Poucos lugares no mundo são tão acolhedores quanto a Bahia, terra privilegiada pela natureza exuberante e um povo que recebe de braços abertos. É ao Sul, na Costa do Dendê, que fica a Península de Maraú, um santuário ecológico às margens do Oceano Atlântico, com praias que facilmente se tornam o sonho de consumo de qualquer mortal.

Cerca de 3 mil habitantes vivem no trecho forrado por 40 km de costa litorânea, piscinas naturais, recifes, manguezais, cachoeiras e remanescentes da Mata Atlântica. Funcionando ainda como uma vila tipicamente caiçara, conta com boas opções gastronômicas para amantes de frutos do mar: banana com catado de siri, tapera, camarão no coco e o peixe na chapa com arroz de polvo.

Confira abaixo seus principais atrativos e já comece a planejar essa viagem!

Taipus de Fora: o cenário dessa praia é tão convidativo, que não por acaso é a mais conhecida da Península. Piscinas naturais de águas cristalinas se formam durante a maré baixa, chegando a ter até 1 km de extensão. Peixinhos coloridos, corais e arrecifes são observados a olho nu ou com máscaras de snorkel. Até mesmo a noite é possível ver as fauna marinha que aparece após o sol se pôr, quando são realizados mergulhos com o auxílio de lanternas durante o verão.

Seguindo pela faixa de areia se chega a outro grande atrativo local: o Morro do Farol. Do ponto mais alto da região, a 51 metros de altura, se observa todas as suas belezas, numa vista 360º.

Algodões: a 30 km da vila, entre Barra Grande e Itacaré, a afastada praia de Algodões se mantém quase deserta até mesmo durante a alta temporada, com exceção da presença de alguns pescadores. Em seu horizonte azul se observam três barreiras de corais e ondas calmas que seguem em direção aos vastos coqueirais. Há poucas pousadas e muito espaço para o descanso.

Confira aqui alguns pacotes de viagem para Ilhéus que incluem Maraú 🙂

Barra Grande: este é o ponto de partida de boa parte dos turistas que querem seguir rumo a Taipus. Entre a Baía de Camumu e o Atlântico, Barra Grande é a vila principal da região, mesmo que esteja a 35 km de Maraú. Ali se concentram lojas, mercados, restaurantes, bares e um número considerável de pousadas. Vale a pena esperar pelo final da tarde, quando o sol se põe lindamente na Baía.

Ilha da Pedra Furada: se você gosta de praticar mergulho, não pode perder a chance de se jogar nos aquários naturais dessa ilha, um dos lugares mais bonitos da Península. O local se forma durante a maré baixa, quando é possível ver bancos de areia do meio do mar de águas cristalinas. E olha que curioso: tem até um restaurante de comida típica, que funciona durante a alta temporada. O acesso é feito de barco a partir de Barra Grande ou Camamu e não demora mais de 1h. O caminho passa por vilarejos e praias encantadoras.

Lagoa do Cassange: numa perspectiva aérea, é muito bonito ver a Lagoa do Cassange, que só separa do oceano por conta de uma extensa faixa de areia com 300 metros de largura. A fonte de água doce, indicada para banho e prática de esportes a vela, chega a tem 1.500 metros de comprimento. Do outro lado está a praia do Cassange, cercada por coqueiros e ondas fracas. Há também o Morro do Celular, que oferece uma vista impressionante, e pousadas para quem quiser esticar a estadia.

Ilha do Goió: pacata, a ilha rodeada por vegetação da Mata Atlântica atrai pescadores e embarcações de passeios. Ali, famílias encontram tranquilidade e águas igualmente calmas, com poucas ondas, ideais para crianças brincarem. O acesso é feito a partir de Barra Grande.

Camamu: uma das mais antigas cidades do Brasil, se formou em dois andares — assim como Salvador — às margens do rio Acaraí e de muitos mangues. Na cidade alta se observa a arquitetura colonial de seus edifícios e igrejas, enquanto na cidade baixa estão a área comercial e o pier de embarque para as travessias marítimas. É por meio dela que se acessa boa parte das ilhas, mas não deixe que seja apenas um ponto de passagem. Vale a pena explorá-la!

Vila de Tremembé: acessada por barcos ou veículos vindos de Camamu, a vila entre matas e manguezais ficou conhecida por conta de sua belíssima cachoeira, que também leva o nome de Tremembé. O rio Maraú cai 30 metros de altura rumo à Baía de Camamu, formando uma piscina natural. O encontro das águas fluviais com o mar salgado traz temperatura ideal para um banho.

Ponta do Mutá: uma caminhada curta a partir de Barra Grande leva até a Ponta do Mutá, conhecida por um pôr do sol de cair o queixo. Tem um Farol, uma praia, pousadas e bares pé na areia que são ótimos para assistir ao espetáculo natural com uma cervejinha em mãos.

Como chegar: o jeito mais fácil de chegar à Península do Maraú é descendo no aeroporto de Ilhéus. Salvador fica um pouco mais longe, mas também é uma boa opção. De carro, o acesso é pela BR-030 a partir de Itacaré. Quem for de ônibus deve partir dessas duas cidades ou de Itabuna, seguindo rumo a Camamu. E, de barco, o destino é o mesmo, porém é preciso pegar a estrada BA-001 a partir de Salvador antes de embarcar num ferryboat.

Post por Brunella Nunes
Fotos: reprodução/via

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *