Não sei vocês, mas a gente aqui trabalha com o objetivo de seguir viajando até o fim dos nossos dias. Mas, essa vontade ainda não despertou em todo mundo, talvez por falta de grana, por falta de perspectiva ou por não saber o que está perdendo fora da zona de conforto. Pensando nisso, vamos listar aqui alguns motivos para viajar, porque precisa sair do seu sofá AGORA.

“O mundo é um livro. E aquele que não viaja lê apenas uma página”
— Santo Agostinho

Viajar é imprevisível

Não tem coisa melhor do que sair da rotina e, numa viagem, esteja preparado para surpresas. Conhecer um destino diferente, mesmo que esteja a poucos quilômetros da sua casa, é dar de cara com o imprevisível, é se surpreender com pequenos detalhes que nessa situação se tornam tão grandiosos. Mesmo nos destinos mais falados e mais badalados, como Paris ou Nova York, você provavelmente vai dar de cara com coisas que sequer esperava encontrar. Além disso, é um tanto engraçado se enrolar em outra língua, se perder e não saber usar um banheiro, por exemplo, como acontece na Ásia.

Viajar é descobrir

Uma das coisas mais prazerosas da vida é a descoberta, desde o momento em que a gente nasce. A vida se resume no saber. Quando viajamos, esse sentimento nos acompanha ao longo de toda a jornada, onde até os lugares mais simples trazem esse gostinho de descobrir, de desbravar. Sabia que na Tailândia não há tanta diferença entre café da manhã, almoço e janta? Dá para acordar e já comer um frango frito com arroz se você quiser. Viu só, as descobertas começam antes mesmo de você chegar ao destino.

Viajar é saber que você não está só

A desculpa de “não tem ninguém pra ir comigo” definitivamente não cola nessa categoria. Mesmo que você não tenha emitido seu bilhete junto com alguém, tenha a certeza de que, durante uma viagem, só fica sozinho quem quer. Mesmo sem notar, sempre vai ter gente a seu redor, falando ou não a sua língua, e ainda assim totalmente disposto a se comunicar com você, a ajudar, a contar histórias…basta você querer ouvir.

Viajar é sentir

Independente dos seus gostos pessoais, saiba que as viagens proporcionam uma experiência sensorial completa, passando pela audição, com o som da música e do idioma local; chegando à visão, que abre seus olhos para o novo; migrando para o olfato, onde permeiam cheiros totalmente diferentes do que você está acostumado, chegando ao tato, já que a gente tem a mania de “ver com as mãos” e acaba tocando em tudo o que é diferente para nós, seja a textura de um tecido ou até mesmo de uma árvore. No final dessa jornada é bem provável que o seu maior sentido seja o de saudade, palavra esta que você só encontra no Brasil.

Andar atras dessa cachoeira é incrível!!!!! #seljalandsfoss #missãovt #viagem #viajar #amoviajar #sonho #iceland #islandia

Uma foto publicada por Quanto custa Viajar (@quantocustaviajar) em

Viajar é encontrar novos rumos num mesmo mundo

Vamos supor que você more numa metrópole como São Paulo. Aqui tem tudo, não é? É tanta opção que até cansa a gente, ecoando o famoso “tanta coisa pra fazer e eu sem nada pra fazer”. Ainda assim, é bem provável que se você for a uma cidade diferente, mesmo que uma metrópole tão grande quanto essa, vá imergir num outro mundo, onde tudo é tão parecido e ao mesmo tempo tão diferente. Ambiguidades que tornam as viagens tão parecidas em suas essências e ainda assim tão necessárias.

Viajar é descobrir a liberdade

Quando saímos da rotina, nos sentimos assim…um passarinho solto da gaiola. Só de pisar numa cidade que não é a nossa já podemos sentir o cheiro de liberdade no ar, o poder da autonomia, de ir e vir, de cruzar fronteiras. Seja por ar, por mar ou por terra, uma viagem é capaz de curar mágoas, renovar esperanças, alimentar sonhos e despertar essa sensação única que é sentir-se livre. Você pode fazer isso para se isolar e ficar “longe de tudo”, ou para fazer novos amigos e dar valor ao o que está perto, ao momento presente.

Existe o banho de chuva e o banho de #cataratasdoiguaçu ? uma delicia! Confira em nosso site quanto custa #viajar para #fozdoiguaçu ✌?

Uma foto publicada por Quanto custa Viajar (@quantocustaviajar) em

Viajar é tirar os pés do chão

A gente já falou aqui sobre o medo de avião. Olha, confie em mim: é normal sentir medo. Afinal, não é todo dia em que você está a mais de mil metros do chão e, na teoria, isso não parece muito seguro. Mas é uma das sensações mais malucas do mundo. Em uma hora de viagem é possível avistar lugares que você só viu pela internet, como as Cataratas do Iguaçu. E o visual é emocionante. Viajar é ver tudo de um outro ângulo, é descobrir que a Terra é mesmo azul.

Quando você está chegando em #Cartagena vindo do Panamá, é esse o visu do #aviao . #turismo #turista #viajar #viagem #amoviajar

Um vídeo publicado por Quanto custa Viajar (@quantocustaviajar) em

Viajar é aprender

Muita gente sente medo do novo, mas que bobagem. É isso o que renova a gente. Mesmo que você não fale a língua local ou até mesmo língua nenhuma a não ser a sua, cruzar fronteiras é a melhor forma de aprender. O aprendizado é cotidiano, desde o “bom dia” que se dá aos funcionários do hotel até a hora de provar novos sabores no jantar e descobrir costumes diferentes. Você aprende mais sobre as diferenças, sobre a história de um povo, as lutas, as rotinas, as construções, os tipos de trabalho, a fé…e aprende mais sobre você mesmo. Na bagagem dá para trazer não só lembrancinhas, mas autoconhecimento, noção de mundo e cultura distintas que te ajudam a valorizar a vida.

E aí, partiu viajar? Conte com o Quanto Custa Viajar para o planejamento financeiro da sua viagem!

Post por Brunella Nunes

Fotos: reprodução/banco de imagens

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *