Marcados eternamente com o refrão “hey ho! Let’s go”, da música Blitzkrieg Bop, a banda Ramones ficou mundialmente conhecida com seus hits de punk rock. Em Berlim, os fãs piram com o acervo do Museu do Ramones, que reúne cerca de 500 itens dos integrantes do grupo.

A capital alemã é um grande antro do movimento punk, mas o motivo do museu estar lá não é bem esse. O fanático Flo Hayler começou sua coleção de artigos da banda há 20 anos atrás, acumulando tudo o que é tipo de coisas, desde ingresso de shows até pôsteres e camisetas. Com 300 objetos estocados num apartamento, a então namorada do colecionador deu um ultimato: tudo deveria sair de lá.

Assim, em setembro de 2005 – um ano depois da morte de Johnny Ramone -, nascia a primeira versão do estabelecimento, idealizado não só para fãs da banda, mas da música em geral, além de reunir boa parte da memória do grupo, que tanto colaborou com o gênero musical.

Museu Ramones7

Depois de dois anos e 10 mil visitantes do mundo todo, tiveram de mudar de endereço e reabriram no atual local em 2009, com 300 itens da coleção particular somados a outras 200 peças nunca vistas, adquiridas ao longo do tempo. A área dedicada a Marky Ramone traz seu antigo e surrado par de tênis, assinados pelo próprio, móveis da sala de seu apartamento em Nova York, algumas fotos autografadas nos anos 1990, baquetas, e a pele de um bumbo, parte da bateria, assinada por Johnny, Joey, Marky e CJ.

Além do acervo, o espaço também conta com um bar aberto ao público, onde o punk é dominante desde as caixas de som até a apresentação de novas bandas ao vivo. As paredes são decoradas com fotos, graffitis e autógrafos de outros ídolos do rock como No Use for a Name e Green Day.

A entrada do museu custa 3,50* euro e você ganha um botton do Ramones. Hey ho, let’s go?

Museu Ramones4

Museu Ramones5

Museu Ramones

Museu Ramones2

Museu Ramones3

Museu Ramones6

*preço válido para 2016, sujeito a alteração

Post por Brunella Nunes
Fotos: divulgação

2 comentários

  1. Show de post! Os Ramones foram os precursores de TANTA gente que mal dá pra contar. A filosofia do “faça seu rock você mesmo” inspirou milhões de jovens no mundo todo. Ainda vou visitar esse museu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *