Curtir o calor no litoral é uma das atividades favoritas dos brasileiros. Mas sabia que você pode explorar novas atividades por lá? Selecionamos 10 passeios diferentes nas praias de São Paulo para mudar as perspectivas da sua próxima viagem.

O litoral paulista fica entre 1h e 4h de distância da capital, reservando não apenas a brisa fresca que vem do mar, mas inúmeros atrativos ainda desconhecidos por boa parte dos veranistas.

Preservando trechos importantes da Mata Atlântica, os municípios de praia fazem parte de áreas de conservação, onde a fauna e a flora ainda resistem. Que tal ir além dos trechos urbanizados?

Confira abaixo os 10 passeios diferentes nas praias de São Paulo

A ‘Amazônia’ de Itanhaém

Itanhaém é o nome de um rio, que em certo ponto de seu curso tem até encontro das águas: o rio Preto encosta no rio Branco, assim como acontece na Amazônia, com o rio Negro e Solimões. Engraçado, né? A região, que pega parte da Mata Atlântica, abriga a segunda maior bacia hidrográfica do Estado de São Paulo, com mais de 2 mil km de extensão.

Nesse tranquilo trecho é possível desbravar uma Itanhaém menos conhecida e mais selvagem, onde vivem espécies de aves, peixes e plantas diferentes do ambiente urbano. Passeios de barco saindo do píer da Praia dos Sonhos levam os turistas a chamada Amazônia Paulista. Indo até o Rio Preto está uma praia fluvial, às margens do Country Club, local com alguns quiosques e aluguel de caiaques. Navegar é preciso.

Foto: divulgação/Prefeitura de Itanhaém

O poço de Mongaguá

Apesar de nem todo mundo conhecer, o Poço das Antas é um dos pontos turísticos mais visitados de Mongaguá. Localizado dentro do Parque Umberto Salomone, o poço conta com uma queda d’água e uma piscina natural em meio à vegetação da Mata Atlântica.

Costuma atrair banhistas e famílias que realizam piqueniques. Há infraestrutura no local, com banheiros, lanchonetes e estacionamento, além de trilhas bem sinalizadas até outros poços. Paga-se R$ 4 por pessoa para entrar ou R$ 20 para quem está de carro.

Poço com queda d’água é opção para quem visita as praias de São Paulo – Foto: divulgação/Prefeitura de Mongaguá

A vila inglesa em Bertioga

Construída em meados de 1910, a vila de Itatinga abrigou operários ingleses para trabalharem na usina hidrelétrica local, que até hoje abastece o porto de Santos. O lugar parece ter parado no tempo, mantendo as antigas construções de pé.

O público que visita pode ver as casinhas amarelas de madeira e uma capela que veio desmontada do Reino Unido para ser erguida em solo caiçara. Bondinhos elétricos e uma Maria-Fumaça também seguem em funcionamento. Nos arredores há trilhas e cachoeiras para desbravar.

A ilha paradisíaca de Peruíbe

Muito bem preservada, a praia do Guaraú é um dos encantos de Peruíbe, unindo tudo de bom que a natureza pode oferecer: mar, cachoeira, rio, trilhas e montanhas. Depois de 7 km de serra, de carro, ônibus ou bicicleta a partir do centro da cidade, o turista encontra até pousadas e comércio para passar uns dias por lá confortavelmente.

Da praia partem barcos que, em 15 minutos, levam os viajantes até a paradisíaca ilha de Guaraú, onde as águas são cristalinas a ponto de revelar a fauna marinha. Tranquilidade e cenário deslumbrante acompanham a jornada. Os passeios costumam ter parada lá por duas horas e há limite de visitantes.

Entre as praias de São Paulo, ilha paradisíaca é acessada apenas de barco – Foto:Dido Lima

Pesquise aqui sua hospedagem de verão!

A estação ecológica de Cananéia

O Parque Estadual Lagamar engloba mais de 40 mil hectares de conservação, sendo assim uma das maiores porções de Mata Atlântica do Brasil. Inúmeras espécies marinhas e outros animais ameaçados de extinção, como botos, guarás e o mico-leão-da-cara-preta, encontram neste local um habitat seguro.

A paisagem é deslumbrante, misturando as águas do mar e do rio, que fluem entre canais, ilhas e manguezais. Os visitantes podem percorrer o chamado Circuito Polo Lagamar, que passa por Cananéia, Iguape, Ilha Comprida e Pariquera-Açu.

Foto: Foto: divulgação/Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente de SP

O aquário natural de Santos

O aquário municipal de Santos é bem antigo e tradicional, mas que tal observar as espécies marinhas em seu habitat natural? O Parque Estadual Marinho da Laje de Santos é uma unidade de conservação aos pés de uma montanha de negrito.

Ali está a rota migratória de raias mantas gigantes, que costumam dar o ar da graça nos meses de outono e inverno, para a alegria dos mergulhadores. Existem pontos específicos de mergulho, de onde se veem muitos peixinhos e outras criaturas aquáticas. É aberto a visitação pública, desde que as regras sejam cumpridas. A pesca é proibida, é claro.

Foto: Instituto Laje Viva

A reserva natural entre Praia Grande e São Vicente

Já ouviu falar no Parque Estadual Xixová-Japuí? Desde 1993 a reserva natural atrai turistas e moradores da Baixada Santista, que querem desbravar um pedaço de 901 hectares da Mata Atlântica, entre Praia Grande e São Vicente. Bichos-preguiça, tartarugas marinhas, borboletas, figueiras e bromélias são algumas das espécies que habitam o trecho.

O principal percurso a ser percorrido é a Trilha do Curtume, de 1.500 metros, que engloba aspectos históricos pelo caminho, como ruínas de 1887, com ponto final na praia de Itaquitanduva. Há uma trilha menor, de 600 metros, que chega até um mirante e a praia de Itaquitanduva. As visitas precisam ser agendadas previamente pelo telefone:  (13) 3567-2190.

Foto: Foto: divulgação/Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente de SP

As dunas de Ilha Comprida

Consideradas as últimas dunas intocadas do estado, as dunas de Ilha Comprida englobam 3.600 metros de extensão e podem ser acessadas por trilha. Em pontos de elevação, fazem o papel de mirante.

Há duas opções de trilhas no município: Juruvaúva e Maravilha da Ponta da Praia, que contempla observação de aves, ruínas, lagoa, vista panorâmica da Serra do Itatins-Juréia, do estuário e do mar.

Dunas fazem parte das praias de São Paulo – Foto: divulgação/Prefeitura de Ilha Comprida

O mirante de Caraguá

Dentro do Parque Estadual Caragatatuba existe um belo mirante, que oferece vista de São Sebastião, Ilhabela e outros pedaços da região. O percurso nasceu na década de 30, onde antes havia a trilha dos tropeiros, que ligava o Vale do Paraíba ao litoral Norte.

Para chegar ao topo da Serra do Mar, o acesso é pelo município de Natividade da Serra, a partir da Base Graví. O nível de dificuldade é baixo, sendo apenas 1 km de trajeto. Ainda dentro do parque está a Trilha do Poção, com 3,5 km, no qual se atravessam rios e corredeiras até chegar na Cachoeira da Pedra Redonda. É necessário o agendamento prévio por telefone ou email do Núcleo Caraguatatuba do PESM.

Foto: Miguel Nema/Parque Estadual Serra do Mar

Música na floresta de Ilhabela

Os sons da natureza se misturam ao dos instrumentos no Instituto Baía dos Vermelhos, um lindo teatro em meio à floresta de Ilhabela. O espaço é um misto de centro cultural, praça pública e residência artística, promovendo concertos, apresentações musicais e de dança, exposições, congressos, encontros, entre outros.

Seu principal evento é o Festival Vermelhos de música e artes cênicas, realizado anualmente no mês de agosto. O público confere as apresentações tanto no moderno espaço coberto quanto no anfiteatro da floresta, ao ar livre, no meio da vegetação da Mata Atlântica.

Foto: divulgação/Baia dos Vermelhos

Parque Ecológico Perequê em Cubatão: cachoeiras e natureza perto de SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *