R$ 560,00
Albergue R$ 160,00 R$ 299,00
Hotel R$ 180,20 R$ 507,00
Apartamento R$ 226,00 R$ 492,00

Alimentação em Petrópolis

Média de preços por dia com base em centenas de experiências

  • Café da manhã


    R$ 10,80 R$ 10.80 a R$ 24,00 R$ 24.00
  • Almoço


    R$ 19,20 R$ 19.20 a R$ 45,60 R$ 45.60
  • Jantar


    R$ 26,40 R$ 26.40 a R$ 66,00 R$ 66.00

Guia Petrópolis

Para os cariocas, Petrópolis é a versão de Búzios no inverno. Embora a cidade seja visitada durante o ano inteiro, inclusive nos meses mais quentes por quem procura fugir do calor (assim como fazia Dom Pedro II), é no inverno o auge da alta temporada, onde todos querem estar. E falando em Dom Pedro II, foi ele o fundador da cidade que até no nome faz questão de lembrar do fato.

A apenas 65 km do Rio de Janeiro, Petrópolis foi o local escolhido pela família imperial para fugir do calor da capital. Construções foram erguidas e até hoje a cidade orgulha-se de preservá-las, abrindo algumas para visitação. Esse clima de império com castelos, aliado à presença da natureza, pousadas de charme e restaurantes de alta qualidade fazem com que Petrópolis seja o destino preferido dos cariocas quando se trata de procurar por um local com temperaturas mais amenas e clima de montanha, principalmente durante os meses mais frios.

Para quem gosta de fazer trilhas e estar em contato com a natureza, o Parque Nacional da Serra dos Órgãos não decepciona. O Orquidário Binot agrada quem gosta de flores, com uma grande diversidade de orquídeas. Já para quem prefere história, o centro da cidade é recheado de opções como o Museu Imperial que foi a antiga residência da nobreza durante o verão e até hoje estão preservados objetos como mobiliários, joias e documentos da corte. A Catedral de São Pedro de Alcântara guarda os restos mortais de Dom Pedro II e da Princesa Isabel. O Palácio de Cristal é um ícone local e fica no centro também. A casa de Santos Dumont, Rui Barbosa e da Princesa Isabel valem a visita. Passeios de carruagem são oferecidos para quem quiser percorrer o centro histórico de uma maneira diferente. O Palácio Quitandinha é um antigo cassino sendo o maior dos anos 40, hoje funciona como centro cultural, porém fica fora da região central.

Mesmo com todo glamour iniciado desde a época em que a cidade era frequentada pela família real, na hora das compras Petrópolis revela seu outro lado: paraíso dos sacoleiros, é na Rua Teresa que há lojas de diversas marcas de roupas e acessórios que agradam todos os gostos e bolsos, especialmente os bolsos mais curtos pois os preços são bem mais em conta quando comparado com muitos outros lugares. 

Com glamour ou sem glamour, o fato é que Petrópolis sempre agrada!

Como chegar

Para quem parte de regiões mais distantes, a forma mais rápida de chegar à Cidade Imperial é utilizando uma combinação entre avião e ônibus (ou carro). Os aeroportos mais próximos de lá ficam na capital do estado, que está localizada a 65km de distância. Portanto, o Santos Dumont (SDU) e o Galeão (GIG) são sem sombra de dúvidas as opções mais óbvias, mas o Aeroporto Presidente Itamar Franco (Zona da Mata), a 160km de distância, também pode ser cogitado. Dos hubs aéreos até Petrópolis, o turista deverá utilizar ônibus ou automóveis.

Situada a 3km do SDU e 13km do GIG, a Rodoviária Novo Rio também é essencial para quem pretende fazer o trajeto de ônibus. Algumas das companhias que fazem o percurso até a Cidade Imperial são a Viação Única (com saída da capital carioca e, também, de Juiz de Fora), a Viação Útil (com saída de Belo Horizonte) e a Viação Águia Branca (com saída de São Paulo). Como a cidade não requer veículo para locomoção, essa pode ser uma alternativa mais econômica e interessante, pois não gerará dores de cabeça quanto a estacionamentos e permitirá ao turista desbravar a região a pé.

Já para aqueles que não viajam de lugares tão longe assim, outra possibilidade é ir diretamente a Petrópolis de carro. O município está a 65km do Rio de Janeiro, 75km de Niterói, 120km de Juiz de Fora, 375km de Belo Horizonte e 450km de São Paulo, só para citar alguns dos itinerários mais comuns. Para quem vem das capitais carioca e mineira, o acesso acontece pela mesma rodovia – a BR-040. Já para quem parte de São Paulo, é preciso pegar primeiro a Via Dutra para, então, terminar o percurso pela BR-040. Se essa for a sua escolha, lembre-se de escolher uma acomodação com estacionamento e já embuta esses custos na sua planilha de gastos.

Vida noturna

Não se pode dizer que a Cidade Imperial seja reconhecida pela sua agitação, mas é claro que é possível se divertir por lá após o cair da noite. Mesmo que careça de opções capazes de entreter os moradores – que sentem falta de um leque mais amplo de opções – o turista que decidir desfrutar alguns poucos dias no município não correrá o risco de ficar entediado.

Para quem quer ir ao epicentro do burburinho, a dica é ir ao distrito de Itaipava, que apesar de mais afastado, garante boas opções de restaurantes, bares, lojinhas e shoppings. Aliás, Itaipava tem chamado tanta atenção, que ano após ano o local fica mais independente, caracterizando-se quase como uma cidade vizinha de Petrópolis. Mas se essa for sua escolha, tenha em vista que você precisará estar hospedado por lá ou utilizar alguma forma alternativa de locomoção.

Já para quem está instalado nas regiões mais centrais, uma boa pedida é jantar no bairro de Valparaíso, que é conhecido como centro gastronômico de Petrópolis. Alguns dos restaurantes mais tradicionais da cidade são a Casa D’Ângelo, o Restaurante Bohemia, a Petiscaria Imperial, as Massas Luigi, o Bordeaux Vinhos e o Restaurante Parrô do Valentim, esse último localizado em Itaipava. No bairro ainda há opções menos famosas e de diversas especialidades, garantindo alternativas para todos os gostos e perfis de público.

O Centro de Petrópolis também é uma região procurada para quem quer badalar um pouco mais. Apesar de a maioria dos estabelecimentos fecharem as suas portas para o público por volta da meia noite, há lugares que estendem um pouco mais a programação. A Boate Savana, localizada dentro do Shopping Bauhaus, é um desses lugares, assim como o Karaokê Tic-Tac. Mas é em Itaipava que ficam as casas noturnas mais famosas de Petrópolis, como a Tamboatá, portanto essa deve ser a sua escolha se quiser uma agitação mais encorpada.