Muita gente que deixa de comer proteína animal enfrenta certa dificuldade para abdicar peixes e frutos do mar. No rodízio vegano de comida japonesa em SP, o que encontramos é um misto entre combinações inovadoras e outras que se assemelham bastante ao sushi convencional. O resultado é uma experiência deliciosamente surpreendente!

O primeiro rodízio vegano de comida japonesa do Brasil fica num acolhedor cantinho da Alameda Campinas, no Jardim Paulista, movimentado bairro em São Paulo. E quando digo “cantinho”, entenda também que o diminutivo não é apenas carinhoso, mas literal: no pequeno salão há apenas 10 mesas disponíveis e um balcão com quatro assentos.

O Sushimar é uma rede fluminense, mas que em São Paulo ganhou um restaurante 100% vegano.

Foto: divulgação/Sushimar Vegano

Apesar de estar num bairro nobre da capital e ter um ambiente mais casual chic, arrisco dizer que o Sushimar Vegano é sem afetação, reunindo pessoas diversas e, assim, diminuindo espaço para o desconforto. A decoração preza por luz baixa, tecidos orgânicos, madeira, linho, tinta mineral e plantas.

Como é o rodízio vegano de comida japonesa

Ao se acomodar, o garçom traz a mesa uma comanda onde o cliente marca as opções que deseja no rodízio, uma maneira prática de fazer escolhas e evitar o desperdício. Se tiver dúvidas, não hesite em perguntar à equipe, que é gentil e atenciosa, mesmo com a casa cheia.

O menu executivo, servido das 12h às 15h durante a semana, tem duas opções de entrada, duas opções de prato e duas opções de sobremesa. A minha rodada incluiu chá de hibisco com espuma de gengibre, um harumaki – rolinho primavera – super crocante, furai de berinjela empanada recheada de tofu e cogumelo, tempurá, shitake grelhado e quatro unidades de hot roll de cogumelo.

Destaco a trouxinha de nirá com abóbora cabotiá, que é uma das mais pedidas do restaurante. E vale cada mordida!

Foto: Brunella Nunes

Na hora de provar o combinado de sushis eu estava bem curiosa e com altas expectativas. A porção de 10 unidades é bem variada e realmente interessante em suas composições. Além de utilizar o tradicional nori, a folha de alga que envolve o sushi, a chef Maria Cermelli também coloca lâminas de cenoura e abobrinha para desempenhar esse papel no gunkan.

As opções são naturalmente saudáveis. O gunkan de abobrinha é acompanhado de wakame, uma macroalga rica em cálcio, responsável por melhorar o sistema circulatório do corpo.

O coco branco combinado ao arroz ganha uma pitada de molho pesto. O nabo envolve o gunkan de romã, que aguçou o lado agridoce do paladar. Agora o que realmente me intrigou foi o sushi coberto com abacate e couve frita, recheado de crocante de quinoa, que lembrou o gosto e textura do salmão skin. Era só a memória me enganando.

rodízio vegano de comida japonesa tem frutas, grãos, algas, fungos e legumes na composição – Foto: Brunella Nunes

O banquete foi devidamente finalizado com prestígio de colher, uma mistura de cacau e coco, que obviamente não leva leite condensado. Servido gelado, tem uma textura cremosa e estava gostoso como qualquer outro prato que provei no rodízio vegano de comida japonesa.

Mesmo que o cliente não seja vegano ou vegetariano, acredito que a visita não decepcionará. Isso é, desde que esteja aberto a desfrutar novos sabores e se surpreender com combinações que, apenas na teoria, não parecem tão apetitosas. O Sushimar Vegano traz a reinvenção de uma culinária bem apreciada pelos brasileiros, com toques de frescor tropical que caem bem no país de enorme biodiversidade como o nosso.

Tome nota: endereço é um tanto concorrido no horário de almoço e jantar. Quem vai sem companhia descola um lugar mais rápido. Há um banco para esperar do lado de fora, caso seja necessário.

O que mais tem no menu

O cardápio do Sushimar Vegano também tem outras opções frias e quentes servidas em combo ou de forma individual para quem não quiser se esbaldar de comer no sistema de rodízio de comida japonesa.

Tem sushi de pimentão confitado e aspargos, temaki, tempurá de Panc (Plantas Alimentícias Não Convencionais), guioza recheada de taioba, ceviche de caju e berinjela com molho missô para propagar a cozinha inventiva, saudável e colorida que a alimentação vegana é capaz de proporcionar.

Uma das apostas da casa é o poke, prato tipicamente havaiano que se assemelha a um temaki desmontado. Arroz, banana chips, edamame, tomate cereja, shitake, manga e cenoura compõe a tigela (ou bowl) que vale por uma refeição.

O rolinho vietnamita, que parece um wrap, é envolvido em folhas de couve. Entre as opções quentes vale destacar não só o tradicional yakissoba, mas o bifum, macarrão de arroz com legumes, cogumelos e curry; e o lámen de legumes com cogumelo e tofu.

A casa também investe em drinks clássicos e autorais, como Elderflower, gim em infusão de cítricos, hortelã, flor de sabugueiro e espumante. Os amantes de gim também podem investir no Sawadee Tonic, mistura de gim em infusão de coco fresco, manga, capim santo, limão e tônica.

E até o kombucha, bebida probiótica obtida a partir da fermentação do chá preto, também ganha uma versão alcoólica ao ser incorporado ao gim ou vodca, junto com cítricos.

O cardápio completo com valores atualizados pode ser checado no site oficial.

Vai lá!

Sushimar Vegano
Alameda Campinas, n° 1287 – Jardim Paulista – São Paulo
Funcionamento: Terça a sexta: 12h às 15h — 19h às 23h; Sábado: 12h às 16h — 19h às 23; Domingo e segunda: fechado
Rodízio executivo: R$ 49
Rodízio no jantar: R$ 69

rodízio vegano de comida japonesa é servido tanto nas mesas quanto no balcão – Foto: Brunella Nunes

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *