Você já deve ter ouvido falar por aí sobre slow travel. Esse movimento busca priorizar a experiência nos destinos, dedicando um tempo maior para conhecer cada lugar e, com isso, ter um contato mais próximo com a cultura local.

No ano passado, uma pesquisa realizada pelo Booking.com apontou que 77% dos viajantes brasileiros não acreditam estar aproveitando as oportunidades de viagem ao máximo. A resposta para essa questão pode estar justamente no tempo dedicado a conhecer cada destino.

O mesmo levantamento indica que seis em cada 10 brasileiros sonham em vivenciar novas culturas quando viaja e quase metade deles planejam conhecer pessoas na estrada. Entretanto, tudo isso leva tempo e você precisa se abrir para deixar as coisas acontecerem, algo difícil de ser feito quando sua viagem inclui uma programação fechada para cada dia, com horas contadas nas cidades que visita.

Em grupos de mochileiros nas redes sociais, é comum encontrar dicas de roteiros que incluem 15 cidades em 10 dias ou itinerários com paradas curtíssimas em cada destino. Descontando deslocamentos, jet lag, cansaço e um eventual piriri, pode apostar que a viagem vai render bem menos na vida real do que no papel.

Slow travel: o que é isso?

Pense no conceito de slow travel como um meio-termo entre o estilo de vida nômade e uma viagem do tipo mochilão.

Slow travel
Foto: Katie Moum

Tenha em mente que esse conceito, que pode ser traduzido como “viajar devagar”, não significa que você precise ter férias eternas ou dispor de mais tempo do que outros viajantes. Na verdade, ele está mais relacionado à maneira como se encara a viagem. Está tudo bem viajar slow em 15 dias, se for o tempo que você tem disponível.

Nesse caso, o melhor é escolher apenas um ou dois destinos para conhecer sem pressa. Caso as cidades visitadas sejam pequenas, daria até mesmo para encaixar três lugares neste período razoavelmente curto de tempo e continuar viajando devagar. Uma boa ideia para se manter nessa filosofia e aproveitar a viagem em um ritmo mais lento é dedicar-se a explorar um só país ou região.

O objetivo não é apenas visitar as principais atrações turísticas ou fazer check-in em museus. Neste tipo de viagem, o que vale é o contato com o local. Experimentar um prato no restaurante da esquina vale mais do que infinitas estrelas Michelin. Frequentar a feira de bairro torna-se um passeio mais enriquecedor do que qualquer museu e os verdadeiros guias são as pessoas que se conhecem na viagem.

Como organizar uma viagem de longa duração

Preparamos aqui algumas dicas para organizar uma viagem de longa duração e começar a conhecer o mundo de maneira slow.

Muitas dessas sugestões eu fui aprendendo ao longo dos últimos seis anos, sempre organizando minhas próprias viagens com duração entre dois e três meses. Na minha opinião, essa duração é perfeita porque permite conhecer um país mais a fundo apenas com um visto de turista, que normalmente terá duração máxima de 90 dias. Apesar disso, é possível encaixar um roteiro lento mesmo em períodos menores.

slow travel
Foto: Simon Migaj

Considerando que as férias no Brasil são de 30 dias, você já consegue fazer uma viagem tranquila e não precisa “largar tudo” para percorrer o mundo.

1) Destino e época da viagem

Defina o destino que você gostaria de conhecer e a época em que poderá viajar. Comece escolhendo um país ou região e deixe para definir as cidades que serão visitadas à medida em que pesquisa. Não tenha medo de reservar a viagem inteira em um mesmo destino para explorá-lo com calma.

Na hora de definir o período em que irá viajar, lembre-se de que a baixa e média temporadas costumam ser ótimas épocas para viver experiências mais autênticas.

2) Organize o seu orçamento

Aqui no Quanto Custa Viajar você encontra informações para planejar seu orçamento de viagem. Pesquise pelos destinos de seu interesse e veja os detalhes de preços de cada local. Depois, basta usar nossa planilha para organizar todos os passos do roteiro e definir exatamente quanto espera gastar.

Slow travel
Foto: Rathish Gandhi

3) Faça suas reservas

Pesquise preços de passagens aéreas, faça suas reservas de acomodação e planeje os deslocamentos entre destinos. Para estadias mais longas, alugar um apartamento ou um quarto em uma residência compartilhada pode ser uma maneira interessante de se adaptar à rotina local.

Já publicamos aqui alguns itinerários de viagem testados e aprovados pelo México, Romênia, Inglaterra e Portugal, por exemplo. Embora estes roteiros tenham uma duração menor, eles podem muito bem servir de ponto de partida para conhecer mais a fundo cada um destes países.

4) Organize sua documentação

Dependendo do destino escolhido, você terá que providenciar determinados tipos de documentos. Alguns lugares exigem a contratação de um seguro viagem, enquanto para outros é necessário solicitar um visto com antecedência.

Veja aqui países onde brasileiros não precisam de visto para entrar ou descubra como fazer o seu visto para os Estados Unidos, Canadá ou o Japão.

como organizar uma viagem de longa duração
Foto: Thomas Schweighofer

5) Pense no regresso

Um dos maiores erros ao realizar uma viagem de longa duração é esquecer de como será a vida na volta para casa. Todos os problemas que você deixou parados estarão ali, esperando pelo seu retorno (e perrengue adiado cobra juros!). Por isso, organize tudo que for possível para que a volta seja tranquila.

Antes de viajar, não se esqueça de:

  1. Deixar uma procuração para alguém em quem você confie muito. Se algo der errado, essa pessoa poderá te salvar de qualquer enrascada e até mesmo assinar documentos em seu nome. Isso pode ser fundamental caso você tenha problemas com o cartão no exterior.
  2. Programar todas suas contas para o débito automático para não esquecer nenhum pagamento.
  3. Avisar amigos e familiares caso vá passar algum tempo desconectado. Isso irá evitar preocupações desnecessárias.
  4. Pedir a alguém que visite sua casa a cada 15 dias mais ou menos para ver se está tudo bem. Essa pessoa também pode ser responsável por te avisar se chegaram novas correspondências (e, se for algo importante, você sempre pode pedir que ela abra e lhe envie uma foto do documento).
  5. Se tiver plantas, encontre alguém que possa regá-las com frequência ou instale um sistema caseiro de irrigação.
  6. Suas contas de telefone fixo, TV por assinatura e banda larga podem ser suspensas por um período de 30 a 120 dias por ano, sabia? Já fiz e deu certo, mas você pode saber mais sobre isso no site da Anatel (aqui, aqui e aqui).
Como organizar uma viagem de longa duração
Foto: Simon Rae

6) Faças a malas

Lembre-se de que você não está indo passar apenas um final de semana longe de casa. Sua mala precisa ser condizente com os lugares visitados, clima e, claro, com o tempo em que passará fora. Pense nela como se fosse um verdadeiro armário cápsula e tente reduzir as coisas para levar a um número mínimo para não cair na loucura de sair pelo mundo com a casa inteira nas costas.

Aproveite e confira algumas dicas de comissários de bordo para organizar a bagagem e veja nossas sugestões de como viajar apenas com bagagem de mão (acredite, é possível!)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voe de Avianca para Bogotá e Lima e se conecte com destinos como Cartagena, Cancún, Punta Cana, Orlando e Nova York