Quem nos acompanha no Instagram, sabe que estivemos em Bonito no Mato Grosso do Sul, nos últimos dias de 2017! De acordo com nossa experiência super rápida – ficamos lá 1 dia e meio! – , vamos dar aqui algumas dicas para você planejar sua viagem para lá!

Melhor época para ir

Os passeios em Bonito são ao ar livre e muitos envolvem água, seja em flutuações, balneários ou cachoeiras. Então é bom ficar de olho na previsão do tempo pois é uma cidade que costuma chover bastante! O guia da flutuação que fizemos, disse que a melhor época é em agosto e setembro pois chove pouco e a visibilidade da água está muito boa! Algumas cachoeiras podem estar com o nível de água mais baixo por conta do pouco volume de água. Fomos em uma semana muito chuvosa e muitos passeios foram cancelados por conta do alto volume das cachoeiras e água turva.

Agende com antecedência

Bonito é uma cidade pequena, há opções de pousadas mas são pousadas pequenas que esgotam rápido. As flutuações e visitas à grutas têm um número de visitantes limitado por dia, então é bom agendar tudo com antecedência. Nós planejamos nossa viagem de última hora mas conseguimos agendar algumas atividades. A Gruta Azul não conseguimos, ela estava lotada até final de janeiro!

Preços altos

Nós já planejamos viajar para Bonito umas 4x e sempre esbarramos na questão dos altos preços. Depois dessa rápida viagem, nós fizemos uma reflexão sobre esse assunto em nosso Instagram que vale a pena ver:

Porções que servem muito bem!

Achamos os preços da alimentação em Bonito muito bons! E vale a dica: os pratos são muuuito bem servidos em todos os restaurantes! Fomos em 3 pessoas e pedíamos pratos para 2 ou 1 pessoa e alimentavam muito bem os 3 com sobra! É tipo assim: prato individual serve 2 pessoas e prato de 2 pessoas serve até 4 😀 Adoramos a Casa do João e o restaurante Tapera.

Sobre as flutuações

Existem 4 flutuações em Bonito, são elas: Nascente Azul, Rio da Prata, Rio Sucuri e Aquário Natural. Cada uma tem a sua particularidade e é legal você pesquisar bastante antes de agendar. Todas são maravilhosas e o valor inclui o guia que irá orientar na flutuação e todo o equipamento (snorkel, roupa de neoprene, colete e sapato). Nós fizemos a da Nascente Azul, a flutuação mais curta de Bonito, indicada para quem nunca fez snorkel, crianças, idosos… Apesar de curta é muito bonita, lá é possível ver o “buraco” onde é a nascente do Rio Bonito, quem tiver coragem pode tirar o colete salva vidas e descer segurando uma corda até o buraco. A flutuação do Rio da Prata é a mais longa, chega a ter 1h30 só de flutuação e tem trechos onde não dá pé! A água é gelada sim, mas a roupa de neoprene ajuda bastante e – pelo menos quando fomos- o calor de fora ajuda a não sentir frio.

Acesso às atrações

O acesso às atrações é feito por longos trechos de estrada de terra e algumas partes até um pouco complicadas. Então se for de carro (próprio ou alugado) se prepare! Não recomendamos carros rebaixados!

Acesso para pessoas com dificuldade de locomoção

Apesar da estrutura nas atividades ser excelente, alguns locais são de difícil acesso para pessoas com dificuldade de locomoção. Para visitar grutas é preciso descer bastante em pedras escorregadias (a Gruta Azul tem quase 300 degraus!). Para as flutuações é necessário ver a sua escolha, a da Nascente Azul tem toda uma trilha de madeira (bem pequena e tranquila) para um fácil acesso. Então fique de olho se você está indo com cadeirante, idoso…É importante para a segurança de todos!

Pagamentos

Muitos lugares em Bonito (e nas atividades) só aceitam pagamento em dinheiro, no máximo cartão de débito. Esqueça pagar no cartão de crédito (a não ser os passeios que contratar em agência). Há agências de bancos no centro da cidade para você sacar dinheiro.

Bonito é linda e vale muito fazer essa viagem! Confira todos os custos e planeje-se:

Para onde viajar
Eu tenhoBudget
e quero viajar porDias
Para onde viajar

3 comentários

  1. Estive lá em dezembro/2017. Dicas: faça os passeios que quiser agendando-os antes com as agências locais de turismo (poupa-se tempo, dinheiro e paciência); alugue um carro (as distâncias entre os passeios são relativamente grandes e, embora existam vans que fazem traslados, o aproveitamento é melhor); e, por fim, não deixe de aproveitar alguns Day Use em fazendas da região, com várias atrações e comidas saborosas (altamente recomendáveis: Day Use Rio do Peixe e Day Use Rio da Prata – são maravilhosos!).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *