Será que ainda existem lugares secretos em São Paulo, a terceira cidade mais visitada do Brasil? Gigante no tamanho e nas possibilidades, a metrópole sempre vai ter aquele cantinho especial que apenas poucos e bons conhecem. Para desbravar alguns deles, confira a lista que o Quanto Custa Viajar preparou para você!

Visitar os pontos turísticos é essencial, afinal, a cidade realmente reúne opções incríveis em cultura, gastronomia e história. Se você já passou dessa fase e quer um passeio diferentão, não perca a oportunidade de se perder pelas portinhas que quase ninguém nota; ou até mesmo mudar o foco do seu olhar.

Foto: Brunella Nunes/Equipe QCV

No filme500 Dias com Ela“, o mocinho Tom leva sua paixonite Summer para um rolê. É neste momento que ele, um amante da arquitetura, aponta para o alto e avisa: “há muita beleza aqui. Claro que o nível da rua não é muito para olhar, mas se você olhar para cima, há algumas coisas interessantes acontecendo. Se dependesse de mim, eu faria as pessoas notarem!”.

Tenha isso em mente, viajante. Quando quiser caçar os lugares secretos de São Paulo, mantenha sempre os pés no chão, mas a cabeça lá o alto!

Jardim da Prefeitura de SP | Viaduto do Chá, 15  -  Anhangabaú
*visitas gratuitas de segunda a sábado; consulte os horários

Apesar de estar na região central de São Paulo, o jardim da Prefeitura, no Edifício Matarazzo, ainda é pouco conhecido. Isso porque 14 andares separam vegetação e público. O jardim suspenso preserva 400 espécies de plantas, árvores frutíferas, ervas medicinais, fontes e vistas impressionantes. O oásis botânico a 80 metros de altura começou com o antigo zelador, Walter Galera, a cerca de 50 anos atrás. Ele mal imaginava que telhados verdes seriam não apenas uma tendência global, mas uma necessidade!

Foto: Brunella Nunes/Equipe QCV
Foto: Brunella Nunes/Equipe QCV

Capivara | Rua Doutor Ribeiro de Almeida, 157 - Barra Funda
*aberto para jantar de segunda a quinta; sujeito a lotação

Quem passa pelo discreto Capivara pode pensar que não se passa de um mero boteco. Ledo engano! Apesar de manter o ambiente muito simples e sem firulas num galpão qualquer, a cozinha tem pegada gourmet, com especialidade em peixe e frutos do mar, acompanhados de vinhos naturais. A casa se destaca pelos ingredientes frescos, a execução, delicadeza e originalidade dos pratos elaborados pelo chef Rodrigo Felício. É daqueles lugares despretensiosos, mas que surpreendem e pedem repeteco.

Foto: divulgação/Capivara
Foto: divulgação/Capivara

Leica Gallery | R. Maranhão, 600 - Higienópolis
Funciona de terça a sábado; entrada grátis

A marca alemã Leica fez história, fazendo com que suas câmeras fotográficas se tornassem item de colecionador e objeto de desejo. Poucos sabem que existe uma Leica Gallery em São Paulo, com foco em mostras, encontros e workshops de fotografia. A galeria fica num belíssimo edifício de 1930, onde morou o artista Di Cavalcanti, que se mantém tradicional por fora, mas super moderno por dentro. Inclui ainda um espaço ao ar livre, ideal para encontros de amantes dos cliques ou para ler um livro da biblioteca local.

Foto: divulgação/Leica Gallery

Apotecário/Espaço Zebra | Rua Major Diogo, 237 - Bela Vista
Aberto apenas sextas e sábados, das 19h às 00h; às vezes às quintas também.

Taí um dos endereços mais legais e secretos da cidade, o speakeasy Apotecário, no subsolo da galeria Espaço Zebra. Com zero vontade de ser hype, a bartender Neli Pereira coloca todo o seu conhecimento em ervas medicinais brasileiras a mercê dos clientes no balcão. Suas garrafadas geram drinks deliciosos, carregados de tropicalismo e originalidade. O principal deles é o Apotecário, com gim, gengibre, laranja, limão, manjericão e boas doses de gelo. Um refresco daqueles para os dias de calor! O Negroni Nativo leva vermute infusionado de catuaba e sassafrás. As comidinhas são gostosas, o ambiente é lindo e o clima informal. Uma noite que vale cada centavo!

Foto: divulgação/Apotecário

Galeria Ink | R. 24 de Maio, 62–5º andar  - Centro
Funciona no topo da famosa Galeria do Rock

Ter um pouco de silêncio em pleno Centro de São Paulo pode parecer um verdadeiro milagre. Uma sensação de paz invade o terraço da Galeria do Rock, que abriu ao público depois de passar muitos anos fechado a sete chaves. No quinto andar do edifício funciona a Galeria Ink, um espaço multiuso com estúdio de tattoo/piercing, barbearia, bar e galeria de arte, com direito a um quintal de fazer inveja em qualquer vizinho. Durante a semana é possível ter momentos de contemplação lá no alto, em plena tranquilidade. Leve um livro e sente-se debaixo de uma árvore para curtir a brisa.

Foto: Brunella Nunes/Equipe QCV

Templo Odsal Ling | Rua dos Agrimensores 1461 - Cotia

Quando se fala em templo budista em São Paulo, logo vem a mente o Zu Lai, que provavelmente é o mais conhecido da capital, chegando a ficar bem cheio aos finais de semana. O que muitos nem imaginam é que não muito longe dali está o Templo Odsal Ling, igualmente lindo, mas seguindo a linha tibetana, conhecida também como vajrayana. Muito mais ornamentado que o vizinho, possui paredes num tom vermelho bem forte, cheias de detalhes pintados a mão, por dentro e por fora. Encantamento puro! Você pode conferir o passeio do Quanto Custa Viajar por lá para saber mais.

Foto: Brunella Nunes/Equipe QCV

Seu Quintal Comedoria | Rua Assungui, 81 - Alto do Ipiranga

Uma portinha muito discreta logo ao lado de uma academia enorme e de frente para uma árvore decorada com crochê indica que ali é o Seu Quintal Comedoria. A passagem secreta para o restaurante leva a um charmosíssimo jardim, com mesas ao ar livre e outras numa casinha coberta. Por R$ 40 você escolhe entrada e prato principal. O menu conta com opções com ou sem proteína animal, dando preferência para ingredientes frescos e naturais. Um dos destaques é o picadinho de fraldinha, feito com mostarda à l’ancienne e cerveja preta, vem acompanhado de purê de mandioquinha e arroz de casa. Há também poke havaiano vegan ou de salmão.

Foto: divulgação/Seu Quintal
Foto: divulgação/Seu Quintal

Brechó No Fundinho | Praça da República, 80 - Sala 802 - República

Logo em frente à Praça da República, no charmoso edifício histórico Esther, se esconde o Brechó No Fundinho. Subindo até o oitavo andar se chega à uma convidativa sala, que mais parece o apê de uma amiga, com plantinhas, janelas enormes, música na vitrola, cafezinho e araras recheadas de peças garimpadas ao redor do Brasil todo, do PP ao EGG. Os preços são fiéis ao que se espera de uma loja de artigos usados, justos de acordo com o estado da peça em questão. Difícil encontrar algo que ultrapasse R$ 80,00. Vale a pena dar um pulo lá para umas comprinhas! No Instagram você encontra belíssimos editoriais de moda da equipe do brechó.

Foto: divulgação/Brechó No Fundinho (cedida ao QCV)

Bawarchi | Rua Humberto I, 281 - Vila Mariana

A conexão Brasil-Índia fica mais intensa para quem consegue encontrar o Bawarchi, que para esta que vos escreve, é o melhor indiano da cidade. Um sobrado muito simples e sem qualquer fachada alarmante acolhe o público, que ali pode saborear comida indiana de verdade, feita pelo chef Bhagwan Swinpor, de Mumbai, com ajuda de sua família. O menu é bem extenso, mas a refeição pode começar pelo delicioso pão chapati, que após passar pelo forno tandoor, chega quentinho na mesa, junto a alguns molhos caseiros.

A mesa vai ficando mais colorida com a chegada da porção de arroz aromatizado com especiarias indianas e o Gosht nariyal, cubos de carneiro preparados em molho cremoso de coco. Vegetarianos também passam bem na casa, podendo optar pelo Paneer makhani, queijo ricota cozido em um rico molho de iogurte e condimentos, servido em um molho amanteigado de tomate. Para beber, vá de Lassi, bebida típica de iogurte natural com polpa de frutas (abacaxi com hortelã, maracujá ou manga). Água na boca só de lembrar!

Foto: divulgação/Bawarchi

Plantação de café | Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 1252 - Vila Mariana
*Visitas sob consulta diretamente no Instituto Biológico

Sabia que existem mais de mil pés de café numa plantação urbana, em plena São Paulo? Mantido pelo Instituto Biológico, o cafezal fica bem pertinho ao Parque Ibirapuera, mas é impossível vê-lo, a não ser que você observe de algum ponto bem alto dos arredores. A finalidade do cultivo é para pesquisa e educação ambiental, especialmente entre os meses de maio e junho, quando a comunidade é convidada a ajudar na colheita. É uma forma de aproximar o público da importância do grão, que quase foi extinto por uma praga em meados de 1920. As visitas também estão liberadas durante o evento “Biológico de Portas Abertas”, que acontece esporadicamente.

Foto: Brunella Nunes/Equipe QCV

Catedral Ortodoxa São Nicolau | Rua Tamandaré, 710

Faz “só” 80 anos que a Catedral Ortodoxa São Nicolau foi fundada em São Paulo por refugiados russos, mas mesmo assim passa despercebida por grande parte da população. A paróquia segue o estilo estilo Pskov, ou russo-bizantino. É pequenina, mas bonita, e esconde um quintal de dar inveja no vizinho. O espaço é super agradável, com uma rede no meio das árvores. Em julho recebe uma feira gastronômica russa, cheia de quitutes do país e da Europa. A liturgia acontece aos domingos, às 09h30.

Foto: divulgação/Catedral Ortodoxa São Nicolau
Foto: divulgação/Catedral Ortodoxa São Nicolau

Quintal do Centro | Rua Barão de Tatuí, 95 - Vila Buarque

As lojas de plantas vieram para ficar, mas muito mais do que um ponto de vendas botânico, elas são cantinho acolhedores para quem busca fugir do caos. Aquela pausa no dia pode ser feita no Quintal do Centro, que ocupa uma casa antiga na região da Santa Cecília com inúmeras plantinhas, mobília vintage garimpada e um quintal maravilhoso! Além de servir café e bolinho, também conta com almoço por R$ 27 o prato ou R$ 35 o combo, com prato principal, refresco de guaraná com limão (200ml), café coado ou expresso e brigadeiro. Sempre tem opções veggies e algumas veganas.

Foto: divulgação/Quintal do Centro
Foto: divulgação/Quintal do Centro

Pista de skate nas alturas | Rua João Brícola, 24 - Centro

Quem olha para o Farol Santander, o eterno “Banespão” ou nosso Empire State Building tupiniquim, mal imagina que lá dentro tem uma pista de skate. Assinada por Bob Burnquist, a pista do 21º andar é um misto de plaza e park, com obstáculos baixos. A estrutura conta com vestiário e área de descanso, onde visitantes podem observar as manobras. Custa R$ 15 por hora e exige o uso de capacete.

Foto: divulgação/Pista do 21

Rincon Escondido | Vila Madalena
Endereço divulgado apenas na data do jantar

Realmente escondido e totalmente despercebido no coração da Vila Madalena, o Rincon Escondido é um espaço de experiências gastronômicas em torno do universo da parrilla e da cultura “del Rio de la Plata”. No ambiente rústico, Alan Edelstein (filho de uruguaios) e Francisco Mancuso (autêntico argentino). recebem amigos, clientes e familiares em torno do fogo uma vez por mês, para um jantar intimista de quatro tempos. O valor por pessoa é R$ 265. Nesse valor está incluso nosso menu completo com antepastos, entradas, prato principal, acompanhamentos, sobremesa e bebidas (cervejas artesanais e vinhos selecionados). Vá com fome para valer cada centavo!

Foto: divulgação/Rincon Escondido
Foto: divulgação/Rincon Escondido

Desculpe a Poeira | Rua Sebastião Velho, 28-A - Pinheiros

Uma portinha que vende livros usados e em ótimo estado. Assim é o Desculpe a Poeira, sebo com nome que faz alusão à frase de epitáfio sugerida pela crítica e escritora Dorothy Parker: “Excuse my dust”. A partir de sua própria coleção de livros, o jornalista Ricardo Lombardi resolveu começar o negócio em Pinheiros. Além de manter coleções a bons preços, também conta com edições especiais de revistas e, às vezes, camisetas feitas por ele, sempre com a temática literária estampada. Também faz compra de algumas relíquias.

Foto: divulgação/Desculpe a Poeira

Omoide Sakaba | Rua Luis Góis, 1574 - Mirandópolis/Vila Clementino

Os izakayas, botecos japoneses, tem tomado conta de São Paulo. A boa notícia é que, no meio de tanta novidade, pouca gente descobriu o Omoide Sakaba. No balcão come-se apenas o que é genuinamente oriental: espeto de kawa (pele de frango), chawanmushi (creme de ovos no vapor), lula na chapa e Sanma grelhado, um peixe muito apreciado no Japão. Para acompanhar a noite asiática, vá de shochu e saquê.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Casa Elefante | Rua Cesário Mota Junior, 277 – Sobreloja - Vila Buarque

Se você está de bobeira em São Paulo, dá uma passada na Casa Elefante, um espaço de convivência artística e social, que além de reunir pessoas, conta com café/bar, uma loja de discos de vinil, livros e brechó em seus 70 m². Toda essa mistura resulta em conexões diversas, workshops, saraus, lançamentos de livros, exposições, pocket shows e festinhas. Fique de olho na programação pelo Instagram!

Foto: divulgação/Casa Elefante

Casa Vilanova Artigas | Rua Barão Jaceguai, 1151 - Campo Belo

O ativista, arquiteto e um dos criadores da chamada “escola paulista de arquitetura”, João Batista Vilanova Artigas, residiu por muito tempo numa casa modernista, construída em 1942. Recentemente, a família resolveu abrir as portas do lar para visitas e depois o espaço acabou se transformando num espaço cultural, ganhando um museu (dedicado à arquitetura, ao design e a memória do arquiteto), um café e um coworking. Além disso, também sedia eventos. Ah, e tem também os jardins, assinados por Burle Marx e repaginados por Luis Carlos Orsini, paisagista do Inhotim, em Minas Gerais.

Foto: divulgação/Vilanova Artigas

Viveiro Manequinho Lopes | Av. Quarto Centenário, 1288 - Ibirapuera
*Consulte as visitas monitoradas no número: 5572–1004

O Parque do Ibirapuera é uma grande área de descompressão para os atarefados paulistanos. Em seus 150 hectares tem de tudo, desde museus até áreas para cooper ou pique-nique. Para dar um passeio ao ar livre longe da muvuca, reserve uma data para conhecer o Viveiro Manequinho Lopes, um dos lugares mais bacanas de São Paulo, escondidinho dentro do Ibira. A principal função do herbário é produzir e fornecer mudas para plantio ao redor da cidade, portanto espere por um lindo passeio florido, com árvores e plantas de diversas espécies, inclusive PANC (Plantas Alimentícias Não Convencionais).

Foto: Brunella Nunes/Equipe QCV
Foto: Brunella Nunes/Equipe QCV

15 lugares secretos no Rio de Janeiro para sair da mesmice

6 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verão 2020

Programe-se para curtir as belezas da Bahia no próximo verão! Temos dicas de lugares incríveis para suas férias.