A Chapada Diamantina é uma região incrível, cheia de atrações para quem gosta de ter mais contato com a natureza e também para aqueles que buscam o sossego dos lugares mais afastados e das cidades pequenas, onde os moradores são conhecidos pelo nome. Agora, quando o assunto é parada obrigatória na Chapada, não há dúvidas: é preciso conhecer o Poço Azul e o Poço Encantado.

É bem provável, inclusive, que você já tenha visto alguma foto desses lugares na Bahia, pois as águas azuis predominantes nos dois poços são amplamente divulgadas nos mais diversos tipos de veículos de comunicação quando o assunto é turismo ecológico em lugares distantes.

Poço Azul e do Poço Encantado
Foto: reprodução / Cirtur

Hoje, falaremos a respeito do Poço Azul e do Poço Encantado, que podem ser visitados no mesmo dia. São dois pontos turísticos que atraem cada vez mais pessoas interessadas em paisagens naturais e experiências engrandecedoras. Confira as informações abaixo e veja como não é exagero chamar dois poços naturais de paraísos na Terra.

👉 Encontre aqui sua passagem aérea para a Bahia

Como chegar no Poço Azul e no Poço Encantado

poço azul e poço encantado
Foto: reprodução / Cirtur

O bacana desses dois lugares é que você não precisa de muito tempo para conhecê-los — o recomendado, inclusive, é visitar o Poço Encantado e o Poço Azul no mesmo dia.

Localizados a uma hora de distância um do outro, o trajeto é relativamente simples para ser feito de carro, até mesmo porque os caminhos são bem sinalizados.

poço azul e poço encantado
Foto: reprodução / Chapada Adventure

O Poço Encantado fica no município de Itaeté. A cidade está a 45 km de Andaraí, 47 km de Mucugê e 141 km de Lençóis, que é onde a maioria dos turistas costuma se hospedar para explorar a região da Chapada.

O Poço Azul fica em Nova Redenção. Esse município está a 46 km de Andaraí, 64 km de Mucugê, e 86 km de Lençóis. O ideal é fazer o passeio de carro ou contratar uma agência de turismo — é muito comum encontrar pacotes de passeios que oferecem transporte, seguro e almoço. São uma excelente alternativa.

Entre as empresas que oferecem o pacote para a visitação dos dois lugares, estão:

  • Cirtur: o passeio começa às 8h e termina às 16h. No valor, estão inclusos os ingressos para a entrada nos poços, o transporte, o guia turístico, seguro, taxa para flutuação no Poço Azul e o almoço.
  • Volta ao Parque: o passeio dessa agência vai das 8h30 até às 19h30. Além de visitar os dois poços, os turistas também conhecem a Vila de Igatu — Galeria Arte e Memória. No pacote, está incluso o transporte saindo de Lençóis, as taxas de visitação e a flutuação no Poço Azul, além de guia, seguro e almoço.
  • Chapada Adventure: o passeio oferecido pela Chapada Adventure leva grupos de até 14 pessoas e conta com guia, taxas de entrada e almoço pagos, além do colete salva-vidas. A saída de Lençóis é às 8h e o retorno às 17h.

Quando visitar o Poço Azul e o Poço Encantado

poço azul e poço encantado
Foto: reprodução / Chapada Adventure

A verdade é que esses lugares são incríveis sempre, mas existe um detalhe muito bacana: entre o dia 10 de abril e 10 de setembro, das 10h às 13h30, os raios solares incidem diretamente sobre as águas azuis cristalinas dos poços, garantindo uma iluminação especial e melhorando ainda mais a paisagem.

Esse período é conhecido como “temporada do raio”, e os guias que trabalham orientando os turistas recomendam especialmente os meses de junho e julho para visitação, mas, é claro, você pode ir em qualquer período sem medo de se arrepender!

Visitando o Poço Azul na Chapada Diamantina

poço azul e poço encantado
Foto: reprodução / Cirtur

O Poço Azul é um daqueles lugares que a natureza nos mostra como um verdadeiro presente. Ele é o único poço onde a entrada é permitida — mas atenção: você pode entrar nas águas, mergulhar e flutuar, só não pode nadar. O Poço Azul tem 20 m de largura e 60 m de profundidade, por isso é fundamental o uso do colete.

Logo na entrada da atração, os turistas precisam preencher um formulário obrigatório e, em seguida, são convidados a tomar uma ducha rápida, em chuveiros parecidos com aqueles que vemos nas orlas das praias, para retirar resquícios de cremes, protetor solar e outras substâncias que possam estar na pele.

Depois, cada visitante recebe um colete salva-vidas e um snorkel, caso deseje entrar nas águas cristalinas do Poço Azul. Importante saber que o caminho até o poço é feito por escadas, então considere a ida e a volta na hora de avaliar seu condicionamento físico — mas não se preocupe: a maioria das pessoas consegue fazer o passeio sem problemas.

poço azul e poço encantado
Foto: reprodução / Cirtur

A história do poço é muito interessante também. Diz-se que o Poço Azul foi descoberto na década de 1940 por um garoto que entrou na gruta pensando que ali era uma toca de onça. O local é tombado como patrimônio natural e, em 2005, cientistas encontraram ossadas de 48 espécies diferentes de animais nas águas do poço e, inclusive, fósseis humanos de 6 mil anos atrás!

Os visitantes podem ficar no máximo 30 minutos na gruta (desses, 15 minutos dentro da água), o que já é o suficiente para mergulhar, apreciar o local e, claro, fazer fotos incríveis. A cor azul das águas de ambos os poços tem relação com os minerais presentes na região, especialmente o magnésio e cálcio.

Menores de 12 anos só podem visitar o local se estiverem acompanhados dos pais ou responsáveis.

Visitando o Poço Encantado na Chapada Diamantina

O Poço Encantado fica a aproximadamente 50 minutos de carro do Poço Azul, e as atrações são bem parecidas, mas têm diferenças que precisam ser pontuadas.

Ao contrário do que acontece no Poço Azul, quem visita o Poço Encantado não pode entrar nas águas. Além disso, é fundamental usar tênis ou outro sapato fechado para percorrer o caminho até a gruta — os turistas são proibidos de fazer a visitação usando sandália ou chinelo.

Na recepção do Poço Encantado, os visitantes recebem um capacete com lanterna e são acompanhados por um guia local. Os turistas são agrupados conforme a ordem de chegada, e a descida é permitida para grupos de no máximo 25 pessoas, com duração de 30 minutos.

A descida é mais complicada. São 220 metros de escadas e mais uma pequena trilha, já dentro da caverna, até o Poço Encantado — nessa trilha, não há iluminação além das lanternas dos capacetes, mas existem cordas que ajudam os visitantes a percorrerem o caminho.

Ao chegarem à beira do poço, os visitantes podem se sentar em uma espécie de “arquibancada natural”, para admirar o lugar e ouvir as explicações dadas pelo guia. O Poço Encantado tem mais de 60 m de profundidade, e suas águas extremamente cristalinas permitem que os visitantes consigam contemplar toda a estrutura do lugar também. É simplesmente encantador!

Menores de 12 anos só podem visitar o local se estiverem acompanhados dos pais ou responsáveis.

Quanto custa visitar o Poço Azul e o Poço Encantado na Chapada Diamantina?

Foto: reprodução / Cirtur

A taxa de entrada para cada um dos poços é de R$ 30 por pessoa, e as agências que trabalham com pacotes de passeios que abrangem os dois locais já consideram essa taxa dentro do valor total de cada passeio. Mais acima, citamos três agências que têm ofertas muito parecidas para os turistas que desejam conhecer tanto o Poço Azul quanto o Poço Encantado. Confira:

  • Cirtur: os passeios são realizados em grupo, mas o valor é cobrado de forma individual, custando R$ 299 (no cartão) ou R$ 279,99 (em espécie) por pessoa.
  • Volta ao Parque: essa agência trabalha com um pacote que inclui o Poço Azul, o Poço Encantado e Igatu. O valor individual para grupos reduzidos está R$ 430.
  • Chapada Adventure: o Chapada Adventure também trabalha com passeios em grupos de até 14 pessoas. O valor individual é de R$ 290.

Lembre-se de que esses preços foram pesquisados em agosto de 2021 e podem ser alterados sem aviso prévio. Por isso é fundamental entrar em contato com as agências e conferir os valores na hora de planejar a sua viagem.

O que levar no dia do passeio

Foto: reprodução / Cirtur

É importante ter atenção na hora de fazer sua mochila para o dia do passeio. Listamos itens que são essenciais:

  • Agasalho leve para dias mais frescos;
  • Água para consumo;
  • Boné ou chapéu;
  • Blusa comprida com proteção solar;
  • Capa de chuva;
  • Chinelo de dedo;
  • Documento de identificação;
  • Lanche;
  • Lanterna;
  • Protetor solar;
  • Remédios de rotina;
  • Repelente;
  • Roupa de banho;
  • Roupas leves para caminhada;
  • Tênis ou bota para caminhada;
  • Toalha pequena.
  • Sacolas para guardar itens molhados e lixo.

Mais lugares para conhecer na Chapada Diamantina

A Chapada Diamantina engloba uma área grande e que conta com muitos outros pontos turísticos além do Poço Azul e do Poço Encantado. Confira algumas das nossas dicas:

Se você é fã de cachoeiras, vai amar conhecer o Poço do Diabo, localizado em Lençóis, que tem quedas d’água de 20 metros de altura. A paisagem é exuberante e os visitantes podem tomar banho no local, se desejarem — mas salte sem medo, pois a água é bem gelada! O acesso é pela BR-242 e não é preciso pagar para entrar.

A incrível Gruta Lapa Doce faz parte dos 42 km de cavernas existentes na Chapada Diamantina. Para chegar até o local, que fica em Iraquara, são 2,5 km de trilha, em uma caminhada relativamente tranquila, e depois são 700 m de descida até as formações de rochas calcárias, que são verdadeiras esculturas naturais. Valor da entrada: R$ 30.

Mais uma cachoeira exuberante e que merece ser conhecida, até mesmo porque estamos falando da maior cachoeira de todo o país: a Cachoeira da Fumaça, que fica no Vale do Capão! São 340 m de queda d’água, criando uma paisagem encantadora e que é parada obrigatória para quem está conhecendo a Chapada Diamantina. Para visitar, não é preciso pagar entrada, mas o local aceita contribuições voluntárias para ajudar em sua preservação.

Outra ótima opção inserida em meio à natureza é visitar a Cachoeira do Buracão, em Ibicoara. As quedas d’água são de 85 metros, e a cachoeira está em meio a cânions sinuosos, criando uma paisagem fenomenal e extremamente rica em formas e cores. Depois do estacionamento, é preciso percorrer uma trilha de 3 km, em uma caminhada que dura cerca de 1h. Se quiser entrar na água, será preciso usar um colete salva-vidas. Valor da entrada: R$ 6.

E aí, dá ou não dá vontade de ir hoje mesmo para a Chapada Diamantina e conhecer essas belezas naturais? Esperamos que você consiga fazer essa viagem em breve, hein! Depois nos conte como foi!

Para pensar na sua hospedagem, as principais cidades na Bahia que funcionam como base para quem viaja para a Chapada Diamantina são: Lençóis, MucugêIbicoara, Palmeiras, Andaraí e Rio de Contas. As vilas Igatú e Vale do Capão também fazem parte do roteiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *