Quando estamos pensando em um roteiro de viagem, muitas dúvidas surgem: quais são os lugares imperdíveis? O que não pode ser deixado de fora? Quanto tempo é necessário para conhecer uma cidade? Qual museu precisa ser visitado? Preciso ir em todas as atrações históricas?

As respostas para todas essas perguntas dependem do tipo de viagem que está procurando. Você está buscando relaxar e curtir o dia ou prefere uma jornada com uma vida noturna mais agitada, sem muitos horários?

Viajando pela Grécia

Uma visita rápida por Atenas, e a alguns dias em Mikonos e Santorini. Esse é o roteiro mais pesquisado de quem planeja visitar a Grécia. Não há nada de errado com essa escolha, mas será que ela combina com o que você está esperando encontrar?

Uma outra alternativa – Atenas, Meteora, Peloponeso e Creta

O centro de tudo

Banca de frutas na rua, em Atenas

A capital Atenas é uma cidade muito antiga, com mais de 3.400 anos. Além dos museus e monumentos, a metrópole de quase 700 mil habitantes é charmosa e cheia de pequenas surpresas. Descobrir os seus tesouros, como uma escadaria florida, um grafite colorido em uma parede descascada ou um café com o melhor pão doce que você irá comer, leva tempo.

Grafite nas ruas de Atenas

Para aproveitar a cidade e realmente conhecê-la, enxergar e sentir Atenas além das atrações turísticas, é necessário ir com calma para sentir o ritmo de suas ruas. Considere passar cinco ou seis dias, aproveitando para se perder pelos bairros antigos e famosos, mas também pelos novos e residenciais. Você pode se surpreender com o inesperado.

Confira todos os custos de uma viagem para Atenas!

Olhe para cima

As pedras que formam Meteora

Já ouviu falar de Meteora? Pouco conhecida, suas formações rochosas de até 600 metros formam um vale que compõem uma das paisagens mais lindas do mundo. Como se a sua beleza natural não fosse suficiente, seis mosteiros foram construídos no topo dessas pedras, há mais de mil anos. É de cair o queixo.

Uma cidade chamada Kalambaka e Kastraki, um pequeno vilarejo, ficam aos pés de Meteora, e é nesses lugares que você irá se hospedar e se alimentar (muito bem, por sinal).

Localizada na Tessália, região central da Grécia, o lugar é acessível por trem e ônibus, em um trajeto – saindo de Atenas – com a duração de mais ou menos seis horas.

Depois de subir, que tal descer?

Você se lembra do nome Peloponeso? Na escola aprendemos sobre a guerra de mesmo nome, um conflito entre Atenas e Esparta, que aconteceu de 431 a 404 a.C.

A vista do caminho entre uma praia em outra, em Nafplio

A região que abrigava a Esparta fica ao sul do país, e tem como principal cidade a bonita Nafplio, uma cidade banhada pelo mar do golfo Argólico – a primeira capital do país, de 1829 a 1834. Por causa da sua importância portuária durante a Idade Média, foi disputada por venezianos e otomanos, que deixaram as suas marcas na arquitetura e na gastronomia.

Praia de Nafplio

A cidade é bem pacata, com habitantes tímidos e reservados. Devido a influência da República de Veneza, as construções da parte antiga lembram a cidade italiana, com suas portas longas e sacadas de tom pastel. Possui uma pequena praia com o chão de pedrinhas e água cristalina, bem perto do centro. Se você gosta de caminhar poderá aproveitar outras trilhas à beira mar.

Com uma rota escassa de ônibus, para se locomover na região e conhecer novos horizontes é necessário alugar um carro. Mas se você não puder ter o seu próprio automóvel para explorar o Peloponeso, apenas alguns dias na cidade de Nafplio são mais do que suficientes.

Aproveite para comer e se jogue nos pratos com frutos do mar.

A terra de Minotauro

Não dá para visitar a Grécia e não conhecer uma de suas 227 ilhas. Deixe de lado a imagem do pôr do sol visto de uma casinha branca e azul, e se permita conhecer além do clichê.

A parte antiga da cidade de Chania

Creta é a maior e mais populosa das ilhas gregas, localizada ao sul do mar Egeu, no mediterrâneo. Lugares deslumbrantes para serem visitados é o que não falta. Há cidades grandes, como Heraklion ou Chania, e pequenas vilas de pescadores, como Chora Skafia.

Não importa qual seja a sua decisão, qualquer uma será um acerto no roteiro. Mar azul, areia branquinha, terra avermelhada, pés de azeitona, comida pescada na hora e anfitriões simpáticos: alguns itens que você encontra na ilha.

Águas transparentes na praia de Falasarna, em Creta

Se não puder alugar um carro, não se preocupe, a linha de ônibus operada pela Ktel alcança quase todos os pontos de Creta. E de lá você poderá ver uma outra Grécia – aquela sem máscaras.

Gaste pouco e viva bem!

Post e fotos por Daniela Fescina

Para onde viajar
Eu tenhoBudget
e quero viajar porDias
Para onde viajar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *