O Vale Europeu em Santa Catarina é uma região que traz um pouquinho da Europa para o Brasil. Colonizado por imigrantes italianos e alemães, as raízes culturais desses povos permanecem fortes até os dias de hoje no vale que é cortado pelo imponente Rio Itajaí.

Diversas cidades fazem parte do Vale Europeu e fazer um tour pelos principais destinos (ou em todos) é bem possível. Quem tem vontade de viajar para cidades do interior, encher a barriga em um café colonial, ter maior contato com a natureza e aproveitar festas típicas vai amar visitar a região.

Por isso, separamos algumas dicas de cidades legais para conhecer no Vale Europeu em Santa Catarina para você se planejar, pegar a estrada e ser bem recebido pelo povo alegre e simpático do estado.

Como visitar o Vale Europeu em Santa Catarina

vale europeu em santa catarina
Foto: Rosanetur

A primeira coisa a saber para começar a se planejar é entender como se deslocar de uma cidade para outra. Nossa dica é que a viagem seja feita de carro, porque você tem mais liberdade para ir de um lugar ao outro dessa maneira. Só muita atenção para dirigir pela BR-470 porque muitos trechos são de pistas simples e a imprudência de muito motorista no volante causa acidentes!

Quem já mora em Santa Catarina consegue fazer muitos passeios no estilo bate e volta ou pernoitando por uma ou duas noites. É de outro estado e quer passar mais dias no Vale Europeu? Se você reservar de cinco a sete dias, é possível ver as principais cidades e atrações.

Falando em principais cidades, você pode definir Blumenau, Pomerode, Timbó e Nova Trento como sua base para hospedagem. Isso porque, partindo de cada uma delas, ficará bem fácil se deslocar mais outras regiões.

Agora sim, pronta para anotar nossas dicas de cidades e passeios?

1. Blumenau

Já começamos as dicas de passeios pelo Vale Europeu em Santa Catarina com uma das principais cidades da região, a linda Blumenau! É bem provável que você conheça este destino por conta da Oktoberfest, que, diga-se de passagem: é uma das festas mais legais do Brasil!

Inclusive, sabia que Oktoberfest de Blumenau é a segunda maior festa de tradições germânicas do mundo, ficando atrás apenas da Oktoberfest de Munique (cidade que criou essa tradição)? O lugar é perfeito para dançar, escutar músicas alemãs, saborear a gastronomia e, claro: beber pra valer!

A festa acontece sempre na Vila Germânica que funciona como um centro de eventos o ano inteiro já que conta com restaurantes, bares, cafés e lojas de artesanato. Mesmo que não esteja indo para Blumenau em outubro, saiba que você encontrará muita coisa boa na vila.

Passear pela Rua XV de Novembro, observando a arquitetura colonial alemã, também tem que fazer parte do seu roteiro. O prédio da prefeitura e a Catedral de São Paulo são destaques neste sentido. Dê uma passadinha no prédio da década de 40 onde se encontra a Feira do Artesanato, sem dúvidas você trará um presentinho legal.

Visitar cervejarias que fazem parte da Rota da Cerveja do Vale do Itajaí, ir ao Museu da Cerveja, passar a tarde no Museu dos Hábitos e Costumes e até fazer uma degustação ou conhecer o Museu Família Colonial são passeios bem interessantes na cidade.

Já quem gosta de natureza pode passar boas horas nas trilhas do Parque Ecológico Spitzkopf, do Parque das Nascentes e do Parque São Francisco de Assis. O Recanto Paraíso do Miguel também é ótimo para os dias de calor (comuns em Blumenau), já que conta com estrutura de quiosques com churrasqueiras, cachoeiras e riachos. O valor da entrada é R$ 8 por pessoa.

Quer visitar a cidade? Pesquise hotéis e hostels em Blumenau aqui!

2. Pomerode

Pomerode é a cidade mais alemã do Brasil. As raízes germânicas são fortes e tradicionais na cidade que recebe milhares de visitantes todos os anos. As festas típicas alemãs que acontecem no centro de eventos da cidade fazem parte dos passeios obrigatórios.

Durante a Páscoa, a Osterfest é imperdível. O ovo decorado gigante chama a atenção pela beleza, mas dar um giro pela feira gastronômica é literalmente uma delícia. Pratos típicos alemãs, chope dos bons e quentão com vinhos coloniais animam moradores locais e turistas.

Outra festa bacana é o Festival Gastronômico de Pomerode. Reservar um dia para almoçar por lá é garantia de comida boa. Durante o Natal tem mais festas tradicionais! A Weihnachtsfest é cheia de encanto e vale a pena ser visitada para comprar algum artesanato e, claro: comer bem!

Em todas essas festas ou no centro da cidade, você vai encontrar chocolates da Nugali, uma fábrica local que prepara tudo artesanalmente. Os chocolates são premiados e bem gostosos! Pomerode também faz parte da Rota Cervejeira do Vale do Itajaí e ir até a Schonstein Kneipe, com sua chaminé de 30 metros de altura, também é uma boa pedida.

Mas a cidade mais alemã do Brasil não se resume apenas a comilança. A arquitetura germânica também é destaque, principalmente para quem percorre a Rota do Enxaimel, trecho que faz parte do Circuito do Vale Europeu com várias casinhas do tipo enxaimel. Tem passeio para fazer a rota de charrete, é bem legal! Encontrar pessoas com bike por Pomerode é bem comum, se tiver fôlego, você também pode fazer alguns passeios dessa maneira.

Para que gosta de história, o Museu Pomerano, o Museu do Marceneiro, a Casa do Imigrante Carl Weege e a Casa do escultor Ervin Curt Teichmann são paradas essenciais. Quer curtir esse pedaço da Alemanha no Brasil? Veja aqui onde se hospedar em Pomerode!

3. Rio dos Cedros

Entre Pomerode e Timbó temos a charmosa Rio dos Cedros com suas casas típicas alemãs principalmente se passear pelas estradinhas do interior da cidade. O destino no Vale Europeu é ideal para quem gosta de natureza e paisagens exuberantes.

A Cachoeira Formosa, com 34 metros de queda d’água, é uma das mais bonitas do estado. A trilha para chegar até lá não é das mais simples e tem muito trecho escorregadio que passa por uma pequena caverna, mas nada que um preparo e acompanhamento de um guia não resolva.

A Gruta e Cachoeira do Índio também vale a visita. Localizada dentro de uma propriedade particular, o visitante paga R$ 5 pela entrada e pode ver e se divertir na cachoeira que tem 25 metros de altura.

Aos finais de semana, passeie no Pesque e Pague Andreazza. Esta é uma região bem alta da cidade e proporciona o lazer da pescaria e uma vista lindona da cidade a partir da rampa de voo livre que muita gente usa para saltar e sobrevoar a cidade.

Sempre no feriado de 7 de setembro acontece a Festa Trentina na cidade, com celebrações em memória aos primeiros italianos que colonizaram a região. Tem dança e comida típica de montão!

4. Timbó

Pense em uma gracinha de cidade! Rodeada de cachoeiras e cânions, a pequena Timbó agrada não só os aventureiros, mas quem gosta de clima de interior e quer conhecer os costumes europeus sem sair do Brasil. Colonizada por alemães e italianos, a cidade é marcada pela Festa do Imigrante, que traz bailes, comida típica e artesanato dos dois países.

Conhecida como Pérola do Vale, Timbó tem todo o jeitão de cidade do interior cheia de tranquilidade, ruas de paralelepípedo sem muvuca de carros, gente andando de bicicleta e crianças brincando nas praças. Mas, ao mesmo tempo, os turistas encontram bons bares, restaurantes e lojas. Apesar de ser pequena, você encontra muito hotel bom em Timbó e, por isso, nós recomendamos que você escolha a cidade como base.

As atrações na cidade não são diversas, mas vale muito a pena ir ao Parque Ecológico Freymund Germer para subir o Morro Azul, o ponto mais alto da cidade. Não é todo veículo que consegue chegar até lá, já que a subida é íngreme e muito carro patina na estrada. Se ir até o Morro Azul for difícil, vá ao Mirante do Morro Arapongas. De lá, muita gente costuma saltar de parapente.

Para passeios culturais, visite e aprecie o acervo do Museu da Música, aprenda sobre o passado no Museu do Imigrante e conheça obras do poeta timboense Lindolf Bell. A casa do artista foi tombada como patrimônio cultural e pode ser visitada.

A área verde do Parque de Exposições Franz Damm, também chamado de Jardim Botânico, é linda e possui diversas trilhas ecológicas fáceis de completar. Mas o destaque fica mesmo para o Complexo Turístico da Thapyoka, uma área com represa no coração da cidade construída no século XIX. O lugar rende ótimas fotos.

5. Ibirama, Apiúna, Ascurra e Rodeio

Foto: divulgação / Prefeitura de Apiúna

Pertinho de Timbó e indo mais para o interior do estado, é hora de passar por cidades bem fofinhas do Vale Europeu. Rodeio é a típica cidade colonizada por italianos e a dica por lá é visitar a Vinícola San Michele. Em uma hora de passeio, você degusta vinhos e espumantes, além de descobrir mais sobre a história do local. Em Rodeio, também existe uma tirolesa com 2 km de extensão e os viajantes mais radicais precisam fazer uma pausa por lá!

Já em Ascurra, o destaque fica para a Reserva Ecológica Serra da Leoa. O local conta com trilhas bem bacanas, de intensidade média que levam até a Cruz da Pedra, passando por cachoeiras e mirantes lindos.

Já Apiúna é perfeita para os amantes da natureza. Com mais de 100 cachoeiras catalogadas, estes cenários são perfeitos para prática de esportes radicais, como rapel, rafting e montanhismo. Em Apiúna ainda tem o passeio mensal de Maria-Fumaça, a criançada adora! Em Ibirama, você também encontra muitas aventuras, principalmente o rafting no Rio Itajaí, certamente um passeio bem radical!

Neste trecho, caso esteja viajando de carro, nós queremos alertar para que você tenha bastante cuidado na BR-470, principalmente na serra entre Ibirama e Rio do Sul. A estrada é de pista simples em muitos trechos, mas as curvas da serrinha são perigosas e infelizmente é comum vermos notícias de acidentes no local. Vá sem pressa e sem fazer ultrapassagens perigosas.

6. Nova Trento

A colonização italiana fala alto até hoje em Nova Trento. A pequena cidade é conhecida pelo Santuário de Santa Paulina, feito em homenagem a primeira santa brasileira, também merece uma visita. Cercada por muito verde, o lugar tranquilo é recomendado para uma caminhada e observação da paisagem. Independente de sua crença, este é um lugar gostoso para visitar, já que a atmosfera de paz impera por todos os lados.

As vinícolas também são destaque na região. A principal é a Vinícola Girola, que tem um milhão de litros de vinho armazenado. O passeio guiado dá direito a degustação de alguns rótulos, além de a oportunidade de conhecer de perto a história do local.

Para comer, a dica é ir ao café colonial La Torre do Vinho Vô Luiz. Tem muita opção para encher a pança, além de produtos coloniais para trazer na mala e vinícola para saborear mais vinho! Veja aqui onde se hospedar em Nova Trento.

7. Brusque

Brusque é a cidade perfeita para quem quer fazer compras no Vale Europeu, já que polos têxteis estão espalhados por todos os cantos. Inclusive, é em Brusque que muitas lojas compram roupas e as revendem em outros estados, sabia? O preço é bem em conta e se estiver de passagem, por que não aproveitar para renovar algumas peças do guarda-roupa?

Um pedacinho bem interessante em Brusque é o Parque das Esculturas. O espaço a céu aberto inaugurado em 2014 tem obras de artistas renomados como Oscar Niemayer e Tomie Ohtake, por exemplo. Caminhar pelos jardins enquanto aprecia as peças é o tipo de passeio que apreciadores de arte vão adorar.

Fãs de astronomia vão amar conhecer o Observatório Astronômico Tadeu Cristóvam Mikowsky, considerado um dos melhores do nosso país. Se estiver viajando em outubro para Brusque, saiba que você pode aproveitar a Fenarreco, a Festa Nacional do Marreco, uma combinação ótima de gastronomia, cerveja e música alemã.

8. Botuverá

Está será a chance de você visitar a maior caverna do sul do Brasil e considerada uma das mais bonitas da América do Sul. A Caverna Botuverá é fascinante e possui salões que se estendem por 1.000 metros, alguns com 20 metros de altura. Nem todo esse espaço está aberto para visitação e o percurso acontece apenas em 220 metros da caverna.

As esculturas internas formadas pela ação do tempo e da água no local surgiram, nada mais nada menos do que há 65 milhões de anos. O passeio é realmente inesquecível! O Parque Municipal das Grutas de Botuverá funciona de terça a domingo, das 8h às 16h. A visitação é monitorada por guias, obedecendo todos os critérios de segurança, e dura aproximadamente 45 minutos.

Depois, o visitante pode aproveitar a infraestrutura do parque, que conta com churrasqueiras, praça de alimentação e até uma trilha ecológica que chega a uma queda d’água. Botuverá fica perto de Brusque, você pode programar para sair de Blumenau cedinho, fazer compras em Brusque e, depois, seguir para Botuverá!

E aí, curtiu nossas dicas?

Ainda tem mais um montão de cidade que faz parte do Vale Europeu de Santa Catarina, como Benedito Novo, Canelinha, Doutor Pedrinho, Gaspar, Guabiruba, Ilhota, Indaial, Jaraguá do Sul, Leoberto Leal, Major Gercino, São João Batista e Tijucas, cada uma com seus encantos e atrações turísticas.

Santa Catarina é um estado incrível! Quer visitar praias? Temos! Quer passar uns dias em regiões montanhosas e com cânions? Temos também! Quer aproveitar o interior ou uma cidadezinha com raízes europeias? Pode vir que você vai encontrar o bom e o melhor aqui em nosso estado!

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *