Sabia que neva em Marrocos? Indo muito além dos desertos infinitos, as dramáticas Montanhas do Atlas, em Marrakech, são um exemplo de como a natureza se diversifica no interior do país. A distante cordilheira é um misto de contrastes e texturas, entre picos nevados, vilarejos amontoados, propriedades rurais e grupos étnicos.

Ao Norte da África, a cadeia montanhosa tem 2.400 quilômetros de extensão, indo do Marrocos a Tunísia. Com esse tamanho todo, acaba dividindo-se em três formações: Alto Atlas (a 4.167 metros de altitude), Atlas Médio (a 3.356 metros de altitude) e Pequeno Atlas (a 3.305 metros de altitude). A partir dos cumes elevados consegue-se ver até mesmo o deserto do Saara.

O cineasta Martin Scorcese gravou cenas do filme Kundun (1997) no Kasbah Du Toubkal, primeiro hotel local, inaugurado em 1995. Foto: Marruecos Excursiones
Foto: Marruecos Excursiones

Os arredores das silhuetas pontiagudas permaneceram como um dos mais remotos do continente até meados da década passada, quando chegou, para um certo número de pessoas, energia elétrica e água encanada. São várias aldeias nas encostas das montanhas, como Ait souka, Ait mizan, Targa e Imoula, dificultando o acesso a todos.

É o povo Berbere que domina a região, sendo que quando precisam sair dela, já tratar de calcular bons dias de caminhada para buscar suprimentos e itens básicos do cotidiano. Ainda assim, tratam de receber os visitantes sempre com chá de menta marroquino à mesa, deixando marcada a hospitalidade local.

Foto: Trek Morocco

As raízes genealógicas são muito importantes para os Berberes, que se mantêm unidos nas aldeias com até 40 famílias, vivendo em casas de adobe agrupadas semelhantes às das comunidades do Rio de Janeiro. O tear de tapetes é igualmente levada a sério por essas bandas, mantendo-se como tradição passada de geração em geração e grande símbolo cultural.

Foto: Marruecos Excursiones

A ausência de carros garante menos poluição sonora, ambiental e mais ar fresco. Porém, a chegada do turismo não é das mais agradáveis no momento, visto que a quantidade de lixo vem aumentando consideravelmente em meio a joia natural. É sempre crucial se lembrar de ter esse cuidado, de preservação e respeito.

Com a fama aflorando, aventureiros do mundo todo têm encontrado nas Montanhas Atlas um terreno fértil para suas diversões radicais. As trilhas até o vale de Imlil, uma das portas de entrada da região, são apenas o ponto de partida rumo aos pontos de escalada, como o Monte Jbel Toubkal, o mais alto, com 4.164 metros, com subida que leva de dois a quatro dias para ser concluída. A falta de oxigênio em alguns trechos é apenas um dos desafios da atividade.

Foto: Wikipedia

A gigante é parte do Parque Nacional de Toubkal, a 12 quilômetros do centro de Atlas, englobando 38 mil hectares de natureza protegida, chegando aos vales de N’Fiss e Ourika. A fauna e a flora apresentam suas maravilhas, como orvalhos e tamareiras-anãs, raposas, chacais e macacos-berberes.

Foto: AirFrance

Parte do território das Montanhas do Atlas incluem ainda centros de esqui, movimentados de janeiro a meados de abril. Dentro do parque e no próprio Monte Toubkal, quando a neve é abundante, há quem desça de esqui, enfrentando os ventos cortantes do frio.

Porém, o resort de Oukaimden, comuna rural na província de Al Haouz, é um dos mais conhecidos e cômodos, com 20 pistas para diversão e esporte. O terreno a 3.200 metros de altura também é fértil para observação de arte rupestre em outras épocas do ano.

Foto: Excursion from Marrakech
Foto: Trek Morocco

Indicados em passeios guiados, os caminhos exibem o que há de melhor no trecho marroquino: córregos, rios, colinas a perder de vista, pontes suspensas e as planícies de Haouz. É bom também guardar fôlego para visitar Armed (ou Aroumd), a maior e mais alta vila do vale de Imlil.

Não deixe de visitar as deslumbrantes Cascatas de Ouzoud, que são um passeio agradável para toda a família. Rodeadas por oliveiras, são as quedas d’água mais altas de Marrocos, com 100 metros de altura. Descendo o vale, se forma uma piscina natural, ideal para descanso e para repor as energias em algum dos quiosques às margens do rio Oum Errabia, o segundo maior de Marrocos.

Foto: Fez Day Trips
Foto: Trek Morocco

Outro lugar interessante para se molhar é na barragem do lago Lalla Takerkoust, a apenas 40 quilômetros de distância de Marrakech, conhecido pelos adeptos aos desportos aquáticos como jet ski, stand up paddle, canoagem e caiaque. A área do Planalto de Kik, onde está localizado, oferece paisagens que parecem um quadro de tão perfeitas.

Tome nota: diferentemente de Imlil, o Vale do Ourika (a 60 quilômetros de Marrakech) é mais turístico e mais movimentado, especialmente nos dias de verão. Porém, tem atrativos interessantes, como as as cachoeiras do Setti Fatma e o jardim orgânico aromático cheio de plantas medicinais do povo Berbere.

Foto: MVD Marrakech

Confira nossas dicas antes de aterrizar em Marrocos!

Foto: Marruecos Excursiones
Foto: Turismo Marrocos

Onde ficar

Foto: divulgação/Booking.com
Foto: divulgação/Booking.com

Planeje sua viagem

Há várias opções de passeios para explorar a região das Montanhas Atlas no site do Quanto Custa Viajar. Confira aqui e comece a planejar essa viagem dos sonhos! Você também pode alugar um carro em Marrakech para seguir rumo à cordilheira.

Foto: Marruecos Excursiones

Conheça Chefchaouen, a cidade azul de Marrocos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *