A capital andaluz é um destino praticamente certo para aqueles viajantes que sonham em conhecer o sul da Espanha. Com pouco menos de 700 mil habitantes, Sevilha permanece sendo uma cidade pequena, mas possui atrações que seriam dignas de uma grande metrópole. Tudo isso com a facilidade de caminhar entre diferentes áreas, já que a maior parte dos locais de interesse turístico estão relativamente próximos uns aos outros.

Outro ponto que facilita a busca por acomodações na cidade é o fato de que os preços dos hotéis não costumam ser caros. Até mesmo na alta temporada (entre os meses do verão europeu e durante a realização de festas locais) é possível reservar sua acomodação com preços econômicos, desde que a reserva seja feita com antecedência de pelo menos dois meses. Veja abaixo algumas das melhores regiões e nossas dicas sobre onde ficar em Sevilha e comece já a preparar sua viagem. 

Casco Antiguo

Como a maior parte das atrações de Sevilha fica localizada no Casco Antiguo, essa é sem dúvida uma das melhores regiões para se hospedar durante uma viagem. Com suas ruelas estreitas e labirintos que remetem a uma Espanha medieval, você estará cercado de restaurantes típicos, construções históricas e muita animação. Estar no Casco Antiguo, seja no bairro centro ou em Santa Cruz, é garantia de poder deixar o transporte público de lado e desbravar o melhor da cidade a pé. Como há muitas opções de hospedagem no entorno, não será difícil encontrar alguma que corresponda às suas expectativas. 

Triana

O bairro mais boêmio de Sevilha pode ser uma escolha de hospedagem interessante para aqueles viajantes que adoram curtir a noite. Com menos opções de hotéis, a área (que, por sinal, é considerada como o berço do flamenco) pode também ser um pouco mais cara do que o Casco Antiguo. De qualquer forma, a acomodação na cidade costuma ser razoavelmente barata, principalmente quando comparada com outras regiões espanholas. Lembre-se apenas de que Triana fica um pouco mais afastada, do outro lado do Rio Guadalquivir, a cerca de 30 minutos de caminhada do centro. 

Macarena

Não adianta já sair fazendo a dancinha, Macarena não tem nenhuma relação com a famosa música que foi sucesso nos anos 90. Seu nome é, na verdade, uma homenagem à Basílica de la Virgen de la Macarena. Localizado também na parte mais antiga de Sevilha, o bairro é uma opção interessante para viajantes, embora um pouco mais longe do centro. Como os hotéis são mais baratos do que no Casco Antiguo, a distância pode compensar em termos de economia, mas lembre-se de que você irá depender de transporte público caso fique hospedado em Macarena. 

La Cartuja

Apesar de não ser uma região interessante para quem viaja apenas a turismo, La Cartuja pode ser um bom ponto de partida para quem vai estudar ou realizar um intercâmbio na Espanha, já que algumas faculdades da Universidade de Sevilha ficam ali. Graças a isso, o agito noturno também é grande e conta com a presença de muitos estudantes. Se ficar no bairro, lembre-se de que a locomoção a outras partes da cidade pode ser dificultada. Mais moderna, a área se localiza em uma pequena ilha no rio Guadalquivir, que também abriga o parque de diversões Isla Mágica.

Los Remedios

Situado ao norte de Triana, este bairro residencial também faz fronteira com o rio Guadalquivir. No mês de abril, é onde se localizam as feiras, mas há também outras atrações por lá, como o Parque dos Príncipes e o Museu das Carruagens. Mesmo estando um pouco afastado do centro, Los Remedios dispõe de boa conexão via transporte público. Embora mais caro, é uma dica interessante para quem viaja à cidade para ver as procissões da Semana Santa ou durante a Feira de Abril, uma animada festa de primavera que se celebra normalmente uma ou duas semanas após a Semana Santa. 

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Sevilha

Hospedagem em Sevilha

menor valor maior valor
Pousada R$ 173,90 R$ 734,30
Apartamento R$ 183,05 R$ 4.576,23
Albergue R$ 205,93 R$ 892,36
Hotel R$ 362,46 R$ 1.857,67