Localizada na Flórida, nos Estados Unidos, Miami é a segunda cidade mais populosa do estado, atrás apenas de Jacksonville. É também um dos destinos mais procurados pelos turistas no país, em especial os brasileiros. Com vocação para vida noturna, muitas praias e considerada por muitos como...

Leia Mais
  • População 417.65 mil

  • Hora local 10:21

  • 1 Dólar americano R$ 5,28

  • Temperatura local 30.97º Ver previsão

Calcule quanto irá custar sua viagem para Miami

Atrações turísticas em Miami

Veja todos

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Miami

Hospedagem em Miami

menor valor maior valor
Pousada R$ 292,50 R$ 812,51
Albergue R$ 297,92 R$ 433,34
Apartamento R$ 316,88 R$ 3.869,46
Hotel R$ 410,28 R$ 2.081,07

Alimentação em Miami

Média de preços por dia com base em centenas de experiências

  • Café da manhã


    R$ 57,05 $ 10.80 a R$ 95,08 $ 18.00
  • Almoço


    R$ 79,24 $ 15.00 a R$ 132,06 $ 25.00
  • Jantar


    R$ 91,39 $ 17.30 a R$ 169,04 $ 32.00

Guia Miami

Localizada na Flórida, nos Estados Unidos, Miami é a segunda cidade mais populosa do estado, atrás apenas de Jacksonville. É também um dos destinos mais procurados pelos turistas no país, em especial os brasileiros. Com vocação para vida noturna, muitas praias e considerada por muitos como um paraíso das compras, é fácil de entender o que atrai tanta gente até o local. 

Hoje o turismo é a principal fonte de renda da região, embora ele tenha começado a crescer desde as primeiras décadas do século 20. Atualmente, cerca de 12 milhões de visitantes chegam à cidade todos os anos, movimentando mais de US$ 17 bilhões. Os brasileiros são alguns dos responsáveis por inflar estes números - afinal, é fácil perceber que a cidade é uma das queridinhas dos nossos conterrâneos.

Ao conhecer Miami, uma das facilidades é descobrir que, além do inglês, o espanhol também é muito falado por lá, graças a uma grande colônia de imigrantes vindos de países latino-americanos, como Cuba e o México, por exemplo. Estima-se que cerca de 60% a 70% da população de Miami seja composta por latinos - e essa mistura pode ser vista de perto em Little Havana, o bairro cubano da cidade. A possibilidade de falar espanhol também deixa alguns brasileiros mais confortáveis, por se tratar de uma língua mais próxima do português.

Há quem venha a bordo de um cruzeiro apenas para passar umas horas, quem misture a passagem por Miami com uma ida a Orlando para ver a Disney e também aqueles viajantes que preferem dar total exclusividade à cidade e fazer um roteiro completo para curtir Miami! Não importa qual a sua escolha, o destino é daqueles que sempre surpreendem aos viajantes.

O que pouca gente sabe, no entanto, é que Miami e Miami Beach são duas cidades distintas. A primeira delas é o centro comercial e financeiro da região, enquanto a segunda é onde estão as praias e a badalação. Mesmo assim, a proximidade faz com que os dois destinos sejam complementares e acabem se confundindo durante a viagem.

É só passear pelas ruas para perceber a incrível arquitetura das duas áreas. Em South Beach, os prédios históricos no estilo art déco chamam a atenção de quem sabe que Miami não é só praias. Em compensação, as construções de Downtown exalam modernidade, com arranha-céus que são a cara dos Estados Unidos. Nas ruas, desfilam carros importados e também muitos veículos alugados por turistas.

No final das contas, Miami é um daqueles destinos para qualquer época do ano. Nos dias de sol e boas temperaturas, as praias e passeios ao ar livre são a escolha perfeita. Quando chove, é sempre uma boa desculpa para passar o dia nos muitos outlets ao redor da cidade. 

O que fazer em Miami

Dá para ficar semanas ocupado em Miami (e a vontade é essa) com a quantidade de coisas que tem para fazer na cidade.

Miami é um destino muito animado, com baladas, restaurantes, shoppings bem bacanas, bairros hiper culturais, praias, oportunidade de passeios ao redor e muito mais.

O ideal é o viajante olhar tudo que tem para fazer na cidade e montar seu roteiro personalizado para poder combinar tudo de mais legal e não ficar só “jacarezando” no sol (o que não é nada ruim, vamos combinar).

Aqui tem muito mais dicas sobre o que fazer em Miami para você montar o seu roteiro!

 

Onde ficar em Miami

A oferta hoteleira de Miami é enorme, mas os preços nem sempre são muito amigáveis, especialmente se você quiser ficar em Miami Beach (que é diferente de Miami ok?).

Miami tem cinco regiões principais para hospedagem, variando entre área central longe das praias e até a famosa Miami Beach.

Para descobrir exatamente qual região de Miami melhor atende as suas necessidades e para poder escolher corretamente onde ficar, fizemos um guia de hospedagem na cidade!

