Nem sempre conseguimos viajar o mundo, mas graças a internet, dá para desbravar muita coisa sem sair do celular. Selecionamos 17 museus com visitas virtuais em seus espaços e acervos, mostrando que lugar de cultura também é em casa.

Sabe como é, a situação econômica nem sempre colabora com o viajante. Mas mesmo que não seja o caso, saiba que os recursos tecnológicos também nos ajudam na hora do planejamento, afinal, você precisa saber o que colocar no roteiro, então que tal dar uma espiadinha antes?

Com a iniciativa do Google Arts & Culture, o público pode passear por mais de 500 museus, palácios, castelos e demais galerias parceiras localizadas na Europa, América do Norte, América do Sul, África e Ásia. E quer saber do melhor? É grátis! Se liga na nossa seleção.

Museus com visitas virtuais ao redor do mundo

MoMA The Museum of Modern Art — Nova York

Um dos principais museus com visitas virtuais é também um dos museus mais conhecidos do mundo. O MoMa tem um acervo com mais de 150 mil itens, entre pinturas, esculturas, desenhos, fotografias e objetos de design, além de 22 mil filmes. Com foco em arte moderna e contemporânea, conta com obras originais de grandes artistas, como Claude Monet, Vincent van Gogh, Pablo Picasso e Andy Warhol.

Foto: divulgação

Museu Van Gogh — Amsterdã

Depois de passear pelo MoMa, que tal aprender um pouco mais sobre Vincent Van Gogh? O artista holandês ganha vida novamente dentro de um museu dedicado apenas a si, onde fica a maior coleção de suas obras no mundo inteiro. São mais de 200 pinturas, 500 desenhos e 700 cartas, incluindo correspondências trocadas com o irmão, Theo, durante sua residência artística em Arles, na França, que rendeu algumas de suas obras mais conhecidas, como “Girassóis”.

Foto: divulgação

Palácio de Versailles — Paris

Listada como um dos Patrimônios da Humanidade pela Unesco, o Palácio de Versailles reúne algumas das peças artísticas mais emblemáticas do século 17. A construção serviu de morada para a família real de Luís XIV e funcionou como sede do governo até 1682. O que restou das regalias do rei se transformou em acervo museológico, como todo o luxo, rococó e arte que o dinheiro poderia comprar. É um dos museus com visitas virtuais mais legais para ver na plataforma do Google.

Museu Frida Kahlo — México

Que tal explorar a casa onde viveu uma das maiores artistas de todos os tempos? A Casa Azul é um museu-residência que reúne quadros, fotografias, roupas e objetos pessoais de Frida Kahlo. Foi neste imóvel de 1904 que ela veio ao mundo, produziu, teve grandes amores e deu seu último suspiro. Na plataforma virtual é possível percorrer os cômodos, checar o acervo e conferir uma exposição da artista mexicana. 

Foto: divulgação

Isabella Stewart Gardner Museum — Boston 

Pode ser que você nunca tenha ouvido falar nesse museu, mas ele possui uma das coleções de arte mais notáveis do mundo, que pertenceu à colecionadora de arte Isabella Stewart. O belíssimo edifício imita um palácio veneziano do século 15, incorporando elementos góticos e renascentistas. Conta com jardins ornamentados e cômodos de cair o queixo. O acervo tem 2.500 itens, entre objetos, pinturas, esculturas, móveis, têxteis, livros raros e fotografias oriundas de várias partes do mundo. As galerias contam com obras de Rembrandt, Michelangelo, Raphael, Botticelli, Manet, Degas e Matisse. 

Foto: divulgação

Tokyo Fuji Art Museum — Tóquio

Com uma coleção de 30 mil obras de arte orientais e ocidentais, o museu de Tóquio tem distração para horas a fio. O destaque vai para pinturas a óleo que vão desde o Renascimento até as eras barroca e pós-modernista, além de fotografias. O museu também se dedica a arte ukiyo-e, que costuma ser relembrada a partir da obra “A Grande Onda de Kanagawa”, do artista Katsushika Hokusai, simplesmente a arte mais reproduzida do mundo.

Foto: divulgação

Science Museum — Londres

Vamos descobrir as maravilhas da ciência? Interativo, o museu científico de Londres é um dos melhores lugares para isso, contando com realizações científicas, tecnológicas e médicas de todo o mundo. Distribuída em sete andares, a coleção tem mais de 300 mil objetos, como a máquina de vapor de Newcommen (1712), a máquina calculadora de Babbage (1832) e o módulo de mando de Apollo X (1969). As crianças adoram o passeio! 

Foto: divulgação

Palácio Nacional de Queluz — Lisboa/Sintra

Se você sempre quis entrar em uma das residências da família real portuguesa, essa é sua chance. Localizado entre Lisboa e Sintra, o Palácio Nacional de Queluz era a residência de férias de D. Pedro III, que habitou o local de 1794 a 1807, antes de ir para o Brasil. Composto de elementos barrocos, rococós, neoclássicos e esculturas italianas e inglesas, o pavilhão tem um pouquinho de cada nação em seus detalhes e já foi comparado com O Palácio de Versailles algumas vezes. 

Foto: divulgação

La Galleria Nazionale — Roma

Reunindo arte moderna e contemporânea, a galeria nacional de Roma dispõe parte de seu acervo on-line. São 20 mil itens de arte internacional e italiana, do século 19 ao 21. O público pode ver obras de diversos movimentos artísticos, passando pelo neoclassicismo, impressionismo, futurismo, surrealismo e Pop Arte.

Foto: divulgação

Museus virtuais no Brasil

Pinacoteca de São Paulo — São Paulo

Entre os museus com visitas virtuais, também têm os brasileiros, é claro! Além de estar alocada num belo edifício, a coleção da Pinacoteca é incrível, com ênfase na arte brasileira do século 19 até hoje. Ao longo de 100 anos de existência, adquiriu mais de 9 mil obras de arte, sendo um dos melhores lugares para aprender mais sobre as maravilhas artísticas nacionais. Parada obrigatória na cidade e na internet. 

Foto: divulgação

Instituto Inhotim — Brumadinho

O principal atrativo turístico da cidade de Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte, ganhou notoriedade mundial por ostentar belíssimos jardins e galerias com aproximadamente 700 obras de 200 artistas. O passeio destaca arte contemporânea, com instalações de Yayoi Kusama, Hélio Oiticica e Tunga, além de uma galeria dedicada às fotógrafias e pesquisas Cláudia Andujar, que registrou a aldeia indígena dos Yanomamis por mais de 20 anos. 

Foto: divulgação

Museu da Moda Brasileira — Rio de Janeiro

Se você gosta ou estuda moda, precisa incluir esse museu na sua lista. Sediado na Casa da Marquesa de Santos, um lindo edifício imperial do século 19, o museu possui cerca de 3500 peças relacionadas ao modo de vestir e ao comportamento da época, incluindo coleções de acessórios, vestuário, gravuras,leques e artes gráficas. Atualmente está fechado para visitação, mas você sempre pode visitá-lo on-line! 

Foto: divulgação

Museu do Índio — Rio de Janeiro

O Brasil conta com um grande número de sociedades indígenas espalhas por todo o território. Para se aprofundar em suas histórias, costumes e particularidades, o Museu do Índio reúne mais de 20 mil peças etnográficas e 15 mil publicações nacionais e estrangeiras, além de fotografias, filmes, áudios e vídeos. 

Foto: divulgação

Museu Afro Brasil — São Paulo

Localizado dentro do Parque do Ibirapuera, o museu conserva 6 mil obras, entre pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, documentos e peças etnológicas, com foco em cultura africana e afro-brasileira. O pavilhão dividido por temas aborda religião, trabalho, arte, escravidão e as construções e colaborações históricas a partir da diáspora africana. 

Museu do Café — Santos

A cultura cafeeira moldou a economia do Brasil colônia e até hoje rende frutos, literalmente. No Museu do Café, além de percorrer um belíssimo edifício que antes funcionava como “pregão” das sacas de café que chegavam e partiam do Porto de Santos, o público pode se aprofundar no tema que chega à mesa de tantos brasileiros. O acervo reúne objetos, pinturas, fotografias, vídeos e infográficos que mostram a evolução da cafeicultura e o desenvolvimento político, econômico e cultural do país

Foto: divulgação/Victor Hugo Mori

Museu Imperial —Petrópolis

Sabia que você pode visitar, virtualmente ou não, uma das residências da família imperial brasileira? O edifício construído entre 1845 e 1862 conta com materiais nobres em sua composição, como mármore Carrara e madeira de lei, além de ostentar um jardim planejado. Funcionando como museu desde 1943, conta com um significativo acervo de peças imperiais, chegando a 300 mil itens. Apenas 10% está exposto, mas já dá para se distrair bastante! 

Foto: divulgação

Museu Oscar Niemeyer — Curitiba

O que é um olho gigante no meio de Curitiba? É o Museu Oscar Niemeyer, oras. Projetado pelo renomado arquiteto, o espaço expositivo é considerado um dos maiores da América Latina, reunindo em sua programação temas ligados a artes visuais, arquitetura, urbanismo e design. O MON não possui mostras fixas. Mas vocês podem rever exposições, como a Circonjecturas, de Rafael Silveira, que une um tanto de surrealismo e fantasia em suas divertidas obras! 

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *