Ir até o Litoral Sul de São Paulo é um passeio obrigatório para quem mora ou visita a capital. Mas que tal ir além das praias? Te mostramos o que fazer em Santos, uma cidade que segue evoluindo e chega a ter uma das melhores qualidades de vida do país.

Quem vai para Santos hoje se esquece que a cidade começou como vilarejo. O município portuário evoluiu muito ao longo do tempo, mas sem deixar de lado a alma caiçara. Apesar de contar com 6 praias e ter o turismo instantaneamente ligado à elas, conta com inúmeros atrativos longe da areia.

Tome nota: leve dinheiro vivo, pois alguns estabelecimentos não aceitam cartão de crédito.

São diversos museus, jardins, edifícios históricos e igrejas para visitar. Além disso, a ala gastronômica da cidade vem ficando cada vez mais recheada de boas opções, então cabe uma atenção especial aqui também. Difícil mesmo é cumprir a agenda toda em apenas um dia de passeio, mas você pode esticar a viagem para um final de semana e reservar um hotel.

Foto: Brunella Nunes

O que fazer em Santos quando não dá praia

Passeio de bonde

Santos deu origem ao primeiro serviço de bondes do Brasil. A boa notícia é que até hoje mantém uma parte de seus trilhos, que funcionam num passeio de aproximadamente 40 minutos. Com saídas da Estação Valongo, os transportes elétricos dos séculos 19 e 20 passam por 40 pontos de interesse histórico e cultural, como o Museu do Pelé e o Museu de Pesca. Existem também alguns roteiros em bondes temáticos.

O ingresso custa R$ 7,00 por pessoa e só pode ser pago em dinheiro. Crianças até 5 anos não pagam. Quem quiser mais praticidade pode agendar através do site da SISTUR.

Foto: Brunella Nunes

Monte Serrat

Uma das melhores surpresas de Santos é o Monte Serrat, onde fica um antigo cassino, que oferece vistas 360 graus para toda a cidade e seus arredores. Para chegar lá no alto, é preciso subir 402 degraus ou pegar o funicular, um bondinho que sobe 242 metros bem íngremes, que podem dar aquele friozinho na barriga. São dois carros em movimento sincronizado de subida e descida, controlada por um cabo de aço. É uma experiência única!

Chegando no topo, você pode tomar um cafezinho, conhecer o charmoso edifício e o Santuário de Nossa Senhora do Monte Serrat, padroeira de Santos, construído há mais de 400 anos. Os ingressos do funicular custam R$ 42 por pessoa ida e volta; ou R$ 21 apenas descida; crianças até 8 anos e pessoas acima dos 65 anos não pagam.

Aquário Municipal

O aquário de Santos é o mais antigo do Brasil e se mantém de pé há mais de 70 anos, sendo a primeira instituição a realizar resgate e recuperação dos animais marinhos no país. Apesar de ter cerca de 2 mil m² abertos ao público, não é tão grande, mas é interesse.

Conta com 32 tanques, abastecidos com peixes das mais diversas espécies e tubarões, como o tubarão-lixa, ameaçado de extinção. Há uma ala dedicada aos pinguins e invertebrados marinhos. Até agosto de 2019, fazia sucesso o leão-marinho Abaré-Inti, que faleceu devido a uma complicação intestinal.

Os ingressos custam R$ 8 por pessoa, com meia entrada para estudantes e professores; crianças até 8 anos e maiores de 65 anos têm entrada gratuita.

Foto: divulgação/Turismo de Santos

Museu da Pesca

Instalado num casarão de 1908, o Museu da Pesca é dedicado à estudo e exibição de seres do ambiente aquático. Seu atrativo mais fotografado e conhecido é o enorme esqueleto de uma baleia-fin, com 23 metros de comprimento, 193 ossos e 7 toneladas, que foi até mesmo confundida com um submarino ao ser encontrada encalhada em Peruíbe.

Além dela, o acervo exibe lulas gigantes, uma arraia manta, um tubarão-golfinho e outros animais taxidermizados, uma grande coleção de areias das praias do mundo todo, equipamentos de navegação e um cenário que imita um navio pirata. O ingresso custa R$ 5; estudantes e professores da rede pública pagam meia; grátis para menores de 6 anos e maiores de 60.

O que fazer em Santos: museus resgatam criaturas do mar – Foto: Anderson Bianchi/Turismo de Santos

Lagoa da Saudade

Palco de alguns mistérios e teorias, a Lagoa da Saudade é um local agradável para passar algumas horas do dia. Nos seus arredores ficam alguns pescadores, pessoas descansando, quiosques com churrasqueira para lazer e playground. Abraçada por um trecho da Mata Atlântica, conta ainda com a Gruta de Santa Sara Kali, a primeira do país em homenagem à padroeira da comunidade cigana, e uma pista de skate estilo plaza de 600 m². O acesso é gratuito.

Foto: divulgação/Turismo de Santos

Museu Marítimo *atualmente fechado para reforma

Quer mergulhar de cabeça nas profundezas do mar, mas sem se molhar? Vá ao Museu Marítimo, que conta com um enorme acervo de história marítima e arqueologia submarina, sendo reconhecido como um dos principais do país.

Os espaços expositivos se dedicam a contar histórias sobre piratas, marinheiros, capitães e navios, como o Príncipe de Astúrias, que representa o maior naufrágio brasileiro, em 1916. Estão expostas diversas peças recuperadas dessa e outras embarcações, como o Titanic.

Os ingressos custam R$ 25 por pessoa e dão acesso ao Museu do Mar, praticamente ao lado dele, que conta com a maior coleção de tubarões taxidermizados do país e outros itens relacionados à vida marinha.

Foto: divulgação/Turismo de Santos

Centro Histórico

O Centro Histórico de Santos merece um passeio a pé, porque tem cada edifício maravilhoso entre suas ruas e alamedas! Além de muitos cafés e restaurantes para todos os gostos e bolsos. Há uma lembrança de Lisboa pelas ruas, o que é totalmente compreensível, afinal, os portugueses construíram muita coisa por ali.

Exemplo disso é a Casa da Frontaria Azulejada, de 1865, que na sua fachada ostenta 7 mil azulejos portugueses e grandes portas vermelhas. Nos anos 1940 o prédio brilhou como Hotel Guanabara, que poderia estar de pé até hoje.

Mas infelizmente o descaso com o Patrimônio Histórico brasileiro foi tão grande, que anos depois foi transformado num depósito de adubos químicos, degradando sua parte interna. Ou seja, perdeu-se boa parte de sua estrutura original. Atualmente é como um galpão histórico, que sedia eventos culturais.

Foto: Brunella Nunes

Museu do Café

O centro histórico de Santos conta com edifícios belíssimos dos séculos passados e entre eles está o Museu do Café, onde antigamente eram negociadas as sacas do grão, que chegavam e partiam do porto da cidade. Hoje, o local preserva e difunde suas origens, revelando em suas salas informações preciosas sobre o café, seu cultivo e desenvolvimento, afinal, a bebida se transformou bastante ao longo dos anos.

Logo no térreo já se veem enormes telas do artista Benedito Calixto, que retratam Santos neste importante período político, econômico e cultural. Há duas alas com vários objetos de época, recursos multimídia, mapas, painéis informativos, biblioteca, loja de souvenires e uma cafeteria com grãos especiais de diversas partes do Brasil. Os ingressos custam R$ 10 por pessoa, com meia entrada para para estudantes, professores da rede pública e maiores de 60 anos; crianças até 5 anos não pagam. Entrada gratuita para todos aos sábados.

Foto: Daniel Guimarães/A2IMG

Jardim Botânico Chico Mendes

Ocupando uma área de 90 mil m², o espaço verde no bairro Bom Retiro conta com um rico acervo botânico. São mais de 300 espécies em 20 coleções, vindas da Mata Atlântica e da Amazônia. É possível encontrar também 65 tipos de palmeiras, árvores de madeira nobre e espécies em extinção. Nos três lagos que possui se avistam carpas, tilápias e aves aquáticas. Um bom local para aquele passeio sem pressa. O acesso é gratuito.

O que fazer em Santos? Passeio no Jardim Botânico! Foto: divulgação/Turismo de Santos

Basílica de Santo Antônio do Embaré

Seguindo o estilo neogótico francês, a basílica do século 19 é uma das mais bonitas da cidade. Quem assina sua imponente arquitetura é Maximilian Emil Hehl, mesmo arquiteto que projetou a Catedral da Sé de São Paulo.

A estrutura é formada por afrescos, murais, vitrais, pilares de granito rosa e um órgão de mais de 4 mil tubos. O altar e todas as imagens santas são de madeira, proibindo que velas sejam acesas. A igreja é bem concorrida para casamentos e o agendamento abre apenas uma vez por ano.

Foto: Marcia Mendes

Pinacoteca Benedicto Calixto

Um dos mais belos casarões de Santos é o da Pinacoteca, que segue o estilo neoclássico na parte externa e art nouveau na área interna. O n local já foi residência, asilo, pensionato e cortiço, mas foi restaurado e hoje funciona como espaço cultural, dedicado a cursos e eventos.

Há uma exposição permanente do artista Benedicto Calixto e outras temporárias, além de uma biblioteca recheada de livros de arte. No jardim está a postos o charmoso bistrô Calixto serve refeições do café da manhã ao jantar. O acesso é grátis.

Foto: Marcelo Martins/Prefeitura de Santos
Foto: divulgação/Turismo de Santos

Orquidário

Muitas pessoas que já pisaram em Santos vão embora sem ir ao Orquidário Municipal. De pé desde 1945, o parque zoobotânico reúne mais de 3.500 orquídeas de 120 espécies, além de 1.500 árvores e arbustos oriundas de diversas partes do mundo ou nativas, como é o caso do pau-brasil, embaúba, ipê-roxo e pau-ferro. É um pequeno exemplar de floresta tropical urbana, que tem o objetivo de reproduzir um trecho da Mata Atlântica e mostrar um pouco da história do Brasil.

Há ainda outros atrativos interessantes, como a Trilha do Mel, que revela diversos tipos de abelhas sem ferrão; um jardim sensorial; um viveiro e um pequeno zoológico, com 500 animais silvestres de 70 espécies. O ingresso custa R$ 8 por adulto ou R$ 12 no combo que dá acesso ao aquário; gratuidade para crianças de até 8 anos e idosos; estudantes e professores pagam meia-entrada.

Foto: divulgação/Turismo de Santos

Museu Pelé

Um dos maiores ídolos do futebol, Edison Arantes do Nascimento tem um museu só pra ele na cidade onde iniciou sua carreira profissional. As instalações de mais de 4 mil m² ocupam os históricos Casarões do Valongo, em frente à estação de bondinhos. Lá estão reunidos objetos pessoais, documentos, prêmios, vídeos e fotografias do atleta.

O ingresso custa R$ 10 por adulto; aos domingos é R$ 5; estudantes e idosos pagam meia. Gratuidade para crianças de até 10 anos e estudantes das escolas de rede pública (municipal, estadual e federal).

Foto: divulgação/Turismo de Santos

Partiu, Santos? Calcule aqui os custos da viagem!

Foto: divulgação/Turismo de Santos

As melhores praias de São Paulo

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *