Você já ouviu falar do Parque Histórico Carambeí? O enorme complexo recorda a história das colônias holandesas do Paraná, mais precisamente as que se concentraram nas áreas rurais de Castrolanda e Carambeí, a pouco mais de 138 km de distância de Curitiba.

Os imigrantes da Holanda chegaram à Carambeí em meados de 1912, estabelecendo um forte laço com a agricultura e a pecuária a partir da ocupação da Fazenda Carambehy. É dali que saía a produção para alimentar os trabalhadores na linha férrea e o leite Batavo, presente até hoje nas prateleiras dos supermercados do país.

A população se expandiu até Castrolanda, que por volta de 1951 teve a primeira fundação de uma colônia holandesa nos arredores de Campos Gerais, mas ainda dentro de Castro. Anos depois, ganhou o Centro Cultural Castrolanda, que remonta a cultura dos Países Baixos através de seus edifícios no estilo “Boerderij”, da comida em restaurantes, do artesanato nas lojinhas e da história, presente no museu, que conta com acervo de objetos e mobílias pertencentes às famílias pioneiras da colonização.

Conheça Giethoorn, a charmosa “Veneza” dentro da Holanda

Parque Histórico Carambeí
Foto: divulgação/Centro Cultural Castrolanda

Um dos principais pontos de visitação é o moinho de vento, planejado por ninguém mais, ninguém menos do que o holandês Jan Heijdra, arquiteto e engenheiro especialista neste tipo de construção, para celebrar os 50 anos da colônia em 2001. Seria uma réplica do mesmo que existe na província de Drenthe (norte da Holanda), região de onde vieram boa parte dos imigrantes.

Parque Histórico Carambeí
Foto: divulgação/Centro Cultural Castrolanda

Dentro de sua estrutura de 37 metros de altura foi colocado o Memorial da Imigração, que reúne não apenas o típico equipamento de moagem, mas também uma biblioteca, uma loja de souvenir,  um salão de eventos, uma cafeteria-restaurante, uma exposição histórica e um raro órgão movido à manivela.

É em Castrolanda que também fica a Cidade do Leite, uma área temática erguida para o Agroleite, um grande evento direcionado aos produtores, que atribuiu à Castro o nome de “Capital Nacional do Leite”.

Parque Histórico Carambeí
Foto: divulgação/Parque Histórico Carambeí

O Parque Histórico Carambeí

Em memória aos imigrantes que ajudaram no desenvolvimento local foi criado o parque, reproduzindo tanto estilo arquitetônicas quanto o de vida do colono no início do século XX, destacando as experiências que moldaram a cidade.

São 100 mil metros quadrados que integram o complexo museológico e ao ar livre, agrupando alas temáticas como Bens Paisagísticos, História da Vida Privada, Sociabilidade e Cooperativismo. O espaço expositivo conta com uma ala de mostras temporárias, sempre focando na trajetória holandesa da região e em caráter multiétnico.

Parque Histórico Carambeí
Foto: divulgação/Parque Histórico Carambeí
Parque Histórico Carambeí
Foto: divulgação/Parque Histórico Carambeí

O acervo também é composto por doações de imigrantes e seus familiares. As coleções passam por livros, móveis, utensílios domésticos, ferramentas, equipamentos agrícolas e tratores. Além disso, os visitantes passeiam entre as casas, escola, igreja e demais ambientes de trabalho e convívio reconstituídos para resgatar o período de formação da colônia.

A estrutura conta ainda com amplos jardins e um parque ecológico, inspirado no estilo do holandês Zaanse Schans, que inspira a vila homônima na Holanda, rodeado vários moinhos e casas históricos bem preservadas.

Parque Histórico Carambeí
Foto: divulgação/Parque Histórico Carambeí

Em datas especiais e festivas, o público pode saber mais sobre o legado local por meio de peças teatrais interativas, que acontecem dentro da vila histórica, além de curtir apresentações folclóricas. No período do Natal, a decoração iluminada toma conta do parque, deixando-o com o clima ainda mais mágico.

Foto: divulgação/Parque Histórico Carambeí
Foto: divulgação/Parque Histórico Carambeí

Onde comer

Dentro do parque, a Koffiehuis oferece culinária típica da Holanda e da Indonésia. Aos sábados, domingos e feriados o espaço serve buffet a R$49,50 (livre) ou R$62,00 o kg, com pratos diferenciados, como o macarrão frito e o purê de maçã.

Os petiscos típicos podem ser consumidos a qualquer hora, seja na Koffiehuis ou no Ons Hoekje, um outro espaço gastronômico dentro do parque. Entre as opções estão os Bitterballens, bolinhos  crocantes de carne com especiarias, e Poffertjes, um amontoado de pequenas e macias panquecas, servidas com açúcar e manteiga.

Foto: divulgação/Frederica’s

Além disso, a tradição de fazer tortas prevalece firme e forte na cafeteria. As receitas centenárias ganham reinterpretações, como é o caso da Torta de Stroopwafel, com creme suíço, caramelo e a tradicional bolacha holandesa. Outra receita nova é a torta de limão siciliano com mirtilo

Tome nota: vai rolar Festival de Tortas dias 5 e 6 de outubro dentro do Parque Histórico Carambeí.

Outra opção para saborear sobremesas típicas é a Frederica’s, também conhecida pela excelência de suas tortas. Nozes, ameixa, limão, maçã, morango e outras 60 opções, incluindo salgadas, entram no menu. Difícil mesmo é escolher qual delas provar!

Foto: divulgação/Frederica’s
Foto: divulgação/Frederica’s

Abaixo você confere outras opções na cidade:

  • Tortas Wolf: outra torteria, com sabores doces e salgados disponíveis, além de empadão, sopas e porções.
  • Restaurante Niemeyer: um dos mais tradicionais na cidade, conta com buffet livre e serviço de espeto na mesa. Além disso, vende queijos de produção própria.
  • Pizzaria Boca do Forno: com unidades em Castro e Carambeí, oferece pizzas a la carte e rodízio no salão.
  • Estação Grill: serve buffet variado durante o almoço e promove jantar oriental uma vez ao mês.
Foto: divulgação/Parque Histórico Carambeí

Onde ficar na região?

A região que engloba Carambeí, Castro e Castrolanda não possui tantos hotéis, mas há opções para quem quer ao menos passar a noite ou o final de semana.

    • Borgen Hotel: hospedagem em Castrolanda, com estrutura moderna e restaurante. Tem quartos para famílias de até cinco pessoas.
    • Chácara Bailly: a acomodação funciona como uma pousada, ou B&B (bed and breakfast), com lounge compartilhado, jardim, terraço e estacionamento.
    • Central Palace Castro: hotel fundado em 1960, conta com 40 acomodações, de tamanhos e categorias variadas. Tem buffet de café da manhã e estacionamento.
Foto: divulgação/Booking.com
    • Hotel de Klomp: localizado em Carambeí, o hotel possui apartamentos em quatro categorias distintas, restaurante e estacionamento.
    • Hotel Pousada Oosterhuis: a pousada em Castro conta com cozinha compartilhada, buffet de café da manhã, serviço de quarto e playground. Tem quartos para até quatro pessoas e um bebê.
    • Pousada Ribeirão das Flores: com cara de hotel fazenda, a pousada em Castro tem piscina com toboágua, piscina infantil, salão de jogos, tirolesa, piscina aquecida, cachoeira, restaurante e chalés para até 10 pessoas.
Foto: divulgação/Borgen Hotel

Quanto custa para entrar no Parque Histórico Carambeí?

Os ingressos para entrar no Parque Histórico Carambeí custam R$ 20,00 inteira ou R$ 10,00 meia entrada. Pessoas acima de 60 anos, crianças até 6 anos, munícipes e acompanhantes de pessoas com deficiência têm entrada gratuita.

Para realizar ensaios fotográficos dentro do parque é necessária autorização e o pagamento de uma taxa aparte. Consulte diretamente com a administração.

Tome nota: Quarta-Feira Visitação Gratuita para todos (exceto grupos e em feriados)

Quem quiser incluir o Centro Cultural Castrolanda na viagem, a tarifa é de R$ 15,00 (inteira) ou R$ 7,50 (meia entrada). Maiores de 60 anos, professores e estudantes com carteirinha, doadores regulares de sangue e crianças acima de 7 anos. Gratuidade para portadores de Necessidades Especiais e 01 acompanhante; crianças até 6 anos.

FECHADO PARA VISITAÇÃO NA PÁSCOA E NATAL.

Foto: divulgação/Parque Histórico Carambeí

Como chegar

O acesso ao Parque Histórico Carambeí, localizado na Avenida dos Pioneiros, 4050, pode ser feito por meio da Viação Iapó, que liga Carambeí a Ponta Grossa ou a Castro.

Para quem vai a partir de Curitiba, o trajeto se inicia na BR 277 sentido Ponta Grossa, passando depois pela BR 376 e PR 151. Você pode alugar um carro em Curitiba através deste link.

Foto: divulgação/Parque Histórico Carambeí

É pertinho: inclua no percurso a Colônia Witmarsum, um pedacinho da Alemanha

Foto: divulgação/Parque Histórico Carambeí

Parque de águas termais inspirado na Holanda atrai turistas até Santana do Livramento, no Sul do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verão 2020

Programe-se para curtir as belezas da Bahia no próximo verão! Temos dicas de lugares incríveis para suas férias.