Distrito de São José dos Campos, a 170 km da capital, São Francisco Xavier está entre o verde da Serra da Mantiqueira, oferecendo assim uma porção de paisagens entre grutas, cachoeiras, picos e trilhas. O turismo rural também se faz presente, seja em ranchos que oferecem passeios a cavalo ou na gastronomia típica de roça.

A cidade em si é bem moderna e conhecida por ser um polo científico e tecnológico no estado. Por outro lado, a zona rural ainda domina 70% do município, e boa parte da renda oriunda da agropecuária. É exatamente nesse trecho, onde passavam tropeiros de Minas Gerais, que São Francisco Xavier, chamada carinhosamente de São Xico, se localiza.

Entre as curvas de suas serras e numa altitude de pelo menos 720 metros estão pousadas aconchegantes, chalés rústicos e casas de campo para locação. No centrinho e seus arredores se encontram ateliês, cafeterias e restaurantes charmosos. 

Descubra mais um pouco do distrito no nosso Guia de São Francisco Xavier!

Foto: Flávio Pereira/CMSJC

Onde ir

A cidade é conhecida pelos o que está a muitos metros acima do nível do mar: os morros que formam as paisagens das serras, como a Serra do Queixo D’Anta (1.740 metros) e a Serra de Santa Bárbara (1.578 metros), com corredeiras de água cristalina, ambas na divisa com Sapucaí Mirim. 

Os maciços e formações rochosas também se tornaram atrativos e um prato cheio para aventureiros. Entre as opções estão a Pedra da Onça, a Pedra Chapéu do Bispo, e a Pedra Redonda, já quase em Minas Gerais, que atrai adeptos do alpinismo em busca de conquistar seus 1.925 metros de altitude.

A mais conhecida de todas, porém, é a Pedra de São Francisco. Fazendo divisa com Monteiro Lobato, a formação natural também conhecida como Pedra do Porquinho ganhou infraestrutura suficiente para se tornar a atração turística mais badalada.

O mirante 360º, chegando a 1.980 metros de altura, oferece vista das montanhas do Vale do Paraíba. Lá em cima existe o restaurante Polenta na Pedra, que funciona do café da manhã ao jantar. Os arredores contam com trilhas, riachos e cachoeiras.

Foto: divulgação

Ampliando ainda mais a visão do horizonte está o Pico do Selado, na divisa com Camanducaia (MG) e Joanópolis (SP). Do alto de seus 2.082 metros há vista panorâmica de Monte Verde (MG), São José dos Campos (SP) e outras cidade da região. No inverno, a temperatura cai tanto que pode ter até neve.

As cachoeiras são outros pontos a serem considerados durante a visita, tendo maior ou nenhuma infraestrutura para receber o público. São mais de 10, mas a principal é a Cachoeira de São Francisco, dentro do Recanto Turístico Pedro David, que é pública. Seus 15 metros de altura proporcionam várias quedas e muita diversão. O espaço conta com vestiários, banheiros, área para alimentação e playground.

Outra opção bem estruturada para ter um dia de lazer é o Pouso do Rochedo, que reúne trilhas, mirantes, piscinas naturais e cachoeiras dentro da propriedade. Funciona como pousada, mas recebe o público para passeios guiados, com custo de R$ 30 por pessoa.

Foto: divulgação/Rodrigo Roveri

Com 25 metros de altura e três quedas, a cachoeira do Sabão integra a Reserva Ecológica Augusto Rusch, que protege recursos hídricos da Mata Atlântica. 

Por fim, tem as trilhas de São Xico, que podem ir até a cidade vizinha. Com guia e autorização necessária, a trilha da Revolução percorre 25 km, passando pela Trincheira da Revolução de 1932, pela cachoeira das Couves, o Vale dos Duendes e o Pico do Olho D’Água até chegar em Monte Verde (MG). 

Se não há fôlego para tanto, existe outra até o mesmo destino final, com 11 km de trajeto. É a trilha do Jorge, que sai de uma fazenda onde, pelo caminho, abre a oportunidade de encontrar algo bem inusitado: o macaco Muriqui, que é o maior da América Latina e está em fase de extinção. O caminho também é utilizado para a prática de mountain bike e passeio a cavalo.

Na trilha Toca do Muriqui, com acesso mais fácil e cachoeira pelo caminho, também há chances de observar o primata. 

Foto: Mauro Galvão/APA SFX

A maior trilha é a do Rio Manso, que ao longo de 30 km percorre a serra do fluxo das águas, o bairro do Sousas, a Fazenda do Boliviano e, por fim, a cidade de Monteiro Lobato. 

Já na área urbana do distrito, tudo acontece na Praça Cônego Antônio Manzi e seus arredores. O que antes era um terreno baldio, hoje é um coração pulsante, com coreto, jardim, centro cultural e playground. 

Foto: Flávio Pereira/CMSJC

Outras experiências

Spa Bruxinhas do Mato — que tal tirar umas horinhas do dia ou da semana para relaxar? O spa tem como principal atrativo os banhos de ervas, coloridos por flores e plantas oriundas do terreno repleto de canteiros aromáticos. Massagens, duchas e escalda pés também são oferecidos no agradável espaço.

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

Portal Equilibrium — outra opção para se desligar do mundo, o espaço de bem-estar oferece massagens e banhos relaxantes. Além disso, conta com pousada, restaurante saudável, piscina com vista para as montanhas, trilhas e tirolesa. 

Foto: Divulgação

Néctar da Mantiqueira — a loja se tornou a mais desejada quando o assunto é souvenir. Ali estão produtos artesanais de São Francisco Xavier, incluindo geleias, caponatas, queijos e embutidos. 

Foto: Divulgação

Loja EnCanto—endereço ideal no distrito para encontrar arte, artesanato, decoração, cosméticos naturais, cestaria e outros presentinhos feitos à mão.

Foto: Divulgação

Onde comer

Gastronauta— o bistrô caseiro abre apenas para jantares gourmet pré-programados, sendo uma experiência diferente no distrito. O menu de três tempos é preparado pelo chef Rodrigo, que viajou o mundo e voltou com muitas receitas na mala. Para participar é preciso ficar de olho nas datas pelo Instagram ou pedir informações pelo Whatsapp

A Soberana Cozinha Caipira— um pedacinho de roça em São Francisco Xavier brota nessa cozinha. A comida caipira feita com esmero a base de ingredientes cultivados localmente, é servida direto no fogão à lenha. A linguiça é preparada de maneira artesanal na casa e o cafezinho é coado na hora. Simplicidade que aquece o coração.

Foto: Foto: divulgação/Neto Photoloab
Foto: Foto: divulgação/Neto Photoloab

Casa Leone— a cafeteria com base em comida afetiva se destaca pelos cafés especiais e pelos sabores latino-americanos. Empanadas argentinas, salteñas bolivianas e empadas brasileiras artesanais fazem as honras da casa. Há opções vegetarianas e veganas no menu.

Foto: divulgação
Foto: Divulgação

Joarez Arte e Café —No agradável quintal da galeria do artista plástico Joarez Filho, o espaço se dedica a café bem acompanhado de opções caseiras direto da propriedade e produtores regionais, como o João Deitado, uma broa de fubá enrolada e assada na folha de bananeira. Com reserva para um mínimo de seis pessoas, o espaço também serve um buffet a vontade de café típico caipira, com mais de 10 itens disponíveis. 

Foto: divulgação
Foto: divulgação

50Bier — A cervejaria regional tem uma produção colaborativa e sustentável, utilizando a água da Serra da Mantiqueira e ingredientes locais para a fabricação movida a energia solar. No charmoso bar, o público pode provar a bebida, acompanhada de choripan elaborado com pão de malte, linguiça, chimichurri da casa e queijo.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Bruno Pães Artesanais — o padeiro Bruno faz sucesso no distrito com sua pequena porém expressiva produção de pães artesanais. A lojinha tem variedade em pães, além de lanches, pão de queijo, bolos e área para um cafezinho.

Foto: divulgação

Sorveteria do Vovô— localizada na região central, a sorveteria está desde 1989 proporcionando momentos doces à população. A diferença é que no ano passado começou a servir sorvetes artesanais, elaborados com frutas do sítio, além de doce de leite cremoso preparado no fogão à lenha, água de coco e açaí.

Casa da Bella— recebendo as pessoas em uma casa de campo, Ligia Montecchio prepara comida artesanal vegetariana, com sotaque italiano. As massas artesanais priorizam ingredientes locais e de toda Serra da Mantiqueira. A experiência inclui, além da culinária afetiva, banho de rio e ótimas conversas.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Restaurante João de Barro — o empório e restaurante mudou de endereço, mas ainda mantém seu charme e está prestes a ser reinaugurado. Com pegada mais gourmet, serve massas artesanais, como o fettuccine fresco com ovos caipira e ragu de ossobuco, além de risotos, trutas e carnes vermelhas. 

Onde ficar em São Francisco Xavier

Trailer fofo para locação em SFX – Foto: divulgação
Vista na Reserva Santa Bárbara – Foto: divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *