Mesmo que inevitavelmente seja associada ao terrível ataque nuclear de 1945, Hiroshima conseguiu renascer das cinzas e recuperar a sua paz com o passar dos anos. Hoje, o município japonês tem tamanho mediano, apresentando uma atmosfera cosmopolita relaxada. Ou seja, mesmo que tenha infraestrutura de cidade grande, o que impera por lá é o clima amistoso das urbes interioranas. Contando também com uma eficiente rede de transportes, que inclui ônibus, trens e trams, o viajante que for ao local não terá dificuldades de ir de norte a sul e de leste a oeste sem grandes preocupações.

Abaixo, o Quanto Custa Viajar elenca as áreas mais procuradas quando o assunto é hospedagem na cidade japonesa. São elas:

Centro expandido

Considerada pela maioria dos turistas a melhor região para ficar em Hiroshima, os distritos de downtown mostram bem as cicatrizes que a bomba atômica deixou na cidade. Portanto, grande parte das atrações turísticas, como memoriais e museus que relembram a tragédia, estão situados nessa parte do município. É por lá também que estão muitos parques e áreas verdes, além de largas avenidas e uma vida noturna efervescente, com dezenas de restaurantes, bares e shoppings. Outro ponto positivo é que na região central tudo é feito a pé (mas se ficar com preguiça, é possível utilizar ainda os trams que cortam a cidade de ponta a ponta). É nessa região também que está o Museu Memorial da Paz, o Parque da Paz, o Castelo de Hiroshima, o Parque Central de Hiroshima e o Monumento da Bomba Atômica.

Nas imediações do Parque Memorial da Paz

Localizado em um dos mais agitados centros comerciais e residenciais da cidade, o local foi construído em um espaço que foi aberto pela explosão da bomba nuclear. Ao redor do complexo ficam praticamente todos os pontos turísticos relacionados à tragédia, como também estações de trens que fazem do local um dos mais bem conectados do município. É uma área que conta com bom número de hospedagens, garantindo opções interessantes para os viajantes que prezam por custo-benefício.

Nas imediações da Estação de Hiroshima

Localizado a nordeste do centro, o hub de transportes serve toda a parte oeste do Japão. Separada de downtown por 20 minutos a pé ou apenas 8 minutos de carro ou táxi, a Estação de Hiroshima também desponta como uma das melhores áreas para se hospedar na urbe. Isso porque nas suas imediações há uma grande concentração de lojas, escritórios e hotéis de todos os tipos (e que cabem em todos os bolsos). A 10 minutos de caminhada da região, o turista também alcança pontos turísticos importantes, como os templos de Onagatenmangu, Shojoki e Kokuzenji e os santuários de Toshogu e Tsuruhane.

Miyajima

Situada na Baía de Hiroshima, a ilha japonesa é famosa por ter um dos santuários mais belíssimos da região, o Itsukushima, que foi declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 1996. Dispondo de balsa e barcos para fazer a travessia, o viajante leva em média 10 minutos entre as duas localidades. Habitada por veados e macacos que vivem livremente, Miyajima é um destino para quem pretende ter uma estadia calma e em contato com a natureza. Por mais que seja possível fazer um passeio de bate-volta para a área, quem decide se hospedar na região tem a chance de mergulhar de cabeça no misticismo e tranquilidade do local.

Yokogawa

Antes da bomba, a região era considerada a parte central de Hiroshima, mas hoje o local tem status de município próprio. Com uma atmosfera relaxada, a região – localizada a oeste da cidade japonesa – conta com diversos estabelecimentos para comer, sair e beber. É uma área para quem deseja ter à mão uma boa rede de transportes, mas pretende também ficar mais alheio à correria da cidade.

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Hiroshima

Hospedagem em Hiroshima

menor valor maior valor
Pousada R$ 124,35 R$ 393,77
Apartamento R$ 129,53 R$ 1.508,75
Hotel R$ 181,34 R$ 683,91
Albergue R$ 209,84 R$ 658,00