 

Alimentação em Miami 

Miami é uma cidade multifacetada com influência obviamente americana – os fast foods em cada esquina não escondem isso – mas que também é muito influenciado pelos seus residentes latinos, então em Miami você encontrará com facilidade restaurantes mexicanos, cubanos, brasileiros e por aí vai.

Comer bem não é uma tarefa nada difícil em Miami e na belíssima Avenida Ocean Drive você encontra um restaurante melhor que o outro todos lado a lado em uma avenida à beira-mar.

Em nosso guia de onde comer em Miami veja dicas de quais restaurantes visitar, a faixa de preço e a nota dos locais.

 

Passeios em Miami 

Calor, muitas atividades, comprinhas e praias. Tem como Miami melhorar? Acredite que sim! Sua privilegiada região está perto de outras praias surreais bem caribenhas, como Key West – que merece sua visita – e também dos famosos pântanos onde é possível fazer um passeio de airboat ao ladinho dos crocodilos.

Além de tudo isso, Miami fica a uma curta viagem até Orlando, a terra do Mickey, e você não só pode como deve fazer uma viagem combinando os dois destinos (em um você cansa nos parques, no outro você descansa na praia, genial né?).

Miami também tem um dos principais portos dos EUA, de onde partem cruzeiros incríveis para o Caribe e outros lugares.

Quer saber quais outros passeios você pode fazer em Miami? Vem aqui!

 

Quando ir a Miami 

Miami é um destino incrível de conhecer durante 11 meses do ano – isso mesmo, em um dos meses (setembro) a cidade entra na rota dos furacões do Caribe e pode causar muita chuva e tumulto na cidade, então é bom evitar esse mês.

Fora isso, a cidade tem altas temperaturas e tem seu “pleno” agito durante todos os outros 335 dias do ano.

Mas como todas as cidades, Miami tem uma alta temporada quando os preços sobem e muito, a cidade enche de viajantes americanos fugindo das temperaturas das suas cidades originais. Você já sabe qual é esse período?

Miami inverte a ordem da maioria das cidades americanas e sua alta temporada não é quando você está pensando.

Descubra aqui quando é a alta temporada de Miami e qual a melhor época para visitar a cidade!

 

O que levar para Miami 

Como organizar sua mala para Miami vai variar muito de acordo com a sua proposta de viagem. Falamos isso porque se você pretende fazer muitas compras e logo no começo da viagem, você precisa levar pouquíssima coisa na mala.

Se for esse seu caso, leve seus remédios de uso contínuo e prescritos, um tênis confortável para andar na cidade, itens de higiene pessoal básicos, carregadores de celular e algumas poucas trocas de roupa. Assim, com a mala vazia, você consegue trazer muito mais coisa de volta (já que agora tem só uma mala despachada de 23 kg e olhe lá).

Por outro lado, caso você não queira fazer muitas compras e está indo curtir a cidade, pode fazer uma mala tradicional para dias quentes e úmidos em Miami – que parece ter apenas uma estação o ano todo.

 

Documentação para viajar 

Para conhecer e visitar Miami os brasileiros precisam daquela documentação completinha, isso quer dizer: passaporte com validade de pelo menos seis meses à frente do período da sua viagem, ou seja, se viajar em maio, tem que estar válido até novembro, daquele ano no mínimo.

Tão importante quanto ou até mais, para ir para os EUA é necessário visto de turista aprovado aqui no Brasil, então nada de sair comprando viagem antes de ter seu visto aprovado e muito menos viajar com o visto vencido/próximo do vencimento, pois não deixarão o viajante entrar no país.

Para evitar problemas na alfândega e imigração e em outro idioma que nem sempre você é fluente, indicamos levar impresso também os comprovantes de passagens aéreas (ida e volta), reserva de hotéis e passeios, tudo para comprovar que você não está indo para ficar por lá para sempre!

 

Idioma

Uma das coisas mais legais de Miami é justamente o enorme número de latinos residentes da região, fazendo com que o espanhol seja muito falado na cidade – além de claro, o idioma oficial do país, o inglês.

Miami é um dos melhores destinos americanos para quem não fala inglês fluente, já que em quase qualquer lugar alguém vai falar pelo menos espanhol e aí você tenta se virar com o portunhol para não passar perrengue.

Como você vai falar bastante inglês e espanhol em Miami, veja uma lista completinha de falsos cognatos para viajantes, que são aquelas palavras que se parecem em idiomas diferentes mas não significam a mesma coisa.

 

Moeda

Miami é um dos melhores destinos para fazer aquelas tão sonhadas comprinhas em farmácias, outlets, lojas de marca, enxoval em lojas de bebê e mais, mas para conseguir comprar tudo isso, primeiro você precisará fazer a triste troca de Real por Dólar americano, que está em uma conversão chatinha de US$ 1 = R$ 5, nada favorável.

Mas faz parte, né? Pelo lado bom, o dólar americano é fácil de encontrar em qualquer casa de câmbio e vai ter facilidade para trocar o Real. 

Aqui a dica é trocar o Real por diferentes notas de dólar, nada de inventar de viajar só com notas altas de US$ 100!

 

Serviços para a sua viagem

Conhecer Miami é o sonho de muitos viajantes, mas com o preço do dólar e das passagens aéreas, pode ficar mais difícil tirar esse sonho do papel.

Para ajudar o viajante a realizar esse e outros sonhos, temos uma ferramenta para ajudar o viajante a monitorar as melhores passagens e preços para Miami.

 

Como chegar

Miami é, sem dúvida, um dos destinos preferidos dos brasileiros - e as companhias aéreas estão de olho nisso. Não por acaso, há muitos voos diretos entre o Brasil e Miami saindo de diversas cidades. Campinas, Manaus, Belém, São Paulo, Fortaleza, Rio de Janeiro, Recife, Brasília e Belo Horizonte já contam com o seu próprio voo sem escalas até o destino. Para quem vive em outras regiões do país, também é fácil fazer uma conexão em qualquer uma destas cidades e chegar rapidinho a Miami.

Os voos são operados pelas companhias aéreas Azul, American Airlines, Latam e Avianca, sendo que cada uma destas voa entre determinados trechos. O trajeto entre as cidades brasileiras e Miami costuma levar entre 5h30 (no caso de Manaus) e 9h (para saídas do Rio de Janeiro). A chegada dos aviões irá ocorrer pelo moderno Aeroporto Internacional de Miami, localizado a cerca de 12km do centro da cidade. 

Saindo do aeroporto, há opções de ônibus para South Beach ou metrô com destino à Downtown. Além disso, os táxis e vans que saem do aeroporto e deixam os viajantes na porta do hotel têm preços tabelados para a maioria das regiões da cidade. 

Uma alternativa é a chegada pelo Aeroporto de Fort Lauderdale, com voos diretos desde Campinas operados pela Azul. Embora não seja difícil encontrar boas promoções de passagens para Miami, em alguns casos pode ser mais econômico voar para Fort Lauderdale. Se as passagens para o destino estiverem com bons preços, não há porque hesitar, pois o aeroporto está a apenas 38 km do centro de Miami. Além disso, viajantes que já estejam nos Estados Unidos poderão encontrar boas opções de voos em companhias aéreas low cost com destino à cidade.

Além da grande oferta de voos para Miami, é bom saber que a região também está na rota dos cruzeiros internacionais. Dessa forma, é possível encontrar algum cruzeiro que conecte sua cidade de partida ao destino, podendo curtir todos os momentos da viagem e não apenas a chegada. 

Vida noturna

Há quem viaje para Miami pensando apenas em curtir o dia, mas há também aquele tipo de viajante que mal pode esperar o sol se pôr para aproveitar a vida noturna da cidade. Nesse caso, é importante lembrar que as baladas em Miami funcionam de maneira diferente das brasileiras. Enquanto por aqui basta pagar para entrar em um local, por lá é o segurança de cada estabelecimento que decide quem vai entrar.

Não adianta reclamar: se você não for escolhido, é hora de ir embora ou tentar outra balada. Isso acontece porque a vida noturna em Miami é concorrida demais e as principais festas não comportam todo público que gostaria de frequentá-las. Para aumentar as chances de entrar, é importante estar com documentos em mãos (se estiver sem o seu passaporte, melhor nem tentar) e vestido de forma elegante. Além disso, chegar cedo, de preferência antes das 22h, irá garantir muitos pontos nessa disputa por quem entra no espaço.

Um diferencial é ter o seu nome na lista da balada (o que também não garante a entrada, mas ajuda). Muitos hotéis irão auxiliar os hóspedes a colocar seus nomes nas listas, conseguir ingressos com antecedência para as festas ou oferecer informações atualizadas sobre os lugares da moda. Lembre-se apenas de que menores de 21 anos não podem beber álcool em Miami.

South Beach é onde se concentra a maioria das baladas e também onde os preços para curtir a noite costumam ser mais caros. Muitas casas noturnas e bares ficam espalhados pela Ocean Drive, paralela à praia, onde o maior movimento se concentra entre as ruas 7 e 12. Embora mais tranquila, a Lincoln Road é também repleta de restaurantes e bares. Em Downtown Miami há ainda diversas opções de after hours - aquelas casas noturnas em que a badalação não tem hora para terminar.

Para os mais tranquilos, uma boa escolha de programa para fazer à noite costuma ser um jantar no Bayside Marketplace, um shopping a céu aberto com vários restaurantes que  oferece música ao vivo e uma ótima vista. Quem busca economia e não faz questão de agito pode curtir o happy hour oferecido por bares e restaurantes da cidade, momento em que é possível desfrutar de duas bebidas pelo preço de uma.