Sabe aquele lugar que dá a impressão de estar num mundo totalmente diferente do seu? Um lugar que não precisa estar tão longe no mapa, mas você se sente distante de tudo e todos. Assim é a selvagem e isolada praia de Castelhanos, em Ilhabela – litoral Norte de São Paulo -, um passeio imperdível e altamente apaixonante.

Não é por acaso que essa é considerada uma das praias mais belas do Brasil. Depois de uma longa trilha de 22 km, que pode ser feita de bike, de moto, a pé ou veículos 4×4, dá pra entender todos os motivos que levam a essa conclusão. Como tinha pouco tempo para curtir a viagem, optei por fazer um tour que incluía ida de jipe até Castelhanos e volta de barco pela costa, passando pelas praias Saco do Eustáquio, Praia da Caveira, Praia da Fome e Jabaquara por cerca de R$ 130 por pessoa na baixa temporada.

Encontramos com o jipe no centro de Ilhabela e partimos rumo ao caminho de terra no meio da Mata Atlântica. A pequena viagem até Castelhanos corta a ilha de Oeste e a Leste, passando por várias curvas e mirantes. O rolê é incrível, de total imersão na natureza. Um projeto maluco do prefeito atual visa asfaltar o lugar, o que é um absurdo sem tamanho! Mas deixemos isso para outra história.

Na medida em que a altitude aumenta, sendo 650 metros o ponto mais alto da estrada, vem o frio, a neblina e às vezes até garoa! Não se esqueça de levar uma blusa na mochila, porque os ventos gelados fazem você precisar dela, viu. No meio do caminho vimos nascentes, colhemos morangos silvestres e respiramos um ar tão puro que há muito tempo eu não fazia. Não deu tempo de parar nas cachoeiras, mas geralmente estão inclusas no passeio.

Depois de aproximadamente 1h30, contando as paradas, chegamos à maior praia de Ilhabela, com 1.800 metros de extensão. A vida deste lado é despreocupada e parece passas ainda mais devagar. A impressão que tive é a de que todo mundo quer virar caiçara para poder erguer uma casinha ali, perto da mata e de frente para as águas azuis.

O visual da praia é tão bonito que realmente impressiona. Mais do que isolada, me senti privilegiada por estar lá. Caminhando rumo à ponta esquerda da praia, o cenário com montanhas a perder de vista na imensidão do mar aberto me deu a sensação de que eu nem estava no Brasil. Melhor do que isso, acabou me lembrando do quanto o meu país é diverso e cheio de paraísos naturais.

Por formar ondas, acaba atraindo também os surfistas, diferente do que acontece no lado Oeste da ilha. Depois de abraçar o mar, não deixe de forrar a barriga no local. Há um pouco de infraestrutura por conta da comunidade, que cuida de quiosques, bares e restaurantes, com frutos do mar frescos trazidos pelos pescadores. Se quiser esticar a noite, há camping e chalés para alugar.

Reserve um tempo para fazer as trilhas, que levam às praias vizinhas, Vermelha, Mansa e Figueira.  Olhando do alto do mirante panorâmico do Canto do Gato, se vê que a baía forma um coração. Nada é por acaso, afinal, Castelhanos deixa a gente caidinha de amor…e saudade.

Informações sobre visitação

Há horários específicos para entrar no Parque Estadual: para entrada – sentido Castelhanos (ida), das 8h às 14h; sentido Centro de Ilhabela (volta): 15h às 17h. Além disso, há restrição diária no número de veículos, que devem ser 4×4 devido às condições da estrada de terra: 42 veículos particulares*, Jipes de agências e receptivo.

Finais de semana, feriados e alta temporada, consultar horários de funcionamento.
Telefone: (12) 3896-2585/1646

[+] 10 cabanas rústicas para alugar no Airbnb e se isolar do mundo

[+] 18 ilhas paradisíacas no Brasil de tirar o fôlego

[+] Saia da rotina com passeios bate-volta em vários lugares do Brasil

Post e fotos por Brunella Nunes

Para onde viajar
Eu tenhoBudget
e quero viajar porDias
Para onde viajar

Quando não está viajando pelo mundo, está viajando nas ideias.

3 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *