Morar numa metrópole é legal, mas fugir dela aos fins de semana é melhor ainda. Quem vive em São Paulo encontra refúgio no litoral ou no interior, em cidades tranquilas como Atibaia, a apenas 60 km de distância da capital. Com belezas naturais, pousadas charmosas e passeios para todas as idades, consegue agradar casais, famílias e aventureiros em busca de adrenalina.

A estância turística tem um legado rural bastante forte, como se vê em fazendas centenárias como a Fazenda Paraíso, que desde 1910 produz cachaça em um alambique artesanal, recebendo o público para degustar e acompanhar o processo de fabricação. Além disso, conta com trilhas, criação de animais e um restaurante, que serve comida feita no forno à lenha.

Outro grande atrativo regional são as plantações de morango, fruta típica da região, cultivada tradicionalmente por famílias japonesas. É possível conhecê-las, participar de degustações e realizar a colheita por R$ 35,00. Com safra a partir de junho, é em setembro que atinge seu auge, celebrado durante a Festa das Flores e Morango, quando a cidade fica bem movimentada.

A produção e venda de orquídeas é mais uma atividade que dá fama à Atibaia, sendo o Orquidário Takebayashi uma das principais referências na produção destas belas e únicas flores. Os orientais se dedicam ainda ao cultivo de bonsai, sendo o mestre Osamu Hidaka um especialista no assunto, e à cerâmica moldada a mão por Shugo Izumi, que fica no bairro do Tanque. A elaboração de tapetes arraiolos, feitos com técnicas portuguesas, também fazem parte do trabalho dos artesãos locais e podem ser comprados.

Partindo para as alturas, que tal subir na Pedra Grande, um pico a 1.450 metros de altura? Acessado somente por trilha ou escalada, é literalmente o ponto alto do município. De lá de cima, os corajosos ganham asas, voando de asa-delta e parapente (o mesmo que paraglider).

Os esportistas podem ainda percorrer a Reserva do Vuna, em meio à Mata Atlântica, passando por cascatas e riachos; praticar rafting no Rio do Peixe e Stand Up Paddle na represa da Usina; passeios de jeep até o Mirante da Laje; fazer tirolesa e trilhas. O dia pode terminar com uma caminhada tranquila no Parque Edmundo Zanoni.

Na área central, vale a pena conhecer os museus, os edifícios históricos do início do século 19 e as igrejas centenárias, como é o caso da Igreja Matriz de São João Batista, construída em 1665, a Igreja Nossa Senhora do Rosário e o Santuário de Schoenstatt. Um passeio de 15 minutos no teleférico leva os viajantes do Lago do Major à parte alta do centro. Na hora da fome, opções não faltam: são 200 bares e restaurantes com as mais diversas culinárias típicas forrando a mesa.

Onde ficar: a escolha da hospedagem varia de acordo com os interesses e bolsos de cada um, passando por pousadas, hotéis, resorts e spas. Na Pousada Paiol, a diária dos chalés custam, em média, R$ 323,00. Já no Refúgio do Saci, custam R$ 373 pelo site Hotel Urbano.

Os preços sobem para R$ 890,00 na Fazenda Recanto da Paz, com pensão completa; e R$ 1223,00 no Bourbon Atibaia Spa Resort – o mais conhecido da cidade -, também com sistema pensão completa. Na Pousada 4 Luas, onde o descanso é total, sem o sinal de celular, as diárias dos bangalôs e lofts ficam entre R$ 740,00 e R$ 1.870,00 com café da manhã.

Conheça outras opções imperdíveis para um fim de semana longe de SP

Que tal uma viagem na companhia da sua bike? Saiba mais sobre o cicloturismo

Expanda seus horizontes em cidades de Minas Gerais!

Fotos: divulgação/Turismo em Atibaia