Difícil encontrar quem nunca tenha visto uma fotografia ou cartão-postar exibindo a baía de Sydney com a Opera House ao fundo. A paisagem icônica é um símbolo da cidade e representa uma das suas melhores vistas. É o ângulo certeiro para fotografias e também para a contemplação de uma metrópole...

Leia Mais
  • População 4.293 milhões

  • Hora local 07:13

  • 1 Dólar australiano R$ 2,53

  • Temperatura local 14.9º Ver previsão

Calcule quanto irá custar sua viagem para Sydney

Atrações turísticas em Sydney

Veja todos

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Sydney

Hospedagem em Sydney

menor valor maior valor
Albergue R$ 143,96 R$ 706,72
Apartamento R$ 177,99 R$ 6.788,40
Hotel R$ 180,61 R$ 1.243,30
Pousada R$ 193,12 R$ 2.617,46

Alimentação em Sydney

Média de preços por dia com base em centenas de experiências

  • Café da manhã


    R$ 24,31 A$ 9.60 a R$ 45,59 A$ 18.00
  • Almoço


    R$ 35,00 A$ 13.82 a R$ 66,00 A$ 26.06
  • Jantar


    R$ 46,19 A$ 18.24 a R$ 93,30 A$ 36.84

Guia Sydney

Difícil encontrar quem nunca tenha visto uma fotografia ou cartão-postar exibindo a baía de Sydney com a Opera House ao fundo. A paisagem icônica é um símbolo da cidade e representa uma das suas melhores vistas. É o ângulo certeiro para fotografias e também para a contemplação de uma metrópole com mais de 4 milhões de habitantes. 

Capital do estado australiano de New South Wales (ou “Nova Gales do Sul”), Sydney é também a maior cidade de todo o país. Devido a uma grande imigração, o destino se tornou bastante multicultural, fazendo com que seja fácil reconhecer influências de diversas partes do mundo em sua cultura. Para se ter uma ideia, cerca de um terço de sua população atual nasceu no exterior.

Embora o turismo na Austrália esteja sempre associado às belas praias do país, Sydney tem as quatro estações do ano bem demarcadas e as temperaturas mais frias (abaixo de 10°C) são comuns durante o inverno. Mesmo assim, as principais atrações locais podem ser visitadas em qualquer época do ano e prometem ficar na memória dos viajantes - que não são poucos. Em compensação, quem viaja até o destino para prática de surf deverá dar preferência aos meses mais quentes.

Sydney recebe quase a metade de todos os viajantes internacionais que chegam ao país. Apesar de ser considerada uma das 15 cidades mais visitadas do mundo, o destino ainda não é tão explorado por brasileiros, que veem a Austrália apenas como uma rota de intercâmbio. Isso ocorre principalmente devido à ausência de voos diretos para o local e também ao seu alto custo de vida, que está entre os mais caros do mundo.

Mesmo que as construções humanas como a Ópera House e o porto da cidade sejam incríveis, o destaque da viagem serão sempre as atrações naturais. Lar de espécies como coalas e cangurus, a fauna australiana é um atrativo à parte e pode ser vista de perto durante uma visita ao Zoológico de Taronga, que abriga mais de 2 mil espécies de animais nativos e exóticos. Um dos pontos altos da visita é a oportunidade de dormir em pleno zoológico, sendo necessário pagar uma taxa extra para isso.

A exuberante natureza do país também pode ser apreciada em seu melhor estado na ponte do porto de Sydney, inaugurada em 1932. É possível caminhar ou andar de bicicleta sobre a estrutura, embora os mais aventureiros prefiram mesmo é praticar escalada no local - uma experiência única e que promete oferecer algumas das melhores vistas da cidade. 

Como chegar

Embora não seja a capital australiana (que, mesmo que muita gente não saiba, é Canberra), Sydney é a cidade mais populosa e mais turística do país. Portanto, não será difícil encontrar voos até o destino. Um ponto negativo é a ausência de voos diretos saindo do Brasil, fazendo com que seja necessária ao menos uma escala para chegar ao local.

Uma das principais rotas é pelo Oceano Pacífico, voando via Santiago, no Chile (operado pela Latam ou Qantas), ou Buenos Aires, na Argentina (viajando com a Aerolíneas ou com a Air New Zealand). Essa costuma ser a maneira mais rápida de chegar à Sydney e, portanto, a preferida dos brasileiros. Outra opção interessante é fazer uma escala em Joanesburgo, na África do Sul, voando com a South African Airways. Por último, a Emirates também viaja via Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

Tanto a Emirates quanto a South African Airways costumam oferecer aos viajantes a opção de realizar um stop over gratuito durante o trajeto. O recurso pode ser interessante para quem busca conhecer dois destinos diferentes em uma mesma viagem.

Saindo do aeroporto

Localizado a cerca de 10 km do centro, o Aeroporto de Sydney está bem conectado à área hoteleira. Uma boa opção para chegar ao centro costumam ser os trens, que levam cerca de 15 minutos para fazer o trajeto, além de serem bastante confortáveis. Se optar por este meio de transporte, é importante conferir antes se a sua hospedagem se encontra próxima a alguma das estações de trem, o que nem sempre acontece.

Linhas de ônibus também conectam o aeroporto a diferentes partes da cidade e provavelmente alguma delas deixará você próximo ao seu hotel. Outra alternativa são os shuttles compartilhados das agências Con-x-ion, Airport Connect e ASN Transfer, que levam os viajantes diretamente para o hotel.

Vida noturna

Quem viaja para Sydney pode até estar pensando em curtir o dia nas praias da cidade ou observar o porto em plena luz do sol. Mesmo assim, é difícil não se contagiar com a animada vida noturna local.

Ao chegar, é comum estranhar os horários australianos. Por lá, festas e eventos noturnos podem começar por volta das 18h ou 19h. Se o programa escolhido for apenas uma janta especial, é bom lembrar que, nos restaurantes, a cozinha pode fechar por volta das 22h. Em alguns pubs, é possível encontrar a cozinha aberta até mais tarde (por volta da meia-noite), principalmente nos dias mais movimentados.

Quem se programa para curtir uma festa na cidade também deve ficar atento aos horários, já que a grande maioria das baladas termina às 3 horas da madrugada - a legislação local não permite que os estabelecimentos fiquem abertos após esse horário. A única exceção ocorre em Newtown, onde a lei não foi estipulada e a noite não tem hora para terminar.

Um dos lugares mais especiais para conhecer na cidade é o Opera Bar, que pertence à Opera House. Com vista para a Baía de Sydney e para a Harbour Bridge, o programa é um acerto certeiro em qualquer roteiro de viagem. Se quiser complementar ainda mais o passeio, programe-se para assistir a uma apresentação em plena Opera House.

Para estar cercado de bares em uma região histórica, a dica é rumar para The Rocks. Considerado o bairro mais antigo de Sydney, ele também é repleto de pubs, bares e restaurantes - e turistas. Caso queira conhecer um ambiente mais alternativo, a dica é rumar para Newtown, onde o movimento é constante em qualquer dia da semana.

Darling Harbour é um bom lugar para fazer um programa mais tranquilo, seja sentando em um restaurante ou curtindo um bar com música ao vivo. Aos finais de semana, a área conta também com queima de fogos. Em compensação, é no centro que se concentram as baladas mais sofisticadas.