A cultura tem um papel fundamental na sociedade, pois eleva o senso crítico, o conhecimento e a percepção de mundo, ampliando os horizontes do pensamento. Para te ajudar na missão de compreender os vários aspectos de um país tão diverso quanto o nosso, selecionamos os melhores museus de São Paulo, uma cidade que transborda opções.

É na capital paulista que está o Museu Paulista da USP, conhecido como Museu do Ipiranga, que reúne em seu acervo gigantesco uma infinidade de documentos, fotografias, pinturas, objetos e roupas relacionados com o Brasil desde os tempos de Dom Pedro. Porém, assim como o Museu da Língua Portuguesa, está fechado para restauração e reforma até 2022.

Mas não fique triste por não vê-los na lista, porque ainda tem mais de 100 museus e instituições culturais, espalhadas por regiões diversas. É preciso pelo menos cinco dias para visitar e se aprofundar neles, então é bom você ir se planejando para a próxima visita à metrópole!

Os melhores museus de São Paulo

Pinacoteca do Estado

Quem chega à Estação da Luz dá de cara com um dos edifícios mais bonitos da cidade logo em frente. É lá, do lado do Parque da Luz, que funciona também um dos museus mais importantes da capital. Fundada em 1905, a Pinacoteca é um passeio incrível, parada obrigatória mesmo, para quem gosta de arte e quer também entender melhor sobre os nossos artistas. O acervo, que fica a mostra permanentemente, é uma joia rara, com exemplares de grandes pintores do Brasil (e que também nos ajudam a entender as várias eras do país), como Almeida Júnior, Antonio Parreiras, Victor Brecheret, Tarsila do Amaral e Di Cavalcanti.

Museu Afro Brasil

Na enorme área que engloba do Parque do Ibirapuera está o Museu Afro Brasil, dedicado às narrativas africanas presentes no patrimônio, identidade e cultura nacional. O espaço de memória, história e arte brasileira e afro-brasileira, reúne mais de 6 mil obras. O acervo vai do século 18 aos dias atuais, passando por pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, documentos e peças etnológicas, de autores brasileiros e estrangeiros. É um ponto de interesse importante na cidade para aprender mais sobre diversos temas como trabalho, crenças religiosas, escravidão, entre outros, valorizando o papel de afrodescendentes para a formação da identidade do país.

[+] Dicas de onde se hospedar em São Paulo!

Museu de Arte Moderna

O MAM fica dentro do Parque do Ibirapuera, pertinho do museu Afrobrasil. Sua própria estrutura já conta com duas assinaturas estreladas: Oscar Niemeyer, que projetou a marquise, e Lina Bo Bardi, que reformou o espaço para implantar o museu. No jardim, quem brilha são esculturas de Roberto Burle Marx. Sempre tem uma mostra em cartaz para mostrar ao público o que a arte moderna representa, seja aqui ou em outros lugares do mundo. O acervo conta com 5 mil peças de artistas dos anos 1960 em diante, além de uma biblioteca com mais de 60 mil títulos.

Museu de Arte de São Paulo

O que dizer do MASP, que é simplesmente um dos símbolos dessa Babilônia? O icônico edifício projetado por Lina Bo Bardi, fundado por Assis Chateaubriand e dirigido por Pietro Maria Bardi, emerge em plena Av. Paulista, chamando a atenção até de quem já o viu mil vezes. Toda a relevância que tem é justa, pois este é realmente um dos museus mais importantes do Brasil. O acervo é rico em obras de grandes nomes do mundo todo, como Vincent Van Gogh, Pierre August Renoir, Pablo Picasso e Claude Monet. Uma simples visita é como sair de aulas de história da arte, oferecendo contato real com pinturas que muita gente só viu nos livros.

Museu da Imagem e do Som

Faz uns cinco anos que o MIS-SP virou museu-celebridade, atraindo visitas que fazem filas quilométricas na porta. Isso porque as mostras interativas tomaram conta do lugar, roubando a cena dos demais. A cada temporada o museu se renova, ajustando parte da infraestrutura para abrigar cenários imersivos para as exposições, que fogem do padrão tradicional da arte, mergulhando em assuntos mais próximos da cultura pop. Ao longo do tempo já teve mostra do Stanley Kubrick (foto), David Bowie, Tim Burton, Renato Russo e Castelo Rá Tim Bum.

Foto: Letícia Godoy/MIS-SP

Museu Lasar Segall

Pequenino e super discreto, o museu Lasar Segall passa despercebido por muitos paulistanos. A antiga casa do artista homônimo, planejada pelo arquiteto Gregori Warchavchik, é hoje um espaço expositivo de suas obras e objetos pessoais. É interessante conhecer seu trabalho e estilo de vida, imaginando como as coisas funcionavam por ali em outra época. O endereço é também um espaço cultural, com cinema, biblioteca e cursos nas áreas de gravura, fotografia e literatura.

[+] Entre um museu e outro, que tal um lanche? Confira dicas de alimentação!

Museu da Arte Contemporânea da USP

O prédio enorme de 1963, logo em frente ao Parque do Ibirapuera e com uma vista incrível para a cidade, costumava ser do Detran. Que coisa broxante, né? Eis que em 2016 o jogo virou e o Museu de Arte Contemporânea da USP se fixou ali, deixando a Cidade Universitária. O acervo é grande e reúne esculturas, fotografias, pinturas e instalações que dialogam com temas e reflexões do início do século 20 à atualidade. Desde o ano passado também conta com um café e um restaurante, que seguem a linha gourmet e tem agitado ainda mais o lugar aos finais de semana. Mas bom mesmo é super até o terraço para admirar o por do sol.

Museu Catavento

O Museu Catavento é um museu de ciências que costuma atrair crianças, embora os pais se divirtam tanto quanto. É um lugar para aprendizado, com diversas alas temáticas que passam por galáxias e planetas distantes, dinossauros, ecologia e engenhocas interativas que explicam a física e a química. Há também um lindo borboletário é um estúdio de TV onde os pequenos experimentam como funciona um programa na telinha. Um passeio agradável e muito lúdico!

Memorial da América Latina

Colado no metrô Barra Funda, o Memorial da América Latina costuma sediar muitos eventos e festivais. O conjunto arquitetônico é assinado por Oscar Niemeyer, enquanto Darcy Ribeiro cuidou do projeto cultural. O acervo permanente de obras de arte é muito bacana, mas nem todos que já pisaram no local o conhece. São expostos artefatos, objetos e esculturas da arte popular latino-americana, celebrando suas raízes e cultura. Nas mostras temporárias há sempre uma ligação com o tema, revelando artistas vizinhos ou até do outro lado do mundo, que por alguma razão se associam à América Latina.

Museu da Imigração

Uma das coisas mais legais de fazer é ir até o Museu da Imigração, na região do Brás-Mooca, de locomotiva, que deixa o público na porta. Era assim que os próprios imigrantes chegavam na antiga hospedaria onde hoje é o museu e essa história é realmente imperdível, afinal, SP é uma mãezona, reconhecida por seus traços multiculturais. Além da parte histórica, destaco a disposição e os cenários que foram montados no espaço expositivo. O jardim do lugar também é lindo e agora conta com um agradável café.

Museu do Futebol

Mesmo que você não seja fã de futebol, recomendo muito uma ida à esse museu, especialmente se tiver na companhia de crianças. Ocupando um espaço no Estádio do Pacaembu, o que já é bem simbólico, o museu é um exemplo de organização, tecnologia e inovação. Reúne várias informações interessantes sobre o esporte, imagens históricas surpreendentes e vídeos emocionantes. Além disso é bem interativo, fazendo com que o público toque, sinta e ouça uma porção de coisas, como o grito apaixonado das torcidas nas arquibancadas. É uma experiência e tanto!

Não é bem um museu, mas…

Instituto Tomie Ohtake

Eu perdi as contas de quantas exposições legais vi no Tomie Ohtake. O imponente e moderno edifício, assinado por Rui Ohtake, é um símbolo do bairro e por si só já vale uma foto. Mas são as mostras em cartaz, sempre temporárias, que lotam o espaço, trazendo temáticas atuais e inúmeras reflexões. Vale a pena ficar de olho na programação!

Instituto Lina Bo Bardi

Erguida num ponto alto do Morumbi, a Casa de Vidro é a representação materializada de Lina Bo Bardi. A construção que tem as mesmas características do MASP é onde a arquiteta viveu com o marido Pietro, e atualmente funciona como instituto. Nem preciso dizer o quão incrível é visitar um lugar tão íntimo de mentes tão brilhantes quanto a deles. O mobiliário e alguns objetos pessoais se mantêm nos cômodos, com destaque para a sala, rodeada de enormes janelas de vidro que dão vista para o jardim. No ateliê há algumas maquetes e desenhos da dupla. Outros aposentos recebem também mostras temporárias que se relacionam com o universo dos Bardi.

Fundação Ema Klabin

Logo em frente ao MIS e ao Museu Brasileiro da Escultura (MuBE) está a discreta Fundação Ema Klabin. A antiga residência da mecenas, erguida em meados de 1950, foi transformada em museu, reunindo sua coleção particular de arte e mobiliário. A casa é linda, com janelas enormes, detalhes clássicos e um jardim de cair o queixo. A visita permite que o público percorra os ambientes e veja de perto do acervo. A programação inclui atividades culturais, sociais e educacionais.

Fotos: divulgação/Brunella Nunes [Equipe QCV]

Com mais de 6 mil opções, conheça quais são as melhores pizzarias de São Paulo

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *