Por ser uma cidade planejada e bem estruturada, Maringá acaba por oferecer boas opções hoteleiras aos viajantes. Com população majoritariamente de classe média, o município que tem o melhor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do Brasil é dividido em 53 zonas fiscais por questões administrativas. As dez primeiras delas são ainda consideradas bairros da urbe, cada uma com especificidades próprias. Como pontos em comum, todas essas áreas estão na parte central de Maringá, garantem bom abastecimento de transportes e sentimento de segurança acima da média.

Se você não tiver à mão um carro durante a sua viagem, a melhor alternativa é ficar próximo ao centro. Agora se você pretende pegar acomodações mais econômicas, a solução é ir para zonas residenciais (que continuam ainda bem localizadas) e optar por apartamentos do Airbnb.

Abaixo, o Quanto Custa Viajar elenca as regiões mais requisitadas de Maringá para se hospedar. São elas:

Zona 1

É onde fica o centro da cidade e a maior oferta da rede hoteleira (que garante preços intermediários aos viajantes). A localização e a comodidade são, portanto, os pontos mais valorizados da área. Tudo fica perto, além de haver bom abastecimento da rede de transportes públicos e hotéis que cabem em todos os gostos. É lá ainda que está a Catedral de Maringá, com o seu icônico formato piramidal, e o Parque do Ingá, que contribui para que a cidade seja uma das mais verdes do Brasil. Quem opta por essa região deverá desembolsar um pouco mais, mas economizará em transporte e em tempo, pois estará perto de basicamente tudo o que deseja conhecer na urbe.

Zona 3

Também chamado de Vila Operária, esse bairro surgiu com inúmeras casas de madeira feitas para abrigar os trabalhadores das indústrias locais. Com o passar do tempo, as fábricas foram se afastando e levando consigo os operários, que viram os custos da região aumentarem radicalmente com o aparecimento de edifícios. Também margeada pelo Parque do Ingá, a área conta ainda com outros dois lugares para práticas esportivas: o Centro Esportivo Doutor Luiz Moreira de Carvalho e o Complexo Esportivo Brinco da Vila. Além disso, a região está próxima a dois shoppings, o Maringá Park e o Avenida Center. É uma região mais residencial e, por isso, o turista que ficar por aqui contará com apartamentos para alugar e alguns poucos hotéis.

Zona 5

Bairro nobre de Maringá, com moradores ilustres e algumas das casas mais belas da região. Também chamado de Maringá Velho, o local possui uma das hospedagens mais caras do município. Apesar disso, a área conta também com residências humildes, ilustrando um dos maiores contrates sociais da cidade. Isso, porém, não é fator de alarde, pois o bairro é considerado calmo e seguro. A Zona 5 também tem bastante comércio e infraestrutura capaz de aplacar todas as necessidades dos moradores e viajantes. Alguns dos pontos turísticos da região são a Capela Santa Cruz (primeiro templo religioso da urbe), o Teatro Calil Haddad (o maior do norte do Paraná) e o Bosque das Grevíleas (que conta com árvores somente dessa espécie).

Zona 7

Por abrigar a maior instituição de ensino do município, a UEM (Universidade Estadual de Maringá), o bairro teve desenvolvimento acelerado e desponta hoje como outra boa área para se hospedar. É aqui que fica a Vila Olímpica, que compreende o Estádio Regional Willie Davids, o Ginásio Chico Neto, o Ginásio Valdir Pinheiro, além de parque aquático, velódromo, pistas de atletismo e quadras de areia. Considerada o bairro mais verticalizado da cidade, a Zona 7 tem intenso comércio, boa proximidade com o centro e disponibilidade interessante de acomodações para estadias de médio-longo prazo. Conta ainda com intensa vida noturna e abriga o Museu Dinâmico Interdisciplinar (MUDI), o maior da área de ciências presente no estado.

Encontre a hospedagem perfeita para você

As melhores opções de hospedagem em Maringá

Hospedagem em Maringá

menor valor maior valor
Apartamento R$ 88,00 R$ 217,00
Hotel R$ 140,00 R$ 343,52
Pousada R$ 144,00 R$ 144,00