O anúncio do lançamento da cédula de R$ 200 pelo Banco Central deu destaque ao lobo-guará, que estampará a nova nota. Indo além do papel, você pode avistar a espécie em um safári no Cerrado, uma das regiões que formam o habitat natural da espécie ameaçada de extinção.

Temos aqui, no Centro-Oeste do Brasil, a maior savana tropical da América do Sul e a mais rica em biodiversidade do mundo. As paisagens da região onde fica o famoso Parque Nacional Chapada dos Veadeiros, reúnem árvores retorcidas, vegetação rasteira, rios, cachoeiras, chapadas, grutas e cavernas.

O Cerrado possui mais de 10.000 espécies de plantas e 320.000 espécies de animais, formando o maior conjunto do planeta Terra. São 200 mamíferos; 830 aves; 180 répteis; 150 anfíbios e 1.200 peixes, além de 90.000 espécies de insetos. 

A perda gradual do bioma é causada pela degradação do meio ambiente e o avanço as atividades do agronegócio. Com projetos de conservação, o animal de pelagem dourada e de longas patas pretas ainda pode ser avistado. A aproximação do público com a espécie amplia a conscientização e a luta pela resistência da vida selvagem.

Apesar do nome, o lobo-guará não é exatamente um lobo, mas sim o maior canídeo sul-americano, podendo ser encontrado ainda em territórios de outros países como Argentina, Bolívia, Paraguai, Uruguai e Peru. Já o “guará” tem origem tupi-guarani, remetendo à cor avermelhada dos pelos deste ícone do Cerrado brasileiro. O animal pode atingir até um metro de altura e pesar 30 quilos.

Pousada Trijunção, situada na divisa dos estados de Goiás, Bahia e Minas Gerais, desenvolve um trabalho em parceria com a Associação Onçafari, que promove a conservação do meio ambiente e de espécies da fauna brasileira por meio do ecoturismo e estudos científicos.

Os hóspedes têm a oportunidade de avistar lobos-guará 100% selvagens em safáris realizados por guias especializados.

Lobo-guará é flagrado em safári no Cerrado – Foto: divulgação

O passeio guiado é realizado em veículo 4×4 pela equipe de ecoturismo, que importou da África do Sul o técnica de habituação, integração neutra entre humanos e animais, que são mantidos livres e selvagens. A diferença é que passam a se acostumar com a presença dos carros, não os enxergando de forma predatória.

Outra opção oferecida pela hospedagem são os safáris noturnos, que trazem a possibilidade de observar outros animais como tatus, tamanduás, raposas-brasileiras e felinos como a onça-parda e a onça-pintada.

As experiências se estendem para observação de aves, observação de estrelas, visita ao berçário de jabutis, caminhadas, passeios de bicicleta, caiaque ou barco para desbravar as paisagens do Planalto Central, além de visita ao Parque Nacional Grande Sertão Veredas – na região que inspirou Guimarães Rosa a escrever uma das mais belas obras da literatura brasileira.

Onça descansa enquanto turistas aproveitam a deixa para fotografá-la – Foto: Eduardo Fragoso/Onçafari
foto: divulgação
Foto: divulgação
Foto: divulgação

Depois do safári no Cerrado, um descanso confortável

Ocupando uma área de 3.300 hectares, a Trijunção proporciona momentos de contato com a natureza e sofisticação na hora de acomodar os hóspedes após um dia ou uma noite de aventuras.

Intimista, conta com apenas sete suítes que exibem a cultura da região por meio do design e artesanato, valorizando a comunidade local. Madeira de demolição, painéis solares, iluminação com baixo consumo de energia e a vegetação introduzida ajudam a tornar a propriedade ecofriendly.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Além de manter um criadouro conservacionista com antas, veados-catingueiro, emas, catetos, queixadas e jabutis, a pousada inclui a sustentabilidade no restaurante, que utiliza ingredientes do Cerrado e da própria produção agroecológica da fazenda, resultando em uma combinação única das culinárias mineira, goiana e baiana. 

Conhecido por sua versatilidade, o pequi é um fruto nativo do Cerrado e pode ser consumido in natura, cozido ou na famosa mistura com arroz ou frango. O preparo clássico da região já é sucesso na pousada.

Foto: divulgação

Para a reabertura em tempos de pandemia, a acomodação estabeleceu novas normas de segurança, entre elas o reforço na sanitização de todos os ambientes e a disposição de álcool em gel em diversos pontos da propriedade.

Também implementou um processo virtual para check-in e check-out, e solicitação dos serviços durante a hospedagem, como agendamento no spa e limpeza de quarto. No restaurante, a capacidade será reduzida e todas as refeições serão servidas à la carte. Condutas de distanciamento social são exigidas nas áreas comuns.

Foto: divulgação
Foto: divulgação
Foto: divulgação
Foto: divulgação
Foto: divulgação

Para reservas clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *