Viagem pode ser iniciada em diversos pontos do país – como, por exemplo, em Zurique, a metrópole suíça com a maior diversidade cultural

Desde 1847, quando o primeiro trem circulava pela Suíça na área de Zurique, os suíços se apaixonaram por esta forma de viajar. Eles viram nesse meio de transporte uma forma prática e agradável de se deslocar e, onde havia uma cidade ou uma montanha, como a Jungfrau, fizeram uma linha de trem.

Para celebrar essa mobilidade, foi criado o Grand Train Tour of Switzerland, circuito ferroviário lançado pelo Turismo da Suíça em 2015, que atravessa 1.600 km de ferrovias pelos cantões, montanhas e lagos do país, passando por 44 atrações, 22 lagos, 11 Patrimônios Mundiais da UNESCO, cinco vales alpinos, quatro regiões linguísticas e duas reservas de biosfera.

De trem, o itinerário entre Genebra e Zurique dura em torno de 2h40. Contemplando a bela paisagem pela janela, nem se nota o tempo passar. A elegante Zurique reúne mais de 50 museus, 100 galerias de arte e mais de 2 mil restaurantes para todos os gostos.

Um dos percursos mais famosos do país está entre Zermatt e St. Moritz e dura pouco mais de sete horas. Das janelonas do trem panorâmico Glacier Express, a vista é de tirar o fôlego: montanhas intocadas, desfiladeiros profundos e vales encantadores, além de 91 túneis e 291 pontes vertiginosas.

As rotas no circuito incluem as chamadas linhas panorâmicas. O Wilhelm Tell Express, que vai de Lucerna a Lugano, combina cruzeiro no lago com viagem de trem ao longo da ferrovia Gotthard, em duas das quatro regiões do país com diferentes idiomas e culturas: Lucerna (alemão), na região Central; e o cantão de Ticino, de forte influência italiana.

Já o Bernina Express circula pela rota Albula-Bernina, cuja paisagem é listada como Patrimônio da Humanidade pela Unesco. A ferrovia atravessa a fronteira numa viagem entre Thusis e Tirano, já na Itália. O Glacier Express, por sua vez, entra no Grand Tour não só por sua paisagem de St. Moritz a Zermatt, onde se sobressai o Materhorn, mas pela gastronomia preparada a bordo, na cozinha da composição. E há ainda o GoldenPass Line, que liga Montreux, no Lago Genebra, a Interlaken e Lucerna.

Para fazer todo esse trajeto, o Swiss Pass é a fora mais indicada. O passe é válido para todo o sistema de transporte suíço, ou seja, inclui navios, ônibus, transporte urbano e trens. No Brasil, o passe pode ser adquirido através do site da Rail Europe, líder em distribuição dos bilhetes e passes dos trens na Europa.

Com um único bilhete é possível conhecer todo o país, utilizando todos os meios de transporte. Jovens entre 16 e 25 anos e crianças de 4 a 15 anos têm descontos nas passagens. Menores até 4 anos viajam gratuitamente.

Roteiro clássico de viagem de trem na Europa

Conheça o destino que não pode faltar em sua primeira visita ao Velho Continente

Zurique – Lucerna – Interlaken

A Suíça conta com uma eficiente rede ferroviária, o que proporciona facilidade de locomoção aos turistas que visitam o país. Em Zurique, percorra o centro histórico, a orla e faça um passeio de barco pelo lago. A menos de 1h de trem da capital, Lucerna encanta por suas belezas arquitetônicas – com suas charmosas construções medievais – e naturais, pois está rodeada pelos alpes nevados.

Um dos principais destinos turísticos do país, Interlaken está a cerca de 2h de Lucerna, viajando de trem. É o ponto de partida para a famosa subida ao complexo “Top of Europe”, a estação de trem mais alta da Europa. O local conta com um parque de diversões nas alturas, além de muita neve, esculturas de gelo e vista de tirar o fôlego.

Partiu para essa aventura que promete ser maravilhosa? Confira quanto custa viajar para Zurique e programe essa viagem!

Texto e fotos: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *