Ninguém quer viver uma situação desagradável quando viaja, mas sabemos que o mundo é cheio de gente mal intencionada e que está pronta para ser mais esperta do que você. Sendo assim, se precaver nunca é demais. Conheça os golpes mais comuns contra turistas e saiba como evitá-los.

O site Just The Flight criou um infográfico bem simples que cita 40 trapaças aplicadas ao redor do mundo para você ficar de olhos bem abertos e não ser enganado. Pegando apenas alguns exemplos, vamos te ajudar a descobrir quais são os mais “básicos” em alguns países da Europa, do Estados Unidos e de qualquer lugar do planeta, afinal, maldade não tem endereço fixo, né.

Em Paris

Muito comum estar andando pela romântica Cidade da Luz na companhia de seu par e, de repente, vem um estranho com um anel de ouro alegando que o objeto é supostamente seu e que caiu de suas mãos. Não vale querer bancar o esperto, então negue essa ideia e se afaste. Caso contrário, o golpista vai tentar te extorquir por ter achado aquilo que sequer era seu. Barcelona, Madri e Roma também costumam ter golpistas do tipo.

golpe5

Em Roma

Na frente do Coliseu estão pessoas vestidas com trajes da Roma Antiga e chamando os turistas para uma foto, assim como acontece com as baianas que ficam próximas ao Pelourinho, em Salvador. Óbvio que, caso o clique seja feito, eles vão cobrar pelas fotografias tiradas. É bom também ficar sempre atento aos pertences que estão nos bolsos, pois na estação do Coliseu, nas ruas e nos ônibus é comum encontrar espertinhos que se amontoam perto de turistas para furtá-los.

Na Itália também acontece muito o golpe do troco. Com as notas de 10 e 50 euro muito parecidas, é comum que taxistas não-oficiais (os oficiais são sempre da cor branca, registrados com número e com o símbolo do Comune, ou município) mudem as notas na hora de dar o troco, sem que você perceba a diferença. Confira bem antes de sair do carro, porque depois já era.

euro

Em Portugal

Em Lisboa, assim como em tantos outros lugares do mundo, existe um problema com taxistas. Muitos deles roubam no taxímetro e levam para casa muito mais grana do que a corrida daria. O mais comum é a alteração da banheira 1 para a bandeira 2 ou 3 enquanto o cliente está distraído olhando a paisagem. Nos bondes elétricos é comum casos de furto, até mesmo por parte de famílias que puxam papo ao seu lado enquanto outra pessoa vem roubar os pertences.

golpe2

 

No Estados Unidos

Um transtorno comum na terra do Tio Sam são os serviços de delivery que sequer existem. Golpistas costumam distribuir cardápios de restaurantes falsos em hotéis e se o cliente faz algum pedido, tem em troca uma bela dor de cabeça. A entrega não é feita nunca, já o pagamento…estará prontamente registrado no cartão de crédito.

golpe6

No mundo todo!

Fuja das pulseirinhas 

É, não é só na Bahia que alguém chega colocando uma bela pulseirinha de “lembrança” no seu braço e pede dinheiro depois. No mundo todo isso acontece e não, não é um presente. Se não vai ajudar com algum dinheiro, não deixe que coloquem a pulseira em você de jeito nenhum. Às vezes a souvenir também é usada como distração para furtos.

Bebê voador

Segundo o site que mencionamos no início do texto, o golpe do bebê voador é um dos mais comuns! Basicamente uma doida chega e atira uma boneca disfarçada de bebê nos braços do turista. Com o susto e o reflexo de ajudar, a mulher golpista acaba usando a distração para roubar as pessoas, puxando bolsas e carteiras.

Um click e tchau!

No mundo todo vai ter pessoas se oferecendo para tirar fotos suas ou da galera com quem você está. Normal, porém, perigoso. É comum que algumas pessoas fiquem só observando o movimento e quando veem situações do tipo já correm para fazer uma vítima. Enquanto alguns podem sair correndo com a sua câmera/smartphone em mãos, outros podem simplesmente te cobrar pelo “favorzinho”.

golpe-em-turistas

O falso policial

Um tanto complicado de identificar, este golpe pode te pegar facilmente. Uma pessoa com trajes de policial costuma abordar turistas alegando que na região há muitos problemas de notas falsas ultimamente e que precisa verificar o seu dinheiro. Estranho, não? Durante a “investigação”, o/a golpista acaba pegando algumas notinhas para si sem que você perceba. Nestes casos, o melhor remédio é dizer que exige a presença de outros policiais senão fará uma denúncia formal pelo telefone. É provável que então desistam da ideia de te revistar.

Assinatura da petição

O nome já diz tudo, né? Fuja. Apenas fuja de quaisquer coisas na rua que exijam a sua assinatura, o seu cartão de crédito e etc. Claro que existem causas precisando realmente de ajuda, mas faça isso em seu próprio país, de preferência após verificar a procedência do que está se envolvendo.

A carteira que serve de isca

Muitas vezes, golpistas colocam carteiras no chão de ruas movimentadas. Isso serve apenas de isca para saber onde está a carteira das pessoas que, ao ver uma delas dando sopa no chão, imediatamente chegam os próprios bolsos. Assim, o bandido acaba vendo onde o turista guarda suas coisas e o segue para furtar.

golpe8

Muita atenção aos táxis

Infelizmente, os táxis são alvo comum de golpistas e pessoas má intencionadas. Por isso, é importante checar sempre quais são as características dos táxis oficiais e evitar quaisquer outros tipos de veículos. Na Argentina, por exemplo, é comum que assaltantes usem táxis clandestinos para roubar quem entra no carro, o que é bem assustador. Também pode acontecer desvio de rota no qual o taxista alega que seu hotel está fechado, faliu e etc. Resultado: ele te leva até um outro hotel onde você simplesmente será roubado na hora de pagar.

Outros costumam fazer caminhos malucos para obter mais grana com a corrida ou até mesmo desligam os taxímetros dizendo que está quebrado ou algo do tipo. Exija que o aparelho esteja ligado ou simplesmente negocie um valor fechado antes da corrida começar. Não se esqueça de ter notas menores para pagar o motorista e evitar prejuízos.

Ajuda no caixa eletrônico

Não existe coisa mais tensa do que pedir ajuda no caixa eletrônico! Evite essa situação. Se alguém oferecer ajuda pense duas vezes antes de aceitar, porque pode acontecer roubo, clonagem de cartão e uma série de problemas por conta de “bons samaritanos”. Não deixe que ninguém se aproxime de você neste momento e, se desconfiar de algo, cancele a operação e vá até outro banco. Caso precise de ajuda ou quer tirar alguma dúvida, entre no banco e fale com funcionários, ou até mesmo alguém do hotel onde você está hospedado.

 

Fotos: reprodução/banco de imagens

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *