Quem gosta de natureza e aventura, com certeza, já cogitou programar uma viagem à Patagônia Chilena. O parque mais conhecido e cobiçado da região é o de Torres del Paine. Porém, existem outros com paisagens exuberantes que também merecem uma visita, como é o caso do Parque Nacional Hornopirén.

Criado em 1988 e localizado a leste da cidade de Hornopireén, no sul do Chile, o Parque Nacional Hornopirén é conhecido pela sua rica biodiversidade, tanto que faz parte da Reserva Mundial da Biosfera das Florestas Tropicais Temperadas dos Andes do Sul e protege quase 9 mil hectares de Alerces, um tipo de árvore majestosa e milenar encontrada na região.

Foto: Nicolás

O parque faz parte da Rota dos Parques da Patagônia Chilena, um trajeto de 2.800 km que passa por 17 parques nacionais e considerada uma das estradas mais lindas do mundo.

Como chegar ao Parque Nacional Hornopirén

Nós, brasileiros, não precisamos de visto para entrar no Chile — basta pegar um avião e aterrissar tranquilamente em Santiago. Saindo capital, é hora de seguir viagem para o Sul do país até a cidade de Puerto Montt, um destino comum para quem deseja explorar a Patagônia Chilena. O trajeto pode ser feito de avião, de ônibus ou de vans que saem de Santiago.

Estando em Puerto Montt, os turistas que desejam ir até o Parque Nacional Hornopirén podem fazer esse deslocamento com um carro alugado ou com um ônibus, já que a distância é de aproximadamente 110 km. No site KemelBus, uma das empresas da região que faz o percurso, é possível verificar os horários de ônibus que vão ao parque, saindo de Puerto Montt. Assim você já consegue se programar melhor para o passeio.

Chegando, vá até a praça Diego Portales Bernardo O’Higgins, onde você pode pegar um segundo ônibus para ir até a administração do CONAF (faça isso porque a caminha é de 7 km até a portaria). É essencial que os visitantes façam um registro antes de entrar no parque. Não há taxa de entrada para a admissão no parque.

Onde se hospedar em Hornopirén? Veja opções de hotéis aqui!

Um parque para os fortes

Há quem diga que os caminhos difíceis são os que levam aos lugares mais bonitos e essa frase tem tudo a ver com o Parque Nacional Hornopirén. Todas as trilhas são pesadas e com longas distâncias. Definitivamente: o parque não é para principiantes.

Para você ter uma ideia, a Trilha do Lago Pinto Concha que leva os visitantes até uma das principais atrações do parque tem, no total, 14 km de distância, considerada de dificuldade média-alta.

Prepare-se para caminhar por 8 horas, contabilizando a ida e a volta. Essa trilha fica aberta somente de outubro a março.

parque nacional hornopirén
Foto: Wikimedia Commons

Nas redondezas do Lago Pinto Concha existe uma área para camping, onde a maioria dos visitantes acaba ficando. O camping é gratuito, mas também sem infraestrutura. O máximo que você vai encontrar são algumas privadas, o negócio é roots por lá.

Partindo do lago, é hora de começar até a trilha até as encostas do Vulcão Yates, cuja cúpula fica a 2.111 metros acima do nível do mar. Essa trilha, em subida, tem 3,6 km (só de ida), onde os aventureiros já podem contabilizar pelo menos 2 horas de trekking. Dentro do parque também é possível ver o Vulcão Hornopirén.

Outro ponto que você precisa MUITO conhecer dentro do Parque Nacional Hornopirén é a Cascata Río Blanco.

As quedas d’água formam um rio com águas azuladas que mais parecem uma esmeralda.

Formações rochosas são atrações imperdíveis na Patagônia chilena

Com paisagens surpreendentes, Vulcão Osorno é uma das joias do Chile

Esse visual de rios e lagoas emoldurados por montanhas fantásticas é facilmente encontrada em todos os cantos do parque. Com certeza, você vai voltar com a energia renovada após o passeio.

Veja mais fotos desse paraíso na Patagônia Chilena:

Olha que maravilha: 23 lugares imperdíveis para conhecer no Chile

Dicas gerais para quem visita o parque

  • Prepare-se para a trilha: use roupas adequadas e calçados para pisos escorregadios (o ano inteiro tem lama no caminho das trilhas).
  • Não existe um centro de informações, mas você consegue algumas dicas de trilhas (e mapas) na hora de fazer seu registro de entrada no parque.
  • Se tiver um GPS, leve! Pode ser bem útil para sua caminhada.
  • Leve água e lanches, isso porque não existem restaurantes no parque.
  • Se for cozinhar, faça isso somente nas áreas estritamente indicadas dentro do parque e vigie o fogo durante 100% do tempo.
  • A maioria dos visitantes acampa na região do Lago Pinto Concha porque as trilhas são pesadas.
  • Banheiros existem só na área de camping, mas esqueça um chuveiro para tomar banho.
  • Para mais recomendações, acesse o site oficial do parque.

UAU! Literalmente, uma superaventura para quem deseja visitar a Patagônia Chilena de um jeito bem hardcore.

Quer transformar esse sonho de conhecer a Patagônia Chilena ao vivo em realidade? Então, o primeiro passo é encontrar passagens com bons preços!

Aqui no site do Quanto Custa Viajar, você pode usar nosso buscador de passagens áreas baratas. Defina a cidade de origem e acompanhe a oscilação dos preços das passagens.

Note que as datas sinalizadas em laranja são aquelas com os preços mais em conta (corre, aproveita). Já as azuis escuras são as mais caras.

passagens aereas baratas para santiago

Clique aqui e calcule os preços de passagens aéreas para Santiago, no Chile

Com esse buscador, você consegue ter uma ideia dos períodos em que as passagens estão mais baratas e pode começar a organizar sua viagem para lá.

Gostou? Agora, é só curtir essa trip inesquecível!

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *