Para um viajante, sendo ele experiente ou não, na Europa tudo é logo ali: de Lisboa a Moscou, por exemplo, leva-se pouco mais de 5 horas.

Graças às distâncias percorríveis em um dia – e a um sistema ferroviário extremamente eficiente – é possível visitar cidades vizinhas saindo pela manhã de uma, passando o dia na outra e voltar à primeira no fim da tarde (ou à noite) sem se cansar ou perder muito tempo com deslocamentos.

Conheça quatro caminhos bem fáceis, partindo de capitais, e que valem – muito – à pena ser percorridos.

ROMA – TIVOLI

A Villa d’Este é conhecida por seus espaços ornados com muita água; a construção fica em Tivoli, próxima de Roma. Foto: Jean-Pierre Dalbéra

É mais que recomendado reservar um dia da estadia em Roma para passear por Tivoli, joia que mescla Antiguidade e Renascimento muito bem conservada nos arredores da cidade. Bastante próximo da capital (são cerca de 40 km de distância), o município, segundo conta a história, foi fundado antes mesmo da Cidade Eterna, tendo sido conquistada pelas tropas do império no século 4 a.C. Tornou-se morada de muitos romanos ricos ainda nos tempos imperiais. O imperador Adriano, encantado com as belezas da região, construiu lá sua Villa Adriana, que ele mesmo desenhou, uma das mais bem conservadas ruínas daquela época na Itália.

A atração mais visitada de Tivoli, no entanto, é outra vila, a Villa D’Este, um complexo emoldurado por belos jardins e fontes – um paraíso para quem gosta de ornamentação externa com muita (muita!) água, com destaque para o paredão que enfileira cem fontes. Erguida no século 16, a propriedade tem afrescos, grutas e muitas estátuas. O ingresso sai por 11,30 euros aqui.

  • Vá de trem:

De onde parte: Pegue um trem regional da estação Termini
Quanto tempo dura a viagem: 52 minutos
E depois? Da estação de Tivoli, peque o ônibus 4, que leva ao centro da cidade

E de ônibus?

Da estação Ponte Mammolo, na linha B do metrô, sai um coletivo em direção à cidade. Busque os ônibus da Cotral, partem quatro por hora. O ponto mais próximo da Villa D’Este é o da Piazza Garibaldi

MADRI – TOLEDO

Um burgo medieval a 72 km de Madri. Assim é Toledo, cidade das mais simpáticas para passar o dia na Espanha (caso decida fazer a visita no verão, vá paramentado: filtro solar, leque e chapéu formam um bom kit de sobrevivência para o calor que faz por lá).

Vista da cidade de Toledo, que faz com Madri um duo imperdível na Espanha. Foto: Greta Schölderle Møller

Com ruas estreitas e muita influência moura em sua arquitetura, Toledo fica no alto de uma colina. A estação de trem e a parada de ônibus, no entanto, ficam na zona “nova” da cidade, em sua parte baixa.

O melhor lugar para tirar aquela foto inesquecível é o Mirador del Valle, que descortina uma vista linda, em tons alaranjados, da cidade fortificada. O muro que delimitava seu perímetro nos tempos mais antigos ainda está, em grande parte, em pé. Os dois portões de acesso mais conhecidos, erguidos com um intervalo de 600 anos, são a Puerta Alfonso VI, do século 10, e a Puerta Bisagra, do século 16 – as escalas rolantes (sim, você pode fazer um roteiro que poupe fôlego) que levam ao centro histórico ficam próximas da primeira.  A escadaria aterrissa no antigo bairro judeu. Fica ali uma das grandes atrações de Toledo, o Monasterio San Juan de los Reyes – como é um bate-volta, vá direto ao claustro, mais bonito que a igreja em si. O ponto alto fica por conta da Catedral, famosa por seu altíssimo campanário, que começou a ser construída no século 12 e levou cerca de 300 anos para ser concluída. São imperdíveis a sala Capitular e a Capela-Mor, ricas em detalhes dourados. A visita completa custa 12,50 euros.

  • Vá de trem:

De onde parte: Pegue o trem na estação Atocha
Quanto tempo dura a viagem: 30 minutos
E depois? Dá para atravessar a Ponte de Azarquiel e chegar a pé à Puerta Bisagra

E de ônibus?

Ônibus da Alsa partem da estação Plaza Eliptica do metrô

LISBOA – SINTRA

Uma das paradas obrigatórias para quem visita a capital portuguesa, Sintra tem ruelas estreitas e palácios imponentes.

A Torre de Belém ergue-se às margens do Tejo, um dos cenários mais conhecidos de Lisboa

O Castelo do Mouros, além de proporcionar uma bela vista dos arredores, impressiona por seguir em pé após 11 séculos. Já o Palácio da Pena, principal cartão-postal local, é bem mais “jovem”: foi construído no século 19. Por lá, segue exposto o mobiliário da época e o enorme jardim que circunda a construção merece ser visitado.

O Palácio da Pena é a grande atração de Sintra. Foto: Pedro Szekely

A Quinta da Regaleira é daqueles castelos típicos das animações que têm princesas no papel principal: alto, alvo e cheio de detalhes. Estátuas de divindades gregas enfileiradas marcam a paisagem de seu bonito jardim, que conta com uma torre invertida, que se afunda quase 30 metros abaixo da superfície – é bom programar-se para chegar cedo por lá, já que a atração fecha às 17h.

  • Vá de trem:

De onde parte: Pegue o trem nas estações Sete Rios, Oriente, Rossio ou Entrecampos
Quanto tempo dura a viagem: 40 minutos
E depois? Entre no ônibus 434 em frente da estação de Sintra para acessar as principais atrações

BRUXELAS – BRUGES

Mais interessante que a capital belga, Bruges é uma cidade medieval muito bem conservada, que guarda em suas ruazinhas lembranças de seu rico passado comercial, já que foi um importante centro entre os séculos 13 e 15. É conhecida como “Veneza do Norte” graças aos canais que a cortam. Os passeios de barco por essas águas são, aliás, muito procurados pelos turistas, já que é possível, dessa forma, ter um panorama-geral da cidade.

Marco de Bruxelas, as Galerias Saint Hubert (e seu teto impressionante) foram erguidas no século 19 Foto: Amandine Cornillon

A praça central, a Grote Markt, preserva duas importantes construções: o Provinciall Hof, bonito edifício neogótico, e o altíssimo campanário da cidade, que soma 83 metros de altura –dá para subir até o topo e apreciar de cima a vista. Bem perto dali fica a praça Burg, onde fica o prédio da prefeitura, que possui uma impressionante fachada, ornamentada por estátuas e janelões. Ao lado, a Basílica do Sangue Sagrado guarda, acredita-se, uma relíquia católica:o sangue de Cristo.

Prédios que se debruçam sobre as águas do canal, em Bruges. Foto: Ghost Presenter

  • Vá de trem:

De onde parte: Os trens partem de hora em hora da estação central de Bruxelas (outro bate-volta possível é a partir da capital holandesa: Amsterdã dista 3 horas de trem de Bruges)
Quanto tempo dura a viagem: uma hora
E depois? É muito agradável percorrer a pé o caminho entre a estação de trem e o centro da cidade

Partiu? Encontre sua passagem aérea para vários destinos na Europa em nosso buscador de passagem.

Para onde viajar
Eu tenhoBudget
e quero viajar porDias
Para onde viajar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *