• Café da manhã

    R$12.00 R$18.00 R$24.00
    R$ 12,00 R$ 18,00 R$ 24,00
    Baixo custo Econômico Conforto
  • Almoço

    R$18.00 R$36.00 R$54.00
    R$ 18,00 R$ 36,00 R$ 54,00
    Baixo custo Econômico Conforto
  • Jantar

    R$21.60 R$36.00 R$70.80
    R$ 21,60 R$ 36,00 R$ 70,80
    Baixo custo Econômico Conforto

Onde comer em Goiânia

Lugares que você deve experimentar em Goiânia

Powered by Fousquare

Guia Alimentação em Goiânia

Um dos atrativos mais ricos da capital goiana é a sua gastronomia. Com iguarias que prometem ser algumas das mais gostosas do país, o turista que viajar para o local não poderá deixar de apreciar as suas famosas comidas típicas. Alguns dos ingredientes mais influentes por lá são o milho, o arroz e os frutos do Planalto Central, como o pequi e a guariroba. Com influência indígena e europeia, a culinária de Goiânia também conta com um toque dos tropeiros vindos de São Paulo e Minas Gerais, que até hoje são presença garantida nos cardápios da região.

A Pamonha Goiana é uma das delícias que você não pode ir embora sem experimentar ao menos uma vez. Feita com milho ralado, a comida típica pode ser consumida nas versões doce e salgada. Aliás, Goiás clama ser o inventor dessa iguaria, apesar de São Paulo e Minas Gerais também estarem no páreo. Por lá, fazer pamonhas é um verdadeiro evento social, onde famílias e amigos se juntam para prepará-las e degustá-las. As diversas pamonharias da cidade estão sempre cheias, fato que mostra bem o apreço do goiano pela comida. Por essa razão, não deixe de experimentar a pamonha goiana quando estiver na cidade!

Também utilizando o milho como principal ingrediente, o Angu é resultado de uma receita simples onde o cereal é batido com sal e água no liquidificador para, então, ser coado e servido. É um dos acompanhamentos mais pedidos na cidade, sendo quase que onipresente em todos os restaurantes locais. Inclusive, ele é consumido com bastante frequência junto à Galinhada, outro prato típico do estado em que o arroz é reforçado com frango caipira, pequi e cúrcuma, que garantem coloração alaranjada à comida.

Já o Empadão Goiano também é uma versão regional da famosa torta de frango consumida em praticamente todo o país. Com massa fininha ao fundo, mediana em cima e queimada nas laterais, essa iguaria leva ainda pedaços de linguiça caseira, azeitonas e guariroba (também chamado de gueroba, um tipo de palmito amargo muito comum no cerrado brasileiro).

O Arroz com Pequi também tem grande destaque nos menus locais. Com sabor doce e forte aroma, o fruto comum à região não permite meios termos: ou você ama ou odeia. Nesse prato, o arroz leva frango e pequi, que pode ser inserido inteiro ou apenas a sua polpa. Se a receita escolhida levar o fruto completo, tome cuidado na hora de comer. Isso porque o pequi possui um caroço cheio de espinhos que grudam e machucam a língua dos mais desavisados. A maneira certa de degustar o pequi é roer a sua parte amarela, ou seja, a polpa, sem nunca avançar para a camada mais dura.

Outro prato que leva pequi e arroz é a Panelinha, uma espécie de risoto rústico que ainda conta com carne ou frango, pimenta de cheiro e açafrão. Servida em uma panelinha, a iguaria pode ser encontrada em restaurantes gourmets da capital do Goiás. O Arroz de Puta Rica também é muito consumido em restaurantes típicos goianos. Feita com carnes defumadas, essa receita ficou tão popular que ultrapassou os limites do estado e pode ser encontrada em outros lugares do Brasil, como São Paulo.

Já a Matula consiste em ser um tutu de feijão branco ou mulatinho cremoso, engrossado com farinha de mandioca e incrementado com pedaços de linguiça, carne de sol ou carne de lata (que é curada em banha de porco por 15 dias).

Agora quando o assunto são as sobremesas, o turista poderá experimentar os sorvetes com sabores regionais, como o cajá-manga, murici e araticum. As compotas também são bastante tradicionais em Goiânia, assim como o Doce de Goiaba (que é uma delícia quando sai diretamente do caldeirão para as mesas dos restaurantes).