No primeiro post sobre quanto custa mudar para Espanha, eu descrevi quais os valores que você precisa ter antes mesmo de pensar em fazer as malas. Há gastos com passagens, envio de bagagem (ou de mudança), documentação, entre outros itens. E não tem jeito, você vai ter que arcar com tudo na chegada. Mas como fica a vida depois desse primeiro momento?

É o que eu tento responder aqui, contando um pouco sobre os principais custos que você terá quando estiver morando na Espanha. Fica comigo e prepara o fôlego (e o bolso) para uma viagem pelos gastos que você vai encarar no país do flamenco.

Quanto custa morar na Espanha: Aluguel

No post anterior (leia aqui), eu falei sobre os custos de aluguel em diferentes cidades da Espanha e recomendo muito que vocês leiam (porque simplesmente não vou explicar tudo de novo, né?).

Resumidamente, o aluguel pode tanto custar uns € 200, caso você opte por morar em alguma cidade mais econômica no interior do país, quanto sair por cerca de € 1.000, se estiver buscando um apartamento espaçoso e bem localizado em cidades como Madrid ou Barcelona. Como regra geral, um casal poderá encontrar um apartamento de um quarto em um bom bairro por cerca de € 600 a € 800.

Casa Milà (La Pedrera), em Barcelona. Foto: Tyler Hendy

Contas da casa

Os gastos com as contas da casa, como água, luz, gás, condomínio e internet também são bastante variáveis e vão depender muito do estilo de vida de cada pessoa. Em geral, casas que possuem ligação de gás terão um consumo mais econômico do que as que se baseiam apenas na eletricidade – e, se você achava a conta de luz no Brasil cara, espere para ver o quanto ela custa na Espanha!

Os preços abaixo levam em consideração os gastos de um apartamento habitado por duas pessoas.

Energia – Pode ser cobrada mensalmente ou a cada dois meses. Isso irá depender da região e da empresa responsável pelo serviço. Calcule uma média mensal de € 25 a € 50 caso sua casa seja equipada com gás (fogão, forno, aquecedor, chuveiro, etc) ou algo entre € 50 e € 100 para residências que usam todos os serviços ligados na energia elétrica. Os valores costumam ser mais altos nos meses de dezembro a fevereiro, quando as temperaturas baixam e o aquecimento se torna necessário nas principais cidades espanholas – se morar no sul do país, esse pode não ser um problema, mas os gastos podem aumentar nos meses de verão graças ao uso do ar condicionado.

Água – Normalmente, a conta de água deve custar em torno de  € 30 a € 40 mensalmente.

Gás – Apartamentos que contam com ligação de gás podem ter gastos inferiores quando comparados com aqueles que usam apenas energia elétrica. Na maioria das vezes, o serviço será cobrado a cada dois meses e o custo fica em torno de € 45 a € 60 por bimestre, com picos nas contas durante o inverno espanhol devido ao uso do aquecedor – nesse caso, a fatura pode facilmente passar dos € 150.

Homem passeando pelas Ilhas Canárias, na Espanha. Foto: Michael Wilkin

Condomínio – O condomínio tal qual temos no Brasil não existe na Espanha, embora muitos edifícios tenham uma cobrança similar que visa suprir os gastos comuns entre os vizinhos. Essa taxa fica em torno de € 50 e pode já estar incluída em seu contrato de aluguel, sendo paga pelo proprietário. Em alguns casos, o condomínio conta também com a conta de água embutida.

Internet – Os pacotes básicos das principais operadoras de internet custam em média entre € 35 e € 40. Esse preço é referente a uma conexão de 100 Mb de velocidade, que inclui ainda uma linha de telefone fixo. As principais operadoras do país são Más Móvil, Orange, Vodafone e Movistar.

Total de gastos com as contas da casa: calcule uma média entre € 120 a € 200 por casal

Alimentação

Os custos com a alimentação na Espanha são consideravelmente mais baixos do que no Brasil. Isso acontece porque muitos supermercados possuem produtos de “marca branca” de alta qualidade e com opções variadas. Eles são uma ótima aposta para quem busca economizar nas compras.

Aqui, tudo vai depender bastante dos seus hábitos alimentares. Há quem more na Espanha, mas faça questão de consumir alimentos comuns na gastronomia brasileira, o que pode encarecer essa conta. Se estiver disposto a se adaptar aos costumes locais, você poderá ter uma alimentação mais saudável, econômica e sustentável (visto que os produtos consumidos não terão que viajar quilômetros antes de chegar à sua mesa). Lentilha, grão-de-bico, embutidos, arroz, frutos do mar e pães são bastante consumidos em todo o país e podem ser adquiridos a bons preços.

Passeig d’Isabel II, Barcelona. Foto: Dennis van den Worm

Um casal pode gastar em média € 40 a € 60 por semana para se alimentar em casa sem grandes luxos, mas também pode investir até € 100 semanais, caso queira encher a cestinha com itens mais sofisticados. Depois da janta, não pode faltar vinho para brindar a vida na Espanha: aí a economia é certa, visto que uma bebida de qualidade pode custar entre € 4 e € 7.

Além disso, é importante calcular também quanto você irá gastar ao sair para comer fora – o que varia um pouco mais de cidade para cidade. Normalmente, será possível encontrar promoções de almoço entre € 8 e € 11, que já incluem entrada, prato principal, bebida e café ou sobremesa. Para o jantar, uma refeição similar irá custar entre € 15 e € 25. Em compensação, as tapas são porções menores muito apreciadas pelos espanhóis e que podem ser encontradas em diversas cidades, custando em média de € 3 a € 7 (mas você dificilmente ficará satisfeito ao provar apenas uma!).

Transporte público

Suponhamos que você não vá ter carro na Espanha e vai depender bastante de transporte público. Não tem problema: nas grandes cidades, o transporte costuma ser bastante eficiente, enquanto nas cidades menores ele se torna menos necessário.

Em Madrid, por exemplo, o bilhete de metrô ou ônibus custa entre € 1,50 e € 2,00 (depende do número de estações percorridas).  Ao comprar 10 passagens, o preço cai para € 12,20 (ou € 1,22 por viagem). O abono mensal, que permite usar o transporte quantas vezes desejar durante 30 dias, custa entre € 46,90 e € 89,50 (valores dependem da quantidade de zonas escolhidas).

Quanto custa morar na Espanha
Vista da cidade de Carmona, na Espanha. Foto: Johan Mouchet

Os preços aplicados em Barcelona não são tão diferentes: a passagem individual custa € 2,20, ao comprar 10 passagens, o custo fica em € 10,20 (ou € 1,02 por viagem). Também há diversos tipos de abonos mensais (veja aqui), como o que dá direito a 50 viagens dentro de um período de 30 dias (€ 43,50) ou o que permite viagens ilimitadas em uma mesma zona dentro de um mês (€ 54).

Cidades menores irão requerer um uso menos frequente de transporte público e ele poderá até mesmo ser trocado por viagens em bicicleta, meio de transporte que vem sendo estimulado por muitas cidades espanholas.

Quero mudar para a Europa. Como faço?

Vida na Espanha. Foto: Thaddaeus Lim

Outros gastos:

  • Telefonia móvel: os planos pré-pagos de telefonia móvel custam a partir de € 10 e já incluem um pacote de internet e chamadas. As principais companhias são Orange, Vodafone, Movistar e Más Movil.
  • Plano de saúde: em geral, não será necessário contratar um plano de saúde na Espanha, visto que os serviços públicos funcionam gratuitamente, como no Brasil. Entretanto, alguns tipos de visto exigem a contratação de um plano de saúde. Nesse caso, o serviço irá custar cerca de € 65 por mês para uma pessoa de 30 anos – o valor é menor para quem tem menos idade e fica mais alto à medida que os anos passam. Os principais provedores são Adelas, DKV e Sanitas.
  • Educação: a educação primária e secundária na Espanha são oferecidas de forma “gratuita” – ou seja, mediante o pagamento de uma ajuda de custo de € 30 em média. Para pré-escolares, é comum a contratação de escolas privadas, embora o estado ofereça vagas em instituições públicas para crianças entre 3 e 6 anos. No caso de querer cursar uma universidade ou uma pós-graduação, a matrícula pode custar a partir de € 2.000 anuais, mesmo em instituições públicas.

Custo de vida na Espanha: conclusão

Somando todos os gastos que listamos nessa página, vemos que o mínimo viável para viver na Espanha é uma média de € 650 por pessoa, caso consiga um imóvel econômico e vá dividir a casa com mais alguém. Entretanto, para ter uma margem de segurança e poder reservar algum dinheiro para curtir a vida no país (afinal, ninguém é de ferro!), o recomendado é contar com pelo menos € 900 por mês, principalmente se o seu objetivo for viver em uma grande cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *