A Família Real portuguesa que ocupou o Brasil durante a colonização e império não era nada boba. Enquanto não chegavam em terras tupiniquins, a família de D. Pedro mandou construir uma casa de veraneio nada humilde em Portugal: o exuberante Palácio de Queluz. A construção é uma das mais icônicas do país e se consagrou com o projeto paisagístico criterioso de seus jardins.

Foi em 1747 que o então futuro D. Pedro III bateu o martelo para fechar negócio. Uma enorme casa em Sintra foi restaurada e modificada para se tornar a residência da Corte, que a partir de 1794 se tornou permanente, servindo de moradia oficial até o ano de 1807, quando partiram para o Rio de Janeiro. Foi neste belo espaço que os monarcas desfrutavam de sombra e sol.

Composto de elementos barrocos, rococós e neoclássicos, que representam os gostos da época entre os séculos 18 e 19, o pavilhão tem um pouquinho de cada nação em seus detalhes e já foi comparado com Versalhes algumas vezes. O jardim foi inspirado nos modelos da França, com fontes e lagos desenhados pelo francês Jean-Baptiste Robillion em parceria com o holandês José van der Kolk, enquanto as estátuas em pedra e chumbo são oriundas da Inglaterra e da Itália.

Da época restou também os detalhes que compõem a parte interna, como a talha dourada, os espelhos, as pinturas, os lustres exuberantes e o papel maché que forram as paredes. O acervo conta com coleções de mobiliário, pintura, cerâmica, ourivesaria, escultura e tapeçaria que refletem os tempos áureos da Casa Real. Atualmente sedia também concertos, exposições e recriações históricas.

E tem mais: se você quer ficar muito, mas muito pertinho mesmo do palácio, pode se hospedar na pousada dentro da propriedade, por R$ 504 a diária. Se a grana for curta, dá para pelo menos comer no restaurante Cozinha Velha, instalado na antiga cozinha local. A especialidade da casa é gastronomia contemporânea e regional. O preço da refeição com couvert, uma sopa ou entrada, um prato principal e doce/fruta da época é de € 33,00 por pessoa.

Quanto custa: os ingressos variam de € 3,50 a € 10,00 dependendo se a pessoa gostaria de visitar o palácio e os jardins ou somente os jardins. O bilhete família (2 adultos + 2 jovens) custa de € 15,00 a € 33,00. Entrada gratuita para crianças até 5 anos de idade.

Como chegar: para ir ao palácio é preciso seguir rumo a Sintra. O trajeto pode ser feito de carro – clique aqui para alugar online seu carro! – ou de trem a partir de Lisboa pela linha de Sintra (saída na Estação Queluz-Belas ou Monte Abrão, distância do Palácio cerca de 1 km). Quem está em Sintra pega a mesma linha, já na cidade, para chegar ao local.

Encontre aqui sua passagem aérea para Lisboa!

Fotos: reprodução/via 

Quinta da Regaleira: um encantador cenário de conto de fadas em Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *