Uma cidade bela e com muita história. Palco de disputas, dominações e guerras emblemáticas, Varsóvia a capital da Polônia, já teve seus tempos negros, mas conseguiu ressurgir das cinzas e mostrar todo o seu valor. Hoje, a região é vibrante, colorida e atrai cada vez mais a atenção de turistas, especialmente daqueles que...

Leia Mais
  • População 1.711 milhões

  • Hora local 15:59

  • 1 Zloty R$ 0,96

  • Temperatura local 25º Ver previsão

Calcule quanto irá custar sua viagem para Varsóvia

Atrações turísticas em Varsóvia

Veja todos

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Varsóvia

Hospedagem em Varsóvia

menor valor maior valor
Albergue R$ 71,65 R$ 255,88
Apartamento R$ 85,98 R$ 3.069,54
Pousada R$ 90,07 R$ 472,87
Hotel R$ 139,20 R$ 556,27

Alimentação em Varsóvia

Média de preços por dia com base em centenas de experiências

  • Café da manhã


    R$ 11,98 PLN$ 12.48 a R$ 19,47 PLN$ 20.28
  • Almoço


    R$ 17,28 PLN$ 18.00 a R$ 35,03 PLN$ 36.48
  • Jantar


    R$ 29,27 PLN$ 30.48 a R$ 41,94 PLN$ 43.68

Guia Varsóvia

Uma cidade bela e com muita história. Palco de disputas, dominações e guerras emblemáticas, Varsóvia a capital da Polônia, já teve seus tempos negros, mas conseguiu ressurgir das cinzas e mostrar todo o seu valor. Hoje, a região é vibrante, colorida e atrai cada vez mais a atenção de turistas, especialmente daqueles que estão em busca de preços mais econômicos no continente europeu. Após destronar Cracóvia e roubar o posto de capital do país, o município se consolidou nos âmbitos político, econômico e social para despontar como o mais importante e representativo da Polônia.

Para aqueles que gostam de História, Varsóvia ficou marcada nos livros escolares – não por bons motivos – graças ao ano de 1944. Foi nessa ocasião que 75% da cidade virou escombros e ficou reduzida a pó após um impiedoso ataque nazista. Inclusive, o filme “O Pianista”, de Roman Polanski, retrata bem essa triste passagem histórica. Na época a região contava com 1,2 milhão de habitantes, sendo 35% judeus. Essa configuração garantia à área a maior população judaica da Europa e do mundo, fato que não se manteve assim por muito tempo. Reclusos no gueto, grande parte deles foram dizimados por epidemias e combates, sendo os sobreviventes encaminhados para campos de concentração.

Apesar disso a capital polonesa mostrou sua garra e força, e como uma verdadeira ave fênix, voltou mais viva do que nunca. Situada às margens do Rio Vistula, a cidade conta atualmente com mais de 1,7 milhão de habitantes, tornando-se a área mais populosa do país. Foi inclusive a sua vontade de prosperar que fez com que Varsóvia passasse por um intenso processo de reconstrução – que levou mais de 10 anos – e teve por objetivo remontar a cidade tal qual existia no século 17. É por isso que hoje o município conta com o charme das casinhas coloridas de antigamente que se mesclam aos modernos bares, restaurantes, cafés e lojas de grifes, garantindo a mistura exata para agradar diferentes tipos de turistas.

Para quem pretende visitar o local, a dica é dar atenção especial à Cidade Velha, que após ser totalmente devastada pelas tropas alemãs e ter passado por essa grandiosa revitalização, atingiu o patamar de Patrimônio da UNESCO. Essa área garante um verdadeiro show de charme e encanto! Já para aqueles que estão em busca de atrativos mais contemporâneos, o transporte público também chama a atenção pela sua eficiência e pela facilidade que proporciona aos turistas.

Como chegar

Infelizmente para o turista que parte do Brasil não há voos diretos para a capital polonesa. Quem faz esse itinerário deve arcar com uma conexão em algum país europeu, mas a boa notícia é que quase todas as companhias que voam daqui para o Velho Mundo garantem essa possibilidade. Air France, Alitalia, British Airways, TAP, KLM e Lufthansa são algumas delas, sempre com conexão em suas cidades sede.

Os voos chegam pelo Aeroporto Frédéric Chopin (WAW), situado 10km ao sul do centro. Para fazer o percurso do desembarque até a sua hospedagem, o turista tem à disposição cinco linhas de ônibus que ligam o aeroporto a diferentes partes de Varsóvia (a 175 e a 188, inclusive, fazem conexão com a estação central). Para aqueles que querem mais conforto, os táxis fazem corridas de apenas 10 minutos de duração até a região central e cobram em torno de 50 zylots.

Agora se você já está no continente europeu, uma boa alternativa é chegar à cidade por trens. Com uma rede ferroviária bastante desenvolvida que possui mais de 23 mil quilômetros de trilhos, a estação mais utilizada é a Warszawa Centralna (Dworzec Centralny), que além de receber vagões vindos de diferentes partes da Polônia conecta a região a outros destinos europeus, como Berlim (Alemanha), Kiev (Ucrânia) e Moscou (Rússia). Outra possibilidade é comprar um voo low cost ou de companhias nacionais, como a LOT Polish Airlines, que podem apresentar promoções interessantes para o seu período de viagem.

As estradas também são bastante bonitas e servem muitas cidades polonesas sem grandes complicações. Por essa razão, percorrer de um canto a outro do país em carros e ônibus aparecem ainda como boas opções. Alguns dos itinerários mais comuns vendidos pelas companhias de ônibus incluem saídas de países como a Alemanha e a Eslováquia. Vale lembrar que o sistema público de transportes de Varsóvia é bastante desenvolvido, portanto um carro não será necessário durante a sua estadia na cidade.

Vida noturna

Em recente pesquisa chamada “Melhor Vida Noturna do Mundo”, a capital polonesa destacou-se ao ocupar nada menos do que a nona posição do ranking. Dentre os pontos que levaram Varsóvia a essa boa colocação está a satisfação quanto ao preço. Segundo os respondentes, a cidade apresenta um ótimo custo-benefício e garante diversão completa por menos de R$130. É por essa razão que hoje a capital da Polônia é um dos principais focos de diversão noturna da Europa!

Portanto, se você não dispensa uma ótima saída para dançar e beber, mesmo que perca parte da manhã seguinte dormindo, Varsóvia com certeza não irá te decepcionar. Para começar a noite, vá em algum bar ou parque para bebericar uma taça de vinho. Por conta das temperaturas geralmente baixas, a bebida costuma ser bastante procurada por clientes, mas se o seu paladar clama por uma cerveja opte pela Van Pur Premium, rótulo nacional bastante encontrado por lá.

Há ainda estabelecimentos especializados em vodka, como o Pijalnia Wódki i Piwa. A novidade para nós, brasileiros, é que nesses lugares o destilado ganha diversos sabores, como avelã, cereja, menta e morango, por exemplo. Geralmente são esses locais também que fazem o esquenta dos mais animados, mas não é incomum quem decida passar a noite inteira por lá curtindo apenas uma boa conversa com amigos e degustando essa bebida tão onipresente no país.

Praga é um dos bairros mais boêmios da cidade. Apesar de levar o nome da capital tcheca, esse é um distrito de Varsóvia marcado por traços soviéticos e que reúne muitos artistas e estudantes. A atmosfera local é mais hipster e alternativa, e por isso mesmo garante uma opção menos mainstream para aqueles que visitam a cidade.

Outra alternativa para quem quer se divertir é a região de Mazowiecka, com diversos clubes e discotecas. Geralmente esses lugares não cobram entrada, mas os preços praticados internamente costumam ser salgados. Fique atento, pois muitas casas noturnas pedem dress code adequado, não aceitando qualquer tipo de vestimenta. Também não é incomum seguranças barrarem grupos grandes de amigos, especialmente quando só há homens neles. A estratégia é sempre mesclar turmas menores com integrantes de ambos os sexos para ninguém correr o risco de ficar de fora